A importância da substituição tributária e o ICMS-ST para as empresas

O que é substituição tributária e como se calcula o ICMS são informações importantes para os empreendedores. Entenda o processo!

26/Ago/2020
Contabilidade

O sistema tributário brasileiro é bastante complexo e não podemos nos esquecer das muitas obrigações impostas ao contribuinte, cada uma com a sua particularidade e complexidades.


Uma das obrigações que mais trazem dificuldades aos contadores e empresários é a Substituição Tributária do ICMS, sistema onde o governo estabelece uma forma diferenciada de cobrança do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços de Comunicação e Transporte Interestadual e Intermunicipal, o chamado ICMS. 


O instituto da substituição tributária existe em todo o país e está regulamentado pelo Convênio 142/18, o qual traz as regras gerais a nível nacional, e em seguida, os Estados podem regulamentá-lo também internamente.


Entenda o conceito da Substituição Tributária - ST

Podemos definir o que é a substituição tributária - ST como o regime tributário pelo qual a responsabilidade pelo recolhimento do ICMS devido em relação às operações/prestações é atribuída a outro contribuinte. 


Essa responsabilidade é atribuída, geralmente, ao fabricante/importador no que se refere às mercadorias e ao tomador no que se refere aos serviços. Ou seja, o governo cria um mecanismo em que um contribuinte deve calcular, cobrar e recolher o imposto que seria devido por outro contribuinte.


O primeiro da cadeia realiza o pagamento e os demais fazem as suas vendas sem tributar novamente o ICMS. O recolhimento vale para toda a cadeia de circulação da mercadoria, ou seja, daquele momento em diante, ninguém mais vai recolher o ICMS enquanto a mercadoria estiver circulando dentro do estado.  


A indústria fica responsável pelo recolhimento tanto do ICMS devido pelas suas próprias vendas, quanto pelo ICMS incidente nas operações subsequentes, chamado ICMS-ST.


Por que a substituição tributária é importante para as empresas?

O primeiro motivo está vinculado à obrigatoriedade de todas as empresas a cumprir com tudo aquilo que a legislação estabelece. Sabemos que o não cumprimento das obrigações pode acarretar em multas e outras sanções, como a apreensão da mercadoria em trânsito, por exemplo.


A substituição tributária é um sistema um pouco complexo, que pode gerar certas dúvidas aos empresários quanto a sua aplicação. 


Na ST, os valores de ICMS envolvidos na operação são acrescentados diretamente na nota fiscal, o que modifica o preço da mercadoria negociada. Por isso, se os cálculos não estiverem corretos, a empresa pode acabar recolhendo imposto a mais ou a menos, o que nas duas hipóteses seria um motivo para penalização.


Outra informação que aparece nos documentos fiscais emitidos com substituição tributária é o CEST, ou código especificador da substituição tributária. Esse código nada mais é do que uma identificação padrão para cada uma das mercadorias e bens que estão sujeitos à ST. A padronização tem como principal objetivo identificar mais facilmente quais são os produtos que que estão sujeitos a esse regime de tributação, assim como a antecipação de recolhimento do imposto.


A sistemática de aplicação da substituição tributária define que a empresa responsável pelo cálculo e pagamento do imposto deve cobrar do cliente o valor devido e repassar ao governo.


O que é Substituto e Substituído da ST?

Na substituição tributária, temos dois participantes, o substituto e o substituído. É muito importante conhecer estas definições para depois entender qual é o papel de cada um na hora de emitir a nota fiscal


Lembrando que esses papéis não são fixos, ou seja, uma empresa ora pode estar de um lado, ora pode estar de outro.


Substituto na ST

O substituto na ST é aquele a quem a legislação obriga a, no momento da venda de seu produto, além de pagar o imposto próprio, fazer a retenção do imposto referente às operações seguintes, recolhendo-o em separado daquele referente a suas próprias operações. 


Esse papel de substituto é atribuído aos fabricantes e aos importadores de produtos estrangeiros, ou seja, é sempre aquele que é o primeiro da cadeia de circulação do produto.


Substituído na ST

Já o substituído é quem recebe o produto de um fabricante ou de um importador com o ICMS  já recolhido numa etapa anterior. Esse papel costuma ficar com o comerciante, seja ele atacadista ou varejista, que adquire a mercadoria com imposto retido. 


Assim, os contribuintes enquadrados nas atividades de atacadista, distribuidor ou comerciante já recebem as mercadorias com o imposto retido nas aquisições internas.


Base de cálculo do ICMS-ST para operação interna

No 8º artigo da Lei Complementar 87/96, ao tratar do regime de substituição tributária, fica determinado que a base de cálculo será o valor correspondente ao preço de venda para o consumidor, acrescido do valor do frete, IPI e demais despesas debitadas ao estabelecimento destinatário, bem como a parcela resultante da aplicação do percentual de valor agregado (IVA), também chamado de margem de lucro. 


O IVA - Índice de Valor Agregado, é estabelecido pelo fisco de acordo com os aspectos específicos de cada mercadoria.


BC = (Valor mercadoria + frete + IPI + outras despesas) x Margem de lucro ou IVA


Como calcular o ICMS-ST na prática

Para ilustrar como fazer o cálculo do ICMS, vamos utilizar uma operação realizada por um fabricante de autopeças estabelecido no Estado de São Paulo, com destino a um cliente localizado também no Estado de São Paulo, cujo valor da venda é de R$ 1.000,00 e com IPI calculado a uma alíquota de 15%. Acompanhe abaixo:


ICMS da operação própria do fabricante: 

R$ 1.000,00 x 18% (alíquota interna para a mercadoria) = R$ 180,00


Base cálculo da Substituição Tributária

R$ 1.000,00 + R$ 150,00 (IPI) + 40% (índice de valor agregado) = R$ 1.610,00


R$ 1.610,00 x 18 % (alíquota interna praticada no Estado de SP) = R$ 289,80


O valor do imposto substituição será a diferença entre o ICMS calculado com o acréscimo do IVA e o devido pela operação normal do estabelecimento que efetuar a substituição tributária. E então, temos:


R$ 289,80 – R$ 180,00 = R$ 109,80.


O imposto a ser pago por substituição tributária de R$109,80 será somado na fatura/duplicata. Portanto, trata-se de um valor a ser cobrado do adquirente, junto com o valor das mercadorias ou serviços faturados.


As vantagens da Substituição Tributária ao Fisco

Facilidade de fiscalização

Com a ST, o Fisco passa a fiscalizar apenas os fabricantes para, indiretamente, alcançar o atacado e o varejo, ou seja, eliminar o trabalho de fiscalizar todos os atacadistas e varejistas quanto ao recolhimento de impostos.


Recebimento antecipado

Na sistemática normal de débito e crédito do ICMS, o Fisco só receberia o imposto das vendas do atacado e do varejo à medida em que as mercadorias fossem vendidas. Em um ciclo que pode durar vários meses até a venda completa de tudo que foi produzido pela indústria, com a sistemática da ST, o Fisco consegue receber todo o imposto de uma só vez.



Diminuição da sonegação fiscal

A entrada do produto na ST traz como consequência imediata uma drástica diminuição da sonegação fiscal, visto que toda a produção já precisa sair da indústria obrigatoriamente com o imposto recolhido.


Por fim, em razão da sistemática substitutiva do ICMS, as posteriores operações e prestações internas realizadas pelos contribuintes substituídos não mais terão recolhimento do ICMS, encerrando-se assim, o ciclo desta tributação.


Mas, fique atento! Se a mercadoria for objeto de nova saída interestadual, haverá a necessidade de calcular novamente o ICMS normal e o ICMS substituição quando o Estado destinatário possuir acordo com o estado remetente. Lembre-se sempre de consultar um contador para ajudar nas operações da sua empresa e se manter sempre em dia com o Fisco!


Para saber mais sobre as obrigações legais de todo empresário para com o Fisco, confira também o artigo sobre escrituração fiscal e acompanhe o Blog Omie para mais conteúdos.



Receba as novidades

Assine nossa newsletter

Obrigado por se inscrever!

Oops! Verifique novamente se informações estão corretas

Posts Relacionados

Artigos por autor

Receba as novidades

Receba as novidades

Obrigado por se inscrever!

Oops! Verifique novamente se informações estão corretas