O violinista de ‘Titanic’ se chamava Wallace Hartley

As falhas no planejamento estratégico empresarial podem afetar a jornada do crescimento da sua empresa, entenda como erros podem ser fatais na sua empresa.

18/Set/2019
Gestão

‘Titanic’, o filme, e o planejamento empresarial da sua empresa


Quem lê o título deste artigo pode se perguntar o que isso tem a ver com o mercado de contabilidade ou de empreendedorismo, não é mesmo?

No ano de 1997 o mundo assistiu e aplaudiu o filme ‘Titanic’, mega premiado pela Academia, concorrendo a 14 prêmios OSCAR e levando nada menos do que 11 estatuetas, sendo o primeiro filme a arrecadar mais de 1 bilhão de dólares e ficou por incríveis 12 anos como a maior bilheteria da história do cinema.

O filme conta a trágica histórica do navio RMS TITANIC, que afundou no dia 15 de abril de 1912 em sua viagem inaugural, saindo de Southampton, na Inglaterra, e tinha como destino a cidade de Nova York nos Estados Unidos. 

No filme, O TITANIC era tido como algo perfeito, intransponível e que jamais afundaria. Como algumas empresas também acreditam que sua empresa nunca quebrará.

Sabemos que o TITANIC se chocou violentamente com um iceberg gigante, ficou bastante avariado e em questão de horas afundou no mar para sempre. Assim, milhares de pessoas pereceram no mar, pelo simples fato de não haver coletes salva vidas para todos.

E acredito que todos nós nos perguntamos: 


“Será que o acidente poderia ter sido evitado se algo fosse realizado antes da tragédia?”
“Será que teríamos tantas vítimas fatais se no planejamento estratégico da viagem fosse dado a devida preocupação para a segurança de todos?”


Como o violinista de ‘Titanic’, o filme, reagiu ao ver tudo afundar

Lembrando-me do filme, me ocorre uma cena marcante. Um grupo de músicos tocando seus violinos, de forma muito compenetrada e agradável e que certamente alegravam os passageiros ao ouvir aquela música linda. 

Até aí, tudo normal, afinal de contas a música faz parte de qualquer cruzeiro e para esta incrível viagem isto não seria diferente. Mas o que não poderia acontecer, aconteceu. Após o choque com um iceberg o Titanic está condenado a afundar no mar e o resto da história todos sabem.

E o que realmente me chama mais a atenção é a cena onde os músicos, após perceberem que a morte chegará em questão de poucas horas e é inevitável - porque eles eram alguns dos que não tinham o colete salva vidas -, e num instante, surpreendentemente um deles resolve voltar ao seu posto e continuar a tocar o seu violino, atitude que é seguida por todos os demais músicos.

As falhas no planejamento estratégico empresarial e contábil

Trazendo isto para o mundo dos negócios, onde profissionais extremamente competentes e comprometidos são parte integrante dos negócios de empresários e responsáveis pelo planejamento estratégico da empresa, a pergunta que fica é: 


“O que podemos fazer para que o ‘Titanic’ de nosso cliente não afunde e fiquemos tocando o ‘violino’ enquanto isto acontece? Como ajudá-lo a evitar que seu navio colida com um iceberg antes que seja tarde?”


Ainda que extremamente criativo e empreendedor, o Brasil fecha mais de 60% de suas novas micro, pequenas e médias empresas em até 5 anos de existência, gerando um desequilíbrio econômico gigante. 

Isso através de desemprego, fornecedores com prejuízos, dívidas com o fisco, processos parados, queda de índices econômicos, empreendedores endividados, contadores e outros fornecedores que perdem suas receitas, entre dezenas de outros impactos no ecossistema.

Partindo do princípio de que toda a nova empresa tem um contador como o profissional, que está junto ao empreendedor viabilizando funcionamento da mesma, a reflexão que fica é, será que este profissional poderia: 

Enfim, ser aquele consultador consultor, que ajudasse evitar que alguns - ou muitos titanics-, afundem pelo caminho e chegam firme e saudáveis em seu destino.


Evitando o fracasso empresarial

Logicamente, o exemplo ficcional é apenas uma forma de comparação. O que queremos aqui é deixar como reflexão para que cada contador consiga visualizar nesta jornada do crescimento de cada um de seus clientes, como podemos mitigar este impacto no cenário das PMEs no Brasil.

Pensar mais em como podemos oferecer mais recursos para estes empreendedores prosperarem com mais segurança e rapidez. Como conseguimos evitar acidentes e fazer com que seus “navios” alcancem seus objetivos.

Espero que a história de Wallace Hartley, o líder dos violinistas, te inspire a fazer o que se deve ser feito, antes que tudo dê errado.

Wagner Xavier

Wagner Xavier é Diretor de Contas Especiais na Omie.
Com vasta experiência no mercado de tecnologia voltado para contadores e um fã confesso do bom rock ’n’ roll.
Quer falar com ele? wagner@omie.com.br

Receba as novidades

Assine nossa newsletter

Obrigado por se inscrever!

Oops! Verifique novamente se informações estão corretas

Posts Relacionados

Artigos por autor

Receba as novidades

Receba as novidades

Obrigado por se inscrever!

Oops! Verifique novamente se informações estão corretas