Como fazer um regulamento interno de uma empresa?

Descubra o que é um regulamento interno e aprenda a como fazer na sua empresa de forma prática e eficiente

28/Jul/2022
PMEs

Você já ouviu falar em regulamento interno? Ele é uma maneira da empresa garantir que os funcionários desenvolvam corretamente suas atividades, melhorando a produtividade e tornando os processos mais efetivos dentro de um negócio. 

Ele atua junto com as normas internas de uma empresa, isso porque, com ele, a empresa vai deixar claro aos seus colaboradores o que eles devem fazer e o que é esperado que eles façam. O regulamento interno se torna um dos grandes aliados, além de um grande diferencial, impulsionando e  ajudando a empresa a crescer e se destacar no mercado.

Para te ajudar a entender melhor o que é regulamento interno, como aplicá-lo e quais são as funções desse documento tão importante, preparamos este artigo! Continue acompanhando até o final e saiba como aproveitar da melhor maneira esse documento. Vamos lá!

O que é regulamento interno?

O regulamento interno, basicamente, é um conjunto de regras, disposições e normas internas de uma empresa que devem ser seguidas corretamente por seus colaboradores.

Esse conjunto deve ser desenvolvido pelo responsável da gestão da empresa. Nele devem estar estabelecidos os direitos e obrigações que são aplicadas a todos e a qualquer nível hierárquico da empresa, isso inclui a parte operacional, supervisão, gestão, entre outros.

Vale destacar que o regulamento interno na empresa deve seguir uma base legal, ou seja, normas e determinações definidas de acordo com a CLT - Consolidação das Leis do Trabalho. 

E, apesar de seguir uma base legal, a empresa pode definir suas próprias regras e normas, desde que não contrariem a legislação e nenhuma determinação existente. 

Regulamento interno: para que serve?

Como citado no tópico anterior, o regulamento interno serve para estabelecer e definir quais as normas e regras devem ser seguidas pelos seus colaboradores, seguindo a base legal das legislações trabalhistas. 

Seu principal objetivo é regularizar algumas situações específicas que não estão determinadas na legislação trabalhista, mas que ainda assim fazem parte da rotina e processos da empresa. 

O documento pode ser usado tanto pelas pequenas e médias empresas, quanto pelas grandes companhias. Afinal, quando o regulamento interno é aplicado e utilizado de forma inteligente, o ambiente de trabalho acaba se tornando mais agradável e saudável para todos. 

Sem contar que ele faz com que o negócio se torne mais produtivo e os processos mais otimizados, levando a um crescimento significativo para os pequenos e médios negócios

O regulamento interno, também, é considerado uma ferramenta de compliance, ou seja, uma estratégia que busca garantir que a empresa esteja e se mantenha regularizada e siga todas as normas e legislações, considerando a ética e a moral do mercado. 

Entre os principais benefícios do regulamento interno para as empresas estão:

  • É uma fonte primária dos direitos dos colaboradores;
  • Personaliza as questões trabalhistas de acordo com as necessidades internas;
  • Aumenta a produtividade;
  • Otimiza e torna os processos mais eficientes;
  • Torna a empresa mais alinhada com sua cultura organizacional;
  • Entre outros!

Quais informações devem constar no regulamento interno da empresa?

Agora que você entendeu a função do regulamento interno e a sua importância, chegou o momento de aprender quais informações precisam estar presentes no documento para que ele seja aproveitado da melhor forma. 

Antes de mais nada, é preciso reforçar que as normas estabelecidas não podem contrariar de forma alguma a Constituição Federal, acordos coletivos (como sindicatos) e convenções, incluindo leis e normas em geral. 

Dito isso, vamos às principais informações que devem constar no regulamento interno da sua empresa:

  • Normas básicas sobre higiene pessoal;
  • Normas sobre o uso de EPI’s (Equipamentos de Proteção Individual);
  • Normas sobre o uso do celular ou outros aparelhos eletrônicos;
  • Normas sobre o uso das redes sociais durante o expediente;
  • Normas sobre o sigilo de dados e informações;
  • Normas de como contatar e se relacionar com os clientes e colegas; 
  • Informações sobre como devem ser feitos possíveis descontos no salário;
  • Informações sobre os direitos dos colaboradores, como adicionais ou bônus.

Como você percebeu, essas normas e regras podem ser desde as mais básicas, como a higiene pessoal, até as mais complexas como o sigilo e segurança de informações. 

Outro fator importante é considerar as regiões e particularidades de cada costume. Por exemplo, você não pode determinar que seus colaboradores trabalhem de terno em um ambiente onde faz muito calor. Lembre-se sempre de usar o bom senso na hora de estabelecer as normas. 

Como elaborar o regulamento interno da empresa?

Para garantir um documento completo, alinhado às necessidades e cultura da empresa, é preciso seguir alguns passos e orientações para torná-lo o mais personalizado possível, seguindo, é claro, as legislações trabalhistas. 

Para te ajudar a elaborar um regulamento interno bem completo, trouxemos alguns passos. Confira abaixo quais são e o que deve ser feito em cada um:

  • Estabeleça uma estrutura: todo documento precisa de uma estrutura. Nesse momento você deve colocar informações sobre a empresa, os temas que serão abordados no regulamento, cláusulas, observações, entre outras.
  • Analise a identidade da empresa: é necessário conhecer a fundo a identidade da empresa na hora de estabelecer quais normas serão criadas. Para isso, considere a missão, visão e valores da empresa.
  • Faça as cláusulas do regulamento interno: com base na estrutura montada e na cultura organizacional, é hora de criar as cláusulas que farão parte do seu regulamento interno. Separe-as por assunto para facilitar a leitura e compreensão. 
  • Indique sanções por descumprimento: o próximo passo é determinar quais serão as punições e advertências para cada norma descumprida. Algumas já estão previstas em lei e podem ajudar nesse momento. Lembre-se que as sanções precisam ser proporcionais ao ato e devem ser realizadas no mesmo dia. 
  • Realizar apresentação do regulamento aos colaboradores: depois de tudo elaborado, definido e montado, é hora de apresentar aos seus colaboradores as novas diretrizes que serão estabelecidas visando melhorar o ambiente e produtividade da empresa. Você pode marcar reuniões de apresentação para isso.  
  • Prepare o termo de aceite: esse termo é uma forma dos colaboradores certificarem que viram o regulamento e estão de acordo com as normas e punições do descumprimento de cada uma delas. 

Essas são as principais etapas do regulamento interno. Quanto mais detalhado e completo ele for, melhores serão os resultados da empresa na busca por um crescimento orgânico.  

Tenha o seu próprio negócio, conte com a Omie!

Agora que você já sabe que o regulamento interno é um conjunto de normas que pode otimizar os processos e aumentar a produtividade de uma empresa, que tal conhecer as franquias Omie? Com ela você consegue empreender de forma tranquila, garantindo todo o apoio, suporte e um plano de negócios completo para tirar os planos do papel.  

Ah, não se esqueça que é importante contar com uma ajuda especializada para redigir o seu regulamento interno, certo? Um advogado, por exemplo, tem todo o conhecimento e repertório necessários para te ajudar e garantir que suas normas estejam de acordo com a legislação. Leia mais conteúdos como este no blog da Omie.

Receba as novidades

Assine nossa newsletter

Obrigado por se inscrever!

Oops! Verifique novamente se informações estão corretas

Posts Relacionados

Artigos por autor

Receba as novidades

Receba as novidades

Obrigado por se inscrever!

Oops! Verifique novamente se informações estão corretas