IRPF 2018

Novidades requerem atenção dos contadores e contribuintes
Navegação Rápida
Navegação Rápida

Desde o dia 26
de fevereiro 2017 a receita federal do Brasil liberou o programa gerador do
Imposto de Renda para download pelos contribuintes. A versão do programa para
2018 trás algumas novidades que, apesar de não serem obrigatórias para a
declaração desse ano, devem ser motivo de atenção para contadores e
contribuintes.

Declaração
IRPF – Novidades:

Painel Inicial:
A receita federal alterou o layout do programa para facilitar o preenchimento
da declaração, ao abrir o programa você encontra na tela inicial as fichas mais
relevantes considerando o histórico de utilização do usuário.

Declaração
de Bens:
Foram adicionados campos específicos para informações
complementares relacionadas a alguns tipos de bens como imóveis (Data de
Aquisição, Endereço, Inscrição do IPTU, Área do imóvel) e veículos (RENAVAM).

Impressão
do DARF:
É possível a impressão do DARF de todas as quotas onde os mesmos
serão atualizados pela Selic de acordo com o vencimento. Quando os DARF’s forem
emitidos fora do prazo serão calculados os devidos acréscimos legais.

Alíquota
Efetiva:
Após o preenchimento da declaração, na guia cálculo do imposto, é
possível saber a alíquota efetiva que é a relação entre o imposto devido e
total dos rendimentos tributáveis.

Dependentes:
Passa a ser obrigatório o preenchimento do CPF para dependentes e alimentandos
com 8 anos ou mais, completos até 31 de dezembro de 2017.

Atualização
Automática:
Sempre que a receita federal liberar uma nova atualização do
programa gerador, automaticamente o programa avisa sobre a atualização, e
solicita ao contribuinte atualizar o mesmo, sem a necessidade de fazer o
download no sítio da receita federal.

Entrega sem
necessidade de instalação do Receitanet:
Desde a versão do programa de 2017
não é mais necessária a instalação do aplicativo Receitanet para a entrega da
declaração, o programa tem o validador incorporado no próprio gerador da
declaração.

Recuperação
de nomes:
Após digitar ou importar um nome para um CPF/CNPJ o programa
armazenará o nome para preenchimentos futuros.

 

Declaração
IRPF – Obrigatoriedade:

Através da
Instrução Normativa RFB nº 1794 de 23 de fevereiro de 2018, a receita federal
instituiu os critérios e condições para a obrigatoriedade da entrega da
declaração do imposto de renda pessoa física para o ano de 2018:

Renda:
Contribuintes que receberam rendimentos tributáveis onde a soma anual foi
superior a R$ 28.559,70, ou rendimentos não tributáveis onde a soma anual foi
superior a R$ 40.000,00.

Ganho de
capital e Operação em Bolsas de Valores:
Obteve, em qualquer mês, ganhos de
capital na alienação de bens e/ou direitos ou realizou operações em bolsas de
valores, de mercadorias, de futuros e assemelhados.

Atividade
Rural:
Contribuinte que obteve receita bruta anual superior a R$ 142.798,50
ou que pretenda compensar em 2017 ou anos posteriores prejuízos de
anos-calendários anteriores.

Bens e
Direitos:
Contribuinte que teve posse ou propriedade, em 31 de dezembro de
2017, de bens e direitos de valor superior a R$ 300.000,00.

Condição de
Residente no Brasil:
Contribuinte que passou a condição de residente no
Brasil em qualquer mês e se encontrava nessa condição em 31 de dezembro de
2017.

 

Declaração
IRPF – Dispensa de Entrega da Declaração:

O contribuinte
está dispensado da entrega da declaração desde que:

1 – Não se
enquadre em nenhuma das hipóteses de obrigatoriedade;

2 – Conste
como dependente na declaração de outra pessoa física, desde de que tenham sido
informados seus rendimento, bens e direitos;

3 – Teve posse
de bens e direitos, quando os bens comuns tenham sido declarados pelo cônjuge,
desde que o valor não ultrapasse o valor de R$ 300.000,00.

Importante:
Mesmo que não esteja obrigada, qualquer pessoa pode entregar a declaração de
imposto de renda, desde que não esteja como dependente em outra declaração de
pessoa física.

 

Declaração
IRPF – Formas de Elaborar:

A receita
federal disponibiliza três formas para elaborar a declaração do imposto de
renda pessoa física de 2018:

1 – Por meio
de computador, mediante a utilização do Programa Gerador da Declaração,
disponível no sítio da receita federal;

http://idg.receita.fazenda.gov.br/interface/cidadao/irpf/2018

2 – Por meio
de computador, mediante acesso ao serviço “Meu Imposto de Renda”, disponível no
portal do e-CAC;

https://cav.receita.fazenda.gov.br/

3 – Por meio
de dispositivos móveis, tablets e smartphones, mediante a utilização do serviço
“Meu Imposto de Renda” no aplicativo.

http://idg.receita.fazenda.gov.br/interface/cidadao/irpf/2018/declaracao/dispositivos-moveis

 

Declaração
IRPF – Prazo de Apresentação:

A receita
federal estipula o prazo para a entrega da declaração do imposto de renda
pessoa física. A entrega pode ser feita a partir do dia 01 de março de 2018 até
o dia 30 de abril de 2018 às 23:59 horas. A apresentação pode ser feita por
todas as modalidades de entrega e a transmissão pode ser feita em qualquer
horário do dia, exceto entre 01:00 e 05:00 da manhã (Horário de Brasília).

Para os
contribuintes que fizerem a entrega da declaração em atraso, ela pode ser feita
a partir do dia 02 de maio de 2017 através das mesmas modalidades de
apresentação, além da opção de ir diretamente a um posto da receita federal com
o arquivo gravado em uma mídia removível.

É importante
lembrar que, para as entregas em atraso, o contribuinte terá que pagar uma
multa que pode variar de R$ 165,74 até 20% do valor do imposto devido.

 

Declaração
IRPF – Principais Documentos Necessários:

Os principais
documentos necessários para a entrega da declaração do imposto de renda são:

Dados
pessoais e cadastrais:
Nome, CPF, Endereço, Ocupação, Título de Eleitor,
Número do Recibo de Entrega da Declaração do ano Anterior e Data de Nascimento.

Dados sobre
a renda:
Informe de Rendimentos recebidos no ano calendário de 2017, esses
informes são fornecidos pelas instituições financeiras, imobiliárias e empresas
para qual o contribuinte seja contratado.

Dependentes:
Nome, CPF (para maiores de 8 anos), Data de Nascimento e Grau de Parentesco.

Pagamentos
Efetuados:
Informe de pagamentos efetuados no ano de 2017 referente aos
valores passíveis de dedução na declaração do imposto de renda como instrução,
planos de saúde e despesas médicas por exemplo.

Bens e
Direitos:
Discriminação dos bens e direitos, assim como suas informações
complementares e valor desses mesmos bens e direitos em 31 de dezembro de 2016
e 31 de dezembro de 2017.

Dados
bancários:
Nome do Banco, Número da Agência e Número da Conta (Corrente ou
Poupança), para cargo de restituição do imposto ou para
determinação de pagamento das quotas por débito automático.

O próprio
contribuinte pode fazer a sua própria declaração de imposto de renda, porém é
indicado procurar a orientação de um profissional da área contábil, uma vez que
estes profissionais têm a expertise para fazer a sua declaração da forma mais
correta possível evitando erros e riscos fiscais para o contribuinte.

Compartilhe este post
Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp
Conteúdos relacionados
integração contábil na era digital
Vamos descobrir como a revolução tecnológica está tornando a integração contábil mais eficiente, libertando-nos do trabalho manual tedioso.
mesa com notebook com gráficos
Um sistema para escritório de contabilidade é um software que automatiza tarefas contábeis, integra dados e atualiza legislações, aumentando a
como saber se tenho que declarar imposto de renda
Confira o que é necessário para declarar o imposto de renda e quem é obrigado a fazer a declaração.