O que é Pix e como funciona essa forma de pagamento?

O pagamento instantâneo pode facilitar as transações financeiras da sua empresa! Quer saber como?

08/Abr/2022
Finanças

O Pix é uma forma de pagamento instantâneo, criado pelo Banco Central, com a finalidade de melhorar e facilitar os pagamentos e transferências realizadas entre pessoas físicas, jurídicas e empresas, mas, além desse resumo, é muito importante entender o que é pix, como funciona e a forma correta de usar!

Com essa modalidade, é possível realizar transferências ou pagamentos de maneira gratuita em até dez segundos, 24 horas por dia, em todos os 7 dias da semana. Incrível, não é mesmo?

Por isso, se você tem dúvidas de como funciona o Pix e quer saber tudo acerca deste método super útil para os mais diversos segmentos de mercado, acompanhe este artigo e saiba tudo! Vamos lá?

O que é o Pix e como funciona?

Pix trata-se do sistema de pagamento implementado pelo Banco Central, desenvolvido para facilitar todas as transações financeiras feitas no aplicativo do próprio banco de utilização, seja por pessoa física ou jurídica. Dessa forma, não é preciso baixar outro aplicativo nem realizar a abertura de uma nova conta.

Nesse sentido, o Pix pode ser considerado uma possibilidade de substituição de DOCs e TEDs, principalmente por ser um sistema gratuito e que pode ser usado em qualquer hora do dia, sem restrição de finais de semana ou feriados. Tudo isso de modo rápido, prático e com muita segurança.

Como usar Pix?

O primeiro passo para usar o sistema Pix do Banco Central é ter uma conta aberta em um banco, instituições financeiras de pagamento ou em uma fintech que ofereça esse serviço. Mas tanto quem envia o dinheiro quanto o recebedor precisam ter esse acesso.

Após isso, é preciso saber para qual endereço o valor será enviado. Trata-se da chamada chave Pix, que são cadastradas para que não seja necessário o envio de uma lista extensa de informações ao fazer pagamentos ou transferências. 

Confira abaixo todas as possibilidades de transações com o Pix pagamento instantâneo:

  • Entre pessoas físicas;
  • Pessoas físicas e estabelecimentos comerciais;
  • Entre estabelecimentos, com pagamentos para fornecedores;
  • Transferências envolvendo governamentais, para pagamentos de taxas e impostos;
  • Entre pessoas físicas e jurídicas.

Como cadastrar a chave Pix?

As chaves do sistema de pagamento instantâneo funcionam como apelidos que auxiliam no envio do dinheiro. Assim, ao invés de informar agência, conta corrente ou poupança, código do banco, nome completo e CPF ou CNPJ, é preciso repassar apenas a chave Pix. 

Conheça as opções disponíveis:

  • E-mail: pode ser cadastrado um e-mail já existente ou criado um novo correio eletrônico só para este fim;
  • Número de telefone celular;
  • CPF;
  • Sequência de números aleatórios gerados pelo Banco Central, chamadas de EVP.

Para o recebimento, é possível, ainda, a geração de um QR Code, onde o usuário ou estabelecimento que receberá o pagamento não precisa informar quaisquer dados pessoais, apenas confirmar se o titular da conta é o correto. O QR Code pode ser lido em qualquer smartphone.

Como funciona a chave EVP?

O EVP (Endereço Virtual de Pagamento), mais conhecido como chave aleatória, é um conjunto alfanumérico de letras e símbolos com 32 caracteres que identificam a conta que vai receber ou transferir o valor.

Ele é gerado pelo próprio Banco Central e a ideia é ser uma chave onde a privacidade do usuário pode ser melhor preservada, por conta do conjunto aleatório de caracteres, que também pode ser um QR code, onde não aparecem nomes, números de telefone ou CPF.

Outras informações sobre as chaves

Se você é pessoa física poderá registrar até cinco chaves diferentes por conta, caso seja titular de mais de uma conta. Já no caso de pessoas jurídicas, é possível cadastrar até 20 chaves por conta.

Um ponto importante: o usuário pode cadastrar chaves em todas as suas contas abertas, mas uma chave Pix de determinada conta não pode ser usada em outra.

Para entender melhor, imagine uma situação onde você adicionou o seu número de telefone em uma chave Pix. Ele ainda pode ser utilizado por outra conta? Não! Saiba que esse número de celular já não pode mais ser cadastrado. Nesse caso, use as outras opções disponíveis. A única possibilidade é fazer a portabilidade de chaves e mudar o vínculo para outra instituição financeira.

Como a transação do Pix é feita?

Após o cadastro da chave, é preciso saber como funciona o Pix na prática, não é mesmo? Por isso, depois de registrá-la, basta selecionar a opção Pix no aplicativo ou site da sua instituição financeira e inserir a chave do destinatário, incluir o valor e confirmar a operação. Simples, né?

Agora, se você vai utilizar o QR code, é preciso ler o código com a câmera do celular para fazer a transferência. Existem duas opções, a estática e a dinâmica, sendo o estático para comerciantes e lojistas, que fixa o preço sem a necessidade de gerar um código novo em cada compra, e o dinâmico para uso específico e individual.

Conheça outras vantagens de usar o Pix

Além das facilidades já apresentadas, como o aumento da velocidade em pagamentos e transferências que antes demoravam horas ou dias, e hoje são feitas em segundos com essa forma de pagamento instantâneo, o Pix também pode oferecer as seguintes vantagens:

  • Alavancar a competitividade e a eficiência do mercado financeiro;
  • Diminuir o custo e aumentar a segurança das transações;
  • Melhorar a experiência dos clientes;
  • Incentivar a eletronização no mercado do varejo,
  • Aumentar a possibilidade de pagamentos disponíveis.

Existe alguma tarifa no Pix?

Esse é outro ponto positivo para pessoas físicas, pois elas são isentas de cobrança de tarifas ou taxa Pix, seja para recebimento, pagamento ou envio de valores através de transferências.

Mas existem dois casos onde pessoas físicas podem ser tarifadas, que são o uso do Pix em um canal de atendimento presencial ou em caso de finalidade de compra em atividades comerciais, ou seja, você é pessoa física e está realizando uma venda de produto ou serviço.

Já no caso de pessoa jurídica, pode haver cobranças em decorrência do envio e do recebimento com frequência para fins de compra. Entretanto, a precificação é feita pela instituição financeira, assim, cada uma tem o seu valor estipulado.

Por isso, se o seu caso é pessoa jurídica, saiba que os valores cobrados na tarifa devem ser informados no comprovante de transação, no extrato da conta, no demonstrativo de utilização do serviço e na tabela de tarifas de serviços prestados da instituição financeira.

Além disso, é importante saber que todas as informações são protegidas e criptografadas pelo sigilo bancário, assim como as transferências via TED e DOC, pela Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD).

Pix como parte da transformação digital

Agora que você já sabe o que é o Pix, cadastre sua chave, facilite as suas transações e melhore o atendimento do seu negócio. Tudo isso pode gerar muitos benefícios para você e seus clientes.

E para melhorar ainda mais a experiência do seu cliente e aumentar a produtividade do seu empreendimento, tenha um sistema de gestão integrado 100% online para organizar o processo administrativo da sua empresa, tudo em um único lugar, de forma automatizada e totalmente integrada. 

Conheça a Omie e entenda como um sistema ERP pode ajudar a organizar as finanças do seu negócio e fazer sua empresa ser cada dia mais inovadora e digital!


Receba as novidades

Assine nossa newsletter

Obrigado por se inscrever!

Oops! Verifique novamente se informações estão corretas

Posts Relacionados

Artigos por autor

Receba as novidades

Receba as novidades

Obrigado por se inscrever!

Oops! Verifique novamente se informações estão corretas