EPI: entenda o que é e qual a sua importância

Saiba como o EPI garante segurança e integridade para funcionários e para empresas
Navegação Rápida
Navegação Rápida

A preocupação com a segurança e a integridade dos trabalhadores por meio do Equipamento de Proteção Individual — EPI — deve ser prioritária para as empresas, especialmente em um cenário em que o Brasil se destaca negativamente em estatísticas de acidentes de trabalho.

EPIs reduzem significativamente as chances de incidentes, doenças ocupacionais e, consequentemente, mortes. Sendo assim, são mais que obrigações empresariais e evidenciam a necessidade de uma cultura de segurança robusta.

Banner - da gestão financeira à organização de contratos

O que é EPI?

No Brasil, a consciência sobre a importância dos EPIs ganhou força com o governo de Getúlio Vargas e o surgimento de grandes companhias.

O Equipamento de Proteção Individual (EPI) é todo dispositivo de uso pessoal destinado a proteger os trabalhadores contra riscos que possam ameaçar sua segurança e saúde no ambiente de trabalho.

Além do aspecto de proteção individual, o EPI desempenha um papel crucial na prevenção de acidentes de trabalho. Dados revelam que o Brasil é o quarto no ranking mundial de acidentes de trabalho, com uma morte a cada 3 horas e 40 minutos.

Para que servem os EPIs de segurança?

Os Equipamentos de Proteção Individual têm como função principal neutralizar ou diminuir os riscos a que os trabalhadores estão expostos em suas atividades diárias. Cada EPI é projetado para proteger uma parte específica do corpo contra tipos específicos de perigos, garantindo a segurança e a saúde dos empregados.

Desde proteger a cabeça com capacetes até resguardar os pés com calçados de segurança, cada peça tem sua relevância e aplicação, de acordo com o ambiente de trabalho e os riscos identificados.

Além de oferecer proteção contra impactos físicos, substâncias químicas, ruídos excessivos, radiações e riscos biológicos, os EPIs também previnem acidentes que podem levar a lesões mais graves ou até mesmo fatais.

Por exemplo, um simples capacete pode salvar a vida de um trabalhador ao evitar ou minimizar os danos de uma queda de objeto.

De forma similar, luvas de proteção específicas podem prevenir queimaduras químicas nas mãos, enquanto óculos de segurança protegem os olhos contra a projeção de partículas.

A importância dos EPIs de segurança no trabalho, portanto, transcende a simples obrigação legal; eles são uma questão de preservar a vida e a integridade física dos trabalhadores.

O que diz a legislação sobre o uso de EPI?

No Brasil, a norma regulamentadora nº 6 (NR-6), do Ministério do Trabalho, estabelece que o uso de EPI é obrigatório sempre que as condições de trabalho apresentarem riscos à saúde ou à segurança dos trabalhadores.

Essa normativa não apenas exige que as empresas forneçam os EPIs de forma gratuita aos seus empregados, mas também que garantam a qualidade e a eficácia dos equipamentos através do Certificado de Aprovação (CA).

Além disso, é responsabilidade das empresas orientar e treinar os trabalhadores sobre o uso correto dos EPIs, bem como supervisionar e fiscalizar sua utilização adequada.

As Normas Regulamentadoras (NRs), como a NR-4, NR-5, e a própria NR-6, são fundamentais para estabelecer um ambiente de trabalho seguro e saudável, minimizando os riscos de acidentes e doenças ocupacionais.

A NR-6 especifica que os EPIs devem ser utilizados enquanto medidas de proteção coletiva estiverem sendo implantadas ou em situações de emergência, reforçando a importância dos EPIs como última barreira de proteção ao trabalhador.

Cabe também destacar o papel da Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (CIPA) e do Serviço Especializado em Engenharia de Segurança e em Medicina do Trabalho (SESMT) na promoção da segurança do trabalho, incluindo a correta utilização dos EPIs.

Esses órgãos são essenciais para assegurar que as diretrizes da NR-6 e outras normativas sejam aplicadas efetivamente nas empresas.

Quando é necessário usar os EPIs

A necessidade de utilizar Equipamentos de Proteção Individual (EPI) se manifesta em várias situações de trabalho, especialmente quando há exposição a riscos que podem afetar a saúde e segurança do trabalhador.

Isso é muito visto em ambientes industriais, onde os riscos de acidentes são frequentemente mais elevados devido à natureza das atividades executadas, como manuseio de maquinário pesado, exposição a produtos químicos ou trabalhos em altura.

Em setores como a construção civil, metalurgia, química e até mesmo na área de saúde, o uso de EPIs é crucial para a proteção contra uma variedade de riscos. Isso inclui proteção contra impactos físicos, produtos químicos, ruídos, radiações, e riscos biológicos.

Cada tipo de trabalho requer equipamentos específicos, como capacetes para proteção da cabeça em canteiros de obras, luvas de proteção química para laboratórios, ou protetores auriculares em ambientes com elevado nível de ruído.

Ainda, é fundamental que se realize uma avaliação de riscos detalhada para identificar todos os perigos potenciais e determinar quais EPIs são necessários para cada tarefa específica, o que pode ser feito com um bom sistema de gestão em indústria, chamado de sistema ERP industrial.

EPIs para riscos comuns em indústrias

Nesses ambientes, alguns desafios são enfrentados, dentre os mais comuns:

  • Proteção respiratória: em ambientes com poeira, vapores químicos ou gases nocivos, o uso de respiradores é crucial. Existem diferentes tipos, incluindo respiradores descartáveis, respiradores com filtros intercambiáveis e máscaras de ar mandado. A seleção depende do tipo e da concentração dos contaminantes. Por exemplo, em indústrias químicas, os respiradores com cartuchos específicos para vapores orgânicos são frequentemente necessários;
  • Proteção contra ruídos: em áreas com níveis de ruído elevados, como setores de prensas ou usinagem, protetores auditivos, como abafadores de ruídos ou tampões, são indispensáveis. A escolha entre modelos depende do nível de redução de ruído desejado (NRR – Nível de Redução de Ruído) e da preferência pessoal do usuário;
  • Proteção da pele e do corpo: para trabalhadores expostos a produtos químicos ou metais quentes, aventais, luvas e mangas de materiais resistentes a químicos ou a altas temperaturas são essenciais. A seleção do material depende do agente químico ou do nível de calor com que o trabalhador entrará em contato;
  • Proteção ocular e facial: óculos de segurança com proteção lateral, viseiras ou máscaras completas são necessários em operações que envolvem risco de projeção de partículas, respingos químicos ou exposição a radiação. A escolha deve considerar o risco específico e a necessidade de correção visual;
  • Proteção contra quedas: para trabalhos em altura, sistemas de retenção de quedas, como cinturões tipo paraquedista com absorvedores de energia e linhas de vida, são mandatórios. A configuração do sistema deve ser adequada à estrutura disponível para ancoragem e à dinâmica do trabalho realizado.

Vantagens de utilizar EPIs

Entre os principais benefícios, estão a redução significativa da incidência de acidentes de trabalho e de doenças ocupacionais, contribuindo para a manutenção da saúde e bem-estar dos empregados.

Ainda, a adoção de EPIs pode levar a uma redução nos custos associados a acidentes de trabalho, incluindo despesas médicas, indenizações e perda de produtividade devido a afastamentos.

Empresas que demonstram um compromisso com a segurança do trabalho tendem a ter uma imagem positiva tanto internamente quanto perante o mercado, atraindo talentos e construindo uma cultura corporativa de valorização e cuidado com os empregados.

Outra vantagem importante é a conformidade legal. Ao fornecer EPIs adequados e assegurar sua correta utilização, as empresas evitam penalidades, multas e processos trabalhistas. Estes, poderiam surgir devido ao não cumprimento das normas de segurança e saúde no trabalho. Isso também inclui a preparação adequada para inspeções e auditorias de órgãos reguladores.

Principais tipos de EPIs

Os Equipamentos de Proteção Individual são classificados com base na parte do corpo que protegem e na natureza dos riscos que mitigam. Confira os principais tipos de EPIs e suas aplicações:

Capacetes

Protegem contra impactos na cabeça, quedas de objetos, choques elétricos e outros riscos presentes principalmente em canteiros de obras e indústrias.

Óculos de segurança

Essenciais para proteger os olhos contra partículas volantes, respingos químicos, radiação e intensa exposição à luz, são indispensáveis em laboratórios, oficinas e fábricas.

Protetores auriculares

Usados para reduzir a exposição a níveis de ruído prejudiciais à audição, essenciais em ambientes industriais, construção civil e locais com maquinário pesado.

Luvas de proteção

Existem diferentes tipos de luvas para proteger contra cortes, queimaduras, produtos químicos e choques elétricos. Sua utilização é necessária em uma ampla gama de setores, incluindo a saúde, a indústria química, e o manuseio de materiais cortantes.

Calçados de segurança

Protegem contra quedas de objetos, perfurações, choques elétricos e ambientes úmidos ou escorregadios. São fundamentais para trabalhadores da construção civil, indústria e serviços de limpeza.

Respiradores

Garantem a proteção das vias respiratórias contra a inalação de gases tóxicos, poeiras e vapores químicos. Essenciais em ambientes com risco de contaminação do ar, como indústrias químicas e espaços confinados.

Cinturões de segurança e equipamentos para trabalho em altura

Incluem cintos de segurança tipo paraquedista e sistemas de ancoragem para proteger contra quedas, essenciais em trabalhos realizados acima do solo, como em torres, telhados e andaimes.

Crescimento e segurança de mãos dadas com a Omie

Além de ser uma exigência legal, a utilização correta de EPIs reflete o compromisso das empresas com a preservação da vida e a integridade física de seus colaboradores.

Nesse cenário, a tecnologia e a inovação desempenham um papel crucial, possibilitando não apenas a gestão eficiente da segurança no trabalho, mas também o crescimento sustentável das empresas.

Negócios que optam pela Omie experimentam um crescimento 50% acima da média do mercado.

Com o sistema de gestão online da Omie, os empreendedores conseguem otimizar processos financeiros e administrativos, liberando tempo para se concentrarem em estratégias de crescimento e na implementação de práticas de segurança eficazes.

Empresas que se dedicam tanto à segurança dos seus colaboradores quanto à eficiência dos seus processos estão bem posicionadas para prosperar e fazer a diferença.

Pronto para fazer sua empresa crescer com segurança e eficiência? Descubra como as soluções Omie para empreendedores podem ajudar.

Banner experimente - reduza os custos e ganhe mais eficiência em suas operações

Compartilhe este post
Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp
Conteúdos relacionados
Market Share
Descubra o Market Share e como ele é importante para o seu negócio. Entenda o conceito e aprenda a calcular
canais de vendas
Conheça os diferentes canais de vendas e o motivo para criar uma estratégia para eles na sua empresa.
cadeia de valor
Entenda melhor os processos da sua empresa e como eles se relacionam implementando a cadeia de valor.