PMEs crescem 4,9% em maio, com destaque para Serviços e Indústria

Após crescimento de +1,9% em abril, dados do IODE-PMEs de maio refletem a recuperação na confiança dos consumidores após incentivos fiscais e alívio nas pressões inflacionárias
Navegação Rápida
Navegação Rápida
  • Após crescimento de +1,9% em abril, dados do IODE-PMEs de maio refletem a recuperação na confiança dos consumidores após incentivos fiscais e alívio nas pressões inflacionárias
  • Índice também indica retração do Comércio (-3,4%) no período

Junho de 2023 – Em maio de 2023, o Índice Omie de Desempenho Econômico das PMEs (IODE-PMEs) mostra que a movimentação financeira média das pequenas e médias empresas (PMEs) brasileiras cresceu 4,9% na comparação com maio de 2022. O índice mostra importante recuperação após a desaceleração observada em abril, mas segue apresentando comportamento distinto entre os principais setores do mercado. No acumulado do ano até maio, o IODE-PMEs mostra crescimento de 2,9% na comparação com igual período do ano anterior.

O IODE-PMEs funciona como um termômetro econômico das empresas com faturamento de até R$ 50 milhões anuais, consistindo no monitoramento de mais de 120 mil empresas divididas em 660 atividades econômicas que compõem quatro grandes setores: Comércio, Indústria, Infraestrutura e Serviços.

Segundo Felipe Beraldi, gerente de Indicadores e Estudos Econômicos da Omie, plataforma de gestão (ERP) na nuvem, o desempenho do índice no último mês acompanha a recuperação da confiança dos consumidores diante de um contexto de melhores perspectivas para a evolução da renda das famílias (com a resiliência do mercado de trabalho e diversos incentivos fiscais) e de alívio das pressões inflacionárias no país. “O índice de confiança do consumidor da FGV (ICC-FGV) registrou relevante crescimento em maio (aumento de 1,4 ponto – atingindo o maior patamar desde outubro de 2022), sobretudo pela melhora das expectativas dos agentes com a situação econômica geral do país e, especificamente, com a situação das finanças familiares”, explica Beraldi.

Diante deste quadro, as perspectivas para o Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro em 2023 voltaram a subir nas últimas semanas, com o mercado adotando um tom mais positivo, mesmo com o aperto monetário ainda em curso. Neste sentido, o IODE-PMEs já indicava resiliência da atividade econômica brasileira no início de 2023, ao encerrar o primeiro trimestre com crescimento de 2,5% na comparação anual.

Figura 1: IODE-PMEs (Número índice – base: média 2021=100)

gráfico IODE jun 2023

Fonte: IODE-PMEs (Omie)

Nos setores monitorados, a movimentação financeira real média foi influenciada, especialmente, pelos segmentos de Serviços (+3,8% ante maio de 2022) – com destaque para a evolução dos segmentos de ‘Atividades profissionais, científicas e técnicas’, ‘Atividades financeiras’ e ‘Atividades de serviços pessoais’ –, e Indústria (+4,1%) – sendo o terceiro mês consecutivo de expansão, liderado por ‘Fabricação de móveis’, ‘Fabricação de autopeças e implementos rodoviários’ e ‘Fabricação de equipamentos de informática, produtos eletrônicos e ópticos’.

O IODE-PMEs também mostrou modesto avanço do setor de Infraestrutura no último mês (+1,2% na comparação com maio de 2022), após o fraco resultado apresentado pelo setor em abril (-11,9%). O indicador está diretamente ligado à manutenção do desempenho positivo das atividades do segmento de ‘Serviços especializados para construção’ – com destaque para obras de acabamento imobiliárias.

Contudo, os dados do IODE-PMEs ainda mostram recuo do Comércio (-3,4% ante maio de 2022), após retração já verificada também em abril (-3,1%). No setor, houve queda nos segmentos atacadista (-1,7%) e varejista (-8,9%) no último mês. Especificamente no varejo, mesmo com o bom desempenho, em maio, de segmentos com vendas tradicionalmente afetadas pela ocorrência do Dia das Mães – tais como ‘plantas e flores naturais’ e ‘artigos de joalheria’ -, observou-se quedas na comparação anual desde fevereiro de 2023. De toda forma, as PMEs do comércio relacionado a veículos tiveram expansão de 1,6% no período, restringindo a queda observada no setor como um todo no último mês.

“Em linhas gerais, o mercado de PMEs mantém ritmo de expansão no decorrer do segundo trimestre deste ano, ainda que os resultados distintos entre os grandes setores da economia , com destaque para o crescimento de Serviços e a perda de fôlego do Comércio. Ainda que as taxas de juros em níveis elevados dificultem a evolução do consumo, as perspectivas relativamente mais positivas do mercado para a evolução da renda das famílias brasileiras se configuram como um importante condicionante para o mercado de pequenas e médias empresas no curto prazo”, finaliza Beraldi.

Sobre o Índice Omie de Desempenho Econômico das PMEs (IODE-PMEs)

Compreendendo a relevância das PMEs no desempenho econômico do nosso país, a Omie desenvolveu o Índice Omie de Desempenho Econômico das PMEs (IODE-PMEs), que acompanha as atividades econômicas das pequenas e médias empresas brasileiras. A pesquisa da scale-up Omie é um tipo de apuração inédita entre as empresas do segmento, atuando como um termômetro econômico das empresas com faturamento de até R$ 50 milhões anuais, além de oferecer uma análise segmentada setorialmente do mercado de PMEs no Brasil. Para elaborar os índices, a Omie analisa dados agregados e anonimizados de movimentações financeiras de contas a receber de mais de 120 mil clientes, cobrindo 660 CNAEs (de 1.332 subclasses existentes) – considerando filtros de representatividade estatística. Os dados são deflacionados com base nas aberturas do IGP-M (FGV), tendo como base o índice vigente no último mês de análise, com o objetivo de expurgar o efeito meramente inflacionário na série temporal, permitindo que se observe a evolução das movimentações financeiras em termos reais.

Compartilhe este post
Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp
Conteúdos relacionados
IODE 1
Indústria e Comércio foram os destaques no terceiro trimestre e Serviços e Infraestrutura mostram movimentação financeira real abaixo do verificado
IODE 2
Crescimento se mostrou disseminado entre os grandes setores monitorados no mês
IODE 1
Monitoramento setorial pelo IODE-PMEs indica que indústria e comércio sustentaram o resultado positivo de agosto