Como abrir uma franquia: confira 10 passos importantes

Veja o passo a passo de como abrir uma franquia e seus benefícios. Saiba tudo a respeito de como ser um franqueado.

15/Mar/2022
Franquias

O modelo de franquia já é considerado um dos mais seguros e lucrativos para o empreendedor. Com inúmeros benefícios atrelados, é possível, por exemplo, alcançar melhores linhas de crédito, contar com planejamento de marketing e suporte empresarial. Com tantas vantagens, falta só você entender como abrir uma franquia, certo?

O sucesso desse modelo de negócio é tanto que, apenas no Brasil, existem mais de 170 mil unidades franqueadas, gerando mais de 1,4 milhão de empregos, de acordo com dados da Associação Nacional de Franchising (ANF).

Por isso, falaremos neste artigo sobre o passo a passo para que você, de fato, seja um franqueado de sucesso. Confira!

10 passos de como abrir uma franquia e ser um empreendedor de sucesso

Entendemos que cada empreendedor precisará passar por procedimentos específicos ao abrir sua franquia, dependendo do seu modelo de investimento e do setor em que irá atuar. No entanto, a partir de pesquisa e conversa com especialistas da área, reunimos alguns passos comuns a todos que desejam começar a ser franqueados. 

Chamamos a atenção para o fato de que, quanto maior a franqueadora a ser requisitada, como McDonalds, por exemplo, maior também será a padronização deste processo. Em empresas de grande porte, existem até mesmo áreas específicas de relacionamento e acompanhamento dos franqueados.

Veja abaixo algumas dicas práticas de como abrir uma franquia de sucesso!

1. Analise se você tem o perfil do franqueado

Antes de entrar em contato com alguma franqueadora, sugerimos que você faça uma autorreflexão e consiga entender, com bastante certeza, se você possui o perfil ideal para esse modelo de negócio. O franqueado precisa avaliar se suas características dão “match” com os perfis de sucesso na sua área, em específico. 

Entre algumas delas, podemos destacar algumas que são quase obrigatórias para quem deseja começar a sua própria franquia. São elas:

Dedicação e tempo para investir no desenvolvimento do negócio

Mesmo que o você conte com o apoio de uma equipe para o trabalho estratégico, a união entre franqueado e franqueadora é baseada no chamado “sistema de gestão compartilhada”. Ou seja, o gerenciamento da marca é dividido entre as duas partes, que precisam se comprometer para o sucesso do negócio.

É muito comum o novo empreendedor  ter um emprego fixo ou outra atividade no dia a dia, além da dedicação com a franquia, no entanto, a curto prazo isso pode ser um impedimento para o retorno do seu investimento, já que você terá  menos tempo para dispor no seu projeto.

Dentro das suas possibilidades, então, coloque em mente a necessidade de se dedicar em tempo integral, inclusive finais de semana e feriados, além de tentar construir uma reserva financeira, para que mesmo enquanto a franquia está na fase inicial você tenha como viver estavelmente.

Perfil de empreendedor

Antes de tudo, o franqueado é um empreendedor. Ele se organiza para implementar novos negócios, ou reformulações em empresas que já existem. Por isso, ele passa por dificuldades e precisa ter algumas características mais particulares.

A mais importante delas, sem dúvidas, é a resiliência: a capacidade de superar problemas a partir da adaptação ou pela resistência a situações mais complexas. Outros, que merecem destaque, são o comprometimento com seu projeto e a atualização constante.

Se você acredita que não possui essas características, pense duas vezes antes de abrir a franquia! Leve em consideração, também, que todos precisam de tempo para desenvolver suas habilidades e competências e que elas sem dúvidas podem ser adquiridas.

Solucionador de problemas

No dia a dia de um empreendimento os colaboradores podem ter grandes dificuldades na entrega do produto ou serviço final. Além disso, algo pensado estrategicamente talvez não se concretize com o passar do tempo. É aí que entra uma outra grande característica do franqueador: ser mais propositivo e criativo, para orientar as pessoas a sua volta.

Sua capacidade analítica, buscando soluções a partir de elementos aparentemente não conectados entre si, também precisa ser muito apurada. Afinal, é ele que precisará entender como os processos internos da franquia afetarão o atendimento e o serviço ao cliente.

Colaboração e engajamento

Apesar da superioridade da franqueadora nas decisões da marca, o franqueador precisa colaborar para o melhor andamento das atividades. Ajudar, ter ideias, auxiliar no que for necessário a todos os envolvidos. Afinal, a união de ideias é muito mais benéfica do que o isolamento em si mesmo.

O espírito colaborativo precisa ser tanto que, no fim, haja um engajamento coletivo para que todos - você, seus colaboradores (caso houver) e o franqueador - sintam confiança e ligação profunda com as atividades que fazem. Um chefe que não engaja, hoje em dia, terá sérias dificuldades em reter talentos, e alimentará um turnover altíssimo.

Liderança

Palavra tão usada no dia a dia, ela ganha ainda mais relevância caso você decida ser um franqueado. Para lidar com essa responsabilidade, é necessário realizar boas análises e tomar decisões. 

O direcionamento dado entre franqueado e franqueador definirá o futuro de todas as pessoas envolvidas na operação. Por isso, é relevante não só se reconhecer como líder, mas procurar auxílio externo, como cursos, livros e profissionais que ajudem a desenvolver melhor essa característica.

2. Entenda quanto dinheiro você tem para investir

Para rever o investimento esperado, especialistas em Contabilidade e Finanças indicam que você já tenha guardado ao menos um valor três vezes maior do que o mínimo para o custo inicial de abertura da franquia.

Além da taxa de abertura, é necessário pagar taxas mensais como: royalties da marca, publicidade, aluguel, salários e impostos. 

Para tanto, não deixe de ter uma boa planilha de controle financeiro ou conte diretamente com os serviços de um contador, para te auxiliar a lidar com todas essas questões relacionadas a dinheiro, investimento e reservas.

3. Conheça as leis e burocracias envolvidas

Com o intuito de ratificar o compromisso entre franqueador e franqueado, são necessários alguns procedimentos financeiros e jurídicos. Assim, todas as partes ficam asseguradas e os combinados se tornam mais claros aos envolvidos, evitando contratempos futuros. 

Alguns deles, ou os mais importantes, que precisam ser estudados por qualquer pessoa que tenha a intenção de se tornar um franqueado, são os seguintes:

  • Lei de Franquias (nº 13.966/2019): Legislação que dispõe sobre o contrato de franquias empresariais (franchising), base de todo o setor. 
  • Circular de Oferta de Franquia (COF): Documento inicial oferecido pela franqueadora, que mostra não só a oferta de franqueamento, mas toda a análise realizada, bem como informações principais da franqueadora;
  • Contrato de Franquia: Acordo mútuo entre as duas partes interessadas, ele precisa ser avaliado minuciosamente, para entender se todos os itens da oferta foram inseridos com clareza.
  • Balancetes Contábeis da Empresa Franqueadora: Indicativo da saúde financeira da empresa que receberá o investimento, provando que ela possui credibilidade e provas concretas de que honrará os compromissos acertados;

As porcentagens das principais taxas já comentadas, como comissões e royalties, podem variar de acordo com as condições envolvidas. O ideal é que, ao lidar com a franqueadora, você tenha, à sua disposição, um advogado e um contador que expliquem os riscos e compromissos envolvidos. 

As franqueadoras, por sua vez, disponibilizam esses profissionais e podem ser requisitados pelos futuros franqueados.

4. Defina o segmento que irá atuar 

O franchising é um setor diversificado que possibilita a atuação em inúmeros segmentos, sendo que cada nicho possui subnichos e cada um deles têm suas características, adequando-se a diferentes perfis de empreendedores e investidores. 

Uma boa definição do segmento pode partir de dois elementos. O primeiro é a afinidade com o setor. Você irá passar horas do seu dia dedicado ao projeto e por isso, precisa gostar muito do assunto.

Além disso, não adianta só gostar. Precisa ter visão de futuro! Será que o setor que você gostaria de investir possui sustentabilidade a longo prazo? Daqui a dez anos, ele continuará a atender a dor dos clientes que atende hoje ou ela será atendida por uma outra empresa?

Dois ótimos exemplos das franquias que acompanham as tendências do mercado e da inovação tecnológica, por exemplo, são as de tecnologia e contabilidade. Confira também alguns exemplos de grandes franquias em diferentes segmentos:

  • educação: Wizard, Fisk e Kumon;
  • fast-food: McDonalds, Bob’s e Ragazzo;
  • vestuário e roupas: Chilli Beans, Renner e Reserva;
  • outras: O Boticário, Cacau Show, Subway.

5. Escolha entre os tipos de franquia 

O mercado de franchising oferece diferentes oportunidades para quem deseja ser um franqueado, que variam tanto de investimento inicial quanto de infraestrutura necessária para o andamento. Dê uma olhada!

Franquia Unitária

É o modelo mais comum do mercado. Por ele, o franqueador permite a abertura de uma única unidade da empresa. Além disso, oferece também a exclusividade para comercializar a marca, em um espaço determinado previamente por ele.

Os principais exemplos são as lojas e quiosques de shopping center. Marcas de vestuário e de compra rápida são as que melhor exploram essa estratégia.

Microfranquia

Considerada menor do que a franquia unitária, em termos de infraestrutura necessária, a rotina da microfranquia é bem mais adaptável. Ela pode ser moldada a partir dos hábitos do franqueado e até mesmo ser realizada por home office.

O principal atrativo é o baixo investimento inicial, que pode ser entre R$2 mil a R$86 mil. 

Franquia Master

Voltado a empresários mais maduros, é por meio da franquia master que alguém adquire o direito de representar determinada região, implantando mais de uma unidade. Elas podem ser administradas pelo próprio franqueado ou mesmo terceirizadas.

O investimento é maior, mas o lucro costuma ser proporcional. Além disso, para a expansão e a manutenção das lojas, você terá ainda mais apoio da franqueadora, dada a responsabilidade em ambos os lados.

Franquia de Desenvolvimento de área

Com ele, você se torna responsável por uma região bem maior do que a franquia master. A estratégica comercial é usada por empresas que desejam fortalecer a marca nacional e internacionalmente. Neste caso, o empreendedor se compromete a abrir certa quantidade de unidades em uma área de interesse pré determinada.

Exige, também, mais investimento, porque em geral, é adotada em áreas de “oceano azul”, ou seja, nas quais não há nem mesmo concorrência ou clientes já acostumados ao serviço oferecido. É a que mais exige dedicação do empresário, também.

Shop in Shop

Chamado de business in, ele permite que o empresário instale um quiosque dentro de um outro estabelecimento. Isso faz com que possam ser comercializados produtos complementares aos que são vendidos nas lojas. Pode-se aproveitar o público interessado nos dois produtos.

É um recurso muito utilizado por varejistas, que colocam diferentes produtos em ofertas nas suas grandes lojas.

Após avaliar os tipos de franquia, é necessário pensar no modelo de negócio em que deseja atuar. Isso porque, os modelos variam entre quiosques, lojas e home based, com franquias online sem a necessidade de um ponto comercial físico. O modelo deve estar diretamente ligado ao segmento escolhido. 

6. Pesquise o mercado da sua região

Uma franquia pode ser um excelente negócio em uma região, porém péssimo em outra. Esses fatores devem ser estudados antes de considerar abrir uma franquia. 

Então, analise o mercado onde pretende se inserir, as características do local e seus potenciais clientes. Ainda, estude onde eles costumam adquirir serviços, se sua franquia seria adequada a eles. 

Instituições de fomento ao desenvolvimento econômico, como o SEBRAE, e observatórios econômicos regionais, oferecem relatórios periódicos sobre as atividades dos Estados. Procure saber mais sobre o serviço oferecido por esses canais.

7. Converse com outros franqueados

É ótimo estar por dentro do ponto de vista do franqueado. Por isso, é aconselhável que converse com três, pelo menos, um em cada uma destas etapas: em implementação, implementada há poucos meses e implementada há mais de um ano.

Ao se encontrar com os franqueados, pergunte sobre:

  • Gastos com inauguração;
  • Como foi a implementação?
  • Se receberam (e recebem ainda) o suporte;
  • Como estão as vendas?
  • Quais os desafios enfrentados?
  • De quanto foi o capital de giro necessário? 

Nessa etapa, você vai obter muitas informações para os estágios seguintes, como a análise de custos. Esse passo dará a você a segurança e confirmação de que precisa para continuar com a decisão sobre o tipo de franquia. 

8. Escolha o ponto comercial

Se você optou por uma franquia home based, pule essa etapa, já que não será necessário um ponto físico. Caso opte por uma franquia em que o modelo é loja física, a escolha do local é essencial, já que ele deve ser adequado ao serviço ou produto que você prestará, para ter uma boa avaliação de retorno. 

Uma dica é a pesquisa de geomarketing, na qual a escolha é feita junto à franqueadora, que prestará orientação e auxílio.

9. Entre em contato com a franqueadora

O próximo passo é entrar em contato com a franqueadora, seja por meio do seu site oficial ou por um portal de franquias.

Funciona assim: após iniciar a negociação, será feito o processo de seleção, avaliação do seu perfil pela franqueadora e a elaboração da Circular Oferta de Franquia (COF). Este é o documento que especificará todas as responsabilidades do franqueado e deveres da franqueadora. Após isso, só faltará a assinatura do contrato de franquia e o negócio estará fechado.

10. Início da operação

Bom, chegamos a um passo importante e desafiador. Após todos os procedimentos acima, iniciam-se, por parte da franqueadora, os treinamentos e a transmissão do know-how da marca. Trata-se da hora em que o franqueado aprenderá toda a operação no padrão da rede para, então, a unidade entrar em operação. 

Animado para ter sua própria franquia?

Ao ver todas as vantagens e procedimentos, você ficou com vontade de empreender? Se a sua resposta for sim, nossa dica é que você faça o investimento no setor que mais cresce no Brasil: o da tecnologia. Por meio da Omie, que oferece soluções para negócios em todo o país, você consegue fazer parte de um ecossistema promissor.

A Omie oferece software ERP, que reúnem o gerenciamento de diferentes áreas das empresas, de modo integrado e condizente com as necessidades de cada negócio. Nossos modelos de franquia, tanto a franquia padrão quanto a microfranquia, são necessárias para isso.

Além disso, temos a credibilidade conquistada na atuação com contadores e empreendedores em diferentes regiões do país, oferecendo suporte de qualidade desde o início do seu projeto. Seja um parceiro Omie!

Receba as novidades

Assine nossa newsletter

Obrigado por se inscrever!

Oops! Verifique novamente se informações estão corretas

Posts Relacionados

Artigos por autor

Receba as novidades

Receba as novidades

Obrigado por se inscrever!

Oops! Verifique novamente se informações estão corretas