Guia Bloco K – Passo 5 – Bloco 0 no Bloco K

Quando se trata de fazer os cadastros e registros do Bloco 0, que servem de base para completar o Bloco K, há erros infelizmente muito comuns, que precisam ser corrigidos com urgência

03/Jan/2019
Contabilidade

Continuando nossa jornada em preparar nossos clientes para as exigências do Bloco K, vamos agora falar sobre os cadastros, um dos pontos cruciais desta empreitada.

Para gerar o arquivo do SPED fiscal (EFD ICMS/IPI) é necessário que se alimente diversos cadastros no layout, estes que aparecem no Bloco 0 (zero). As informações necessárias são: quais são os clientes, os fornecedores, as unidades de medida e os produtos, dentre outras.

Vamos começar pelo cadastro de produtos no layout. O registro que deve ser preenchido neste caso é o Registro 0200, é aqui que você informa o código do produto, sua descrição, classificação fiscal, unidade de medida e o tipo.

As informações alimentadas neste registro vão servir de base para os lançamentos que depois serão gerados dentro do Bloco K. No Registro 0200 destaco em primeiro lugar o cuidado com o campo código do item. No Guia Prático do SPED, está determinado que as informações devem ser preenchidas do ponto de vista do informante, ou seja, o contribuinte sujeito à entrega do SPED.

Isto significa que quando se trata de código do item, o contribuinte deve lançar os produtos adquiridos com o código de controle interno da empresa e não com o código de item que vem na nota fiscal (xml) de compra.

No universo dos escritórios de contabilidade esta tarefa é bastante complexa e difícil de ser cumprida, pois exige uma parametrização do sistema interno do escritório para as mesmas codificações utilizadas pelo cliente internamente.

O erro comum

Geralmente o que acontece na prática é que o escritório contábil importa o xml de compra do cliente e os produtos acabam sendo registrados com os códigos de produto dos fornecedores.

Só que quando o cliente faz as vendas ou envia suas movimentações internas, ou até mesmo o seu inventário, utiliza o seu código de produto interno. Resultado: os códigos de entrada e saída ficam diferentes. Estes erros de registro são infelizmente muito comuns.

Essa é exatamente o tipo de inconsistência não acusada pelo validador do SPED, o PVA (Programa Validador e Assinador), que faz com que milhares de empresas estejam enviando seus arquivos do SPED fiscal de forma incorreta sem saber.

Este ponto precisa ser ajustado, e com urgência, antes do envio do Bloco K. Relembro que, mesmo que a empresa não esteja sujeita ao Bloco K, esta é uma regra do SPED fiscal como um todo, ou seja, todos arquivos do SPED fiscal ou SPED contribuições devem seguir esta mesma lógica.

No próximo artigo falaremos sobre os cuidados com o campo tipo de item no preenchimento do cadastro do produto.


Se você deseja ter uma visão completa de todas as obrigações do Bloco K, confira o eBook que produzi em parceria com a Omie, sobre Bloco K para empreendedores e contadores.

Veja os demais passos:

Passo 1

Passo 2

Passo 3

Passo 4


Prof. Antonio Sérgio

Antonio Sérgio de Oliveira é palestrante, professor e autor de diversos livros (e-Social, SPED, Bloco K, Substituição Tributária), com mais de 25 anos de experiência no segmento tributário e fiscal.

Receba as novidades

Assine nossa newsletter

Obrigado por se inscrever!

Oops! Verifique novamente se informações estão corretas

Posts Relacionados

Artigos por autor

Receba as novidades

Receba as novidades

Obrigado por se inscrever!

Oops! Verifique novamente se informações estão corretas