O que é um sistema legado e como identificá-lo?

Saiba identificar um sistema legado e entenda a importância de contar com um software atualizado para tornar seus processos mais eficientes.

21/Ago/2020
Gestão

Enquanto muitas tecnologias se desenvolvem cada vez mais rápido, outras se tornam obsoletas. Estruturas tecnológicas datadas e construídas ao longo do tempo, mas que já não atendem às necessidades da empresa, são chamadas de sistema legado.


Muitos fatores contribuem para que um sistema se torne legado, como tempo de existência, funcionalidades que não são mais tão úteis, hardwares desatualizados que dificultam a manutenção e falta de atualizações com o passar do tempo. Tudo isso pode impedir que a rotina de trabalho na organização seja mais eficiente e produtiva.


Sendo assim, é importante entender o que é sistema legado e quais são suas principais características, a fim de saber quando é o momento de realizar a migração de sistema ou atualizá-lo. Confira nosso artigo e entenda mais sobre o assunto.

Como identificar um sistema legado?

Para identificar se sua empresa possui um sistema legado é preciso analisar alguns fatores, como há quanto tempo ele não é atualizado ou substituído. Nem sempre o tempo de uso está diretamente ligado com o fato de ser legado ou não, mas pode, sim, ser um fator importante.


Outro indício é se os formatos gerados pelo software legado que a empresa utiliza já não são mais compatíveis com os mais utilizados no mercado. Ao trocar arquivos com clientes e fornecedores, sistemas obsoletos dificultam esse processo, já que são incompatíveis com tecnologias mais avançadas.


As falhas de segurança também podem ser outra característica de um sistema legado. Portanto, se os profissionais de TI relatam esse problema, essa pode ser a causa. Até mesmo a dificuldade de manutenção de software é um grande indício de que está na hora de atualizar o sistema. 

Por que substituir um sistema legado?

Primeiramente, é preciso entender que a empresa não precisa, necessariamente, substituir um sistema legado. Entretanto, continuar a utilizá-lo pode significar gastar mais recursos para mantê-lo funcionando, o que pode não ser a alternativa mais rentável. Veja a seguir os principais motivos para fazer uma atualização de sistema:

Tecnologia escalável

Um dos principais motivos para as empresas deixarem de utilizar um sistema antigo e migrarem para um mais moderno é sua capacidade de escalabilidade. Um software escalável é capaz de atender às necessidades da empresa, mesmo que o negócio cresça e se desenvolva.


Sistemas legados geralmente não têm essa capacidade, já que não são escaláveis e, portanto, deixam a desejar em suas funcionalidades, o que pode comprometer o desenvolvimento da companhia.

Integração de sistemas

Para que todos os setores da empresa estejam alinhados a respeito das operações, a integração de sistemas é essencial. Porém, no caso dos sistemas legados, isso não é possível, já que ocorre a incompatibilidade de tecnologias.


Para evitar esse problema e integrar os sistemas, tanto dos setores da companhia quanto de fornecedores e clientes, o ideal é que o negócio conte com uma tecnologia mais moderna e atualizada.

Segurança de dados

Após o surgimento da Lei Geral de Proteção de Dados, as organizações precisaram tomar medidas para se certificar de que os dados pessoais dos clientes estão protegidos. Entretanto, com sistemas legados, essa tarefa se torna mais complicada, já que as ameaças de ciberataques e sequestro de dados são constantes e dinâmicas, dificilmente um sistema obsoleto estará preparado para defender a estrutura de dados contra os ataques.


Além disso, a empresa também precisa provar que esses dados estarão seguros durante todo o processo de captação, tratamento, armazenagem e manipulação. O softwares modernos oferecem proteção contra o vazamento dessas informações e previnem esse tipo de ataque. Nesse caso, a migração de dados é a alternativa mais segura.

Dicas para fazer a migração de dados

Ao optar por atualizar seu sistema, será necessário fazer a migração de dados. Entretanto, o procedimento precisa ser feito da forma adequada para evitar perdas de arquivos importantes. Veja a seguir algumas dicas que podem ajudar:

Exporte os dados existentes

Antes de começar o processo de migração de dados, é necessário garantir que os dados poderão ser extraídos de forma segura. Conte com um profissional para verificar os formatos dos arquivos e como estão sendo armazenados atualmente. Assim, ele poderá indicar a forma mais segura de removê-los.

Formate os arquivos

Também é importante formatar os dados para que estejam de acordo com os novos requisitos do sistema que será adotado pela empresa. Isso pode ser feito por meio de um mapeamento de dados, o que garante que o novo software será capaz de reconhecer esses arquivos.

Faça uma limpeza

A migração também dá a oportunidade para identificar dados que não são mais úteis e podem ser descartados, como é o caso das duplicações ou de dados incompletos. Dessa forma, apenas serão migrados os arquivos que realmente importam para o negócio.

Migre para um sistema moderno

Após entender mais sobre o que é sistema legado, é chegada a hora de começar a buscar um software de gestão ERP moderno, que atenda às necessidades do seu negócio. Essa tecnologia deve conter funcionalidades que otimizem processos e tragam mais produtividade para sua equipe. 


Para fazer a escolha certa, leia o ebook "A evolução dos ERPs" e entenda mais sobre a importância da integração e da interatividade atualmente.


Receba as novidades

Assine nossa newsletter

Obrigado por se inscrever!

Oops! Verifique novamente se informações estão corretas

Posts Relacionados

Artigos por autor

Receba as novidades

Receba as novidades

Obrigado por se inscrever!

Oops! Verifique novamente se informações estão corretas