Open Finance: conheça tudo sobre esse sistema!

Evolução do Open Banking, é mais uma inovação do sistema financeiro

25/Fev/2022
Finanças

O Open Finance é um sistema novo, que permite ainda mais desburocratização de soluções bancárias, além de melhores condições para os clientes e para as instituições financeiras. Por meio dele, é possível ter mais opções e uma maior liberdade para compartilhamento de dados financeiros. 

Assim como o Open Banking, o Open Finance proporciona acesso a todo o histórico financeiro do cliente desde o início da abertura da conta. Desse modo, obtém-se dados do tipo de cartão, quantas contas foram pagas, limites disponíveis, empréstimos e muito mais.

Para entender todos os conceitos, neste post, abordaremos os seguintes tópicos:  

  • O que é Open Finance?
  • Quais as vantagens do Open Finance?
  • Qual a diferença entre Open Banking e Open Finance?
  • Quais são as fases do Open Finance?
  • Conheça a Omie.Cash! Conta digital para pessoa física.

O que é Open Finance

O principal objetivo do Open Finance é reduzir todas as dificuldades da informação, ou seja, que todos os titulares de contas, seja pessoa física ou jurídica, de pequenas, médias ou grandes empresas, consigam usar os seus dados da melhor maneira possível. 

E esse sistema se torna importante para ajudar no reconhecimento dos direitos dos dados dos clientes, além de ser fundamental para a transparência das informações. Isso, consequentemente, proporciona um benefício econômico gigantesco para o mercado financeiro.  

Qual a diferença entre Open Banking e Open Finance?

Como já dissemos anteriormente, com o Open Finance é possível ter um sistema bancário mais aberto, em que o cliente consegue levar todas as suas informações para qualquer uma das empresas financeiras que tenham interesse em abrir uma conta corrente. 

A diferença entre Open Banking e Open Finance é que, antes, essa novidade só era possível para bancos e instituições financeiras. Para acesso aos dados construídos ao longo do tempo, como contas, salários, saldos bancários, prestações, empréstimos, entre outros. 

Já com o Open Finance, esse histórico pode ser transferido não apenas para bancos, mas para uma série de instituições financeiras que se interligam pelo sistema. Sendo assim, o Open Finance é considerado uma evolução do Open Banking.

Quais instituições financeiras podem participar do Open Finance?

Atualmente, estão liberadas para participarem do Open Finance as seguintes instituições:

  • Bancos;
  • Fintechs;
  • Startups financeiras;
  • Fundos de pensão e previdência; 
  • Plataformas de investimento;
  • Casas de câmbio;
  • Corretoras de seguros;
  • Corretoras de valores.

A principal regra é que todas essas instituições financeiras precisam ter autorização de funcionamento pelo Banco Central. A regulamentação prevê, no entanto, participações obrigatórias, como as dos grandes bancos, e voluntárias, como as dos outros players citados. Além disso, a entrada dessas instituições será realizada em etapas diferentes de implementação do sistema.

Quais as vantagens do Open Finance

Além de trazer mais rapidez para aprovações e melhores condições de acesso ao leque de produtos e serviços bancários, o Open Finance permite a portabilidade dentro da rede financeira em busca de melhores condições para o cliente. E para ficar mais popular, a tendência é que o termo em inglês seja substituído pela expressão “Finanças Abertas”.

O novo sistema é extremamente seguro, utilizando um API (Application Programming Interfaces), que deve ter suporte das instituições financeiras para troca instantânea de informações. Isso porque, além de seguir todas as diretrizes da Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD), ele também tem a garantia do Banco Central.

É possível apontar vários outros benefícios, como:

  • Liberdade e autonomia para os clientes: Quanto mais tempo uma pessoa fica ligada a uma instituição, mais informações do histórico financeiro serão acumuladas por essa empresa. Ao migrar para um segundo banco, essas informações são perdidas. Por isso, com o Open Banking, e agora Open Finance, esse fluxo não existe;
  • Custos mais baixos: Com um sistema mais integrado, todos os processos são mais rápidos e consequentemente mais baratos. Isso ocorre pelo aparato tecnológico do projeto, que permite o compartilhamento rápido e seguro de informações;
  • Aumento da competitividade: Sabe aquela barreira de entrada para produtos ou serviços em que precisa esperar uns meses para utilizar alguma funcionalidade? Com o Open Finance, ganha-se uma agilidade no desenvolvimento dessas inovações, tornando o ambiente mais competitivo e com mais opções para o consumidor.

Quais são as fases do Open Finance?

‍É importante salientar que os dados compartilhados são disponibilizados para todas as instituições financeiras participantes, sempre com a autorização do correntista. Confira abaixo todas as fases do Open Finance.

1ª fase do Open Banking

Nesse passo, em 1º de fevereiro de 2021, todos os dados foram abertos para as instituições participantes, porém nenhum compartilhamento de dados foi realizado. 

2ª fase do Open Banking 

Essa fase teve início em 13 de agosto de 2021, quando foi permitido o compartilhamento dos dados, liberados gradualmente para garantia e estabilidade do sistema.

3ª fase do Open Banking 

Nessa fase, que começou em 30 de agosto de 2021, tornou-se possível solicitar uma transação de pagamento e o encaminhamento de propostas de operadoras de crédito. Ainda, foram liberadas as informações das transações via PIX.

Em 15 de fevereiro de 2022, foi a vez das transferências bancárias por TED. Confira as próximas datas previstas para liberação de pagamentos: 

  • 30/03/2022 — encaminhamento de proposta de operação de crédito;
  • 30/06/2022 — boleto;
  • 30/09/2022 — débito em conta.

4ª fase do Open Banking 

Na metade de dezembro de 2021, outros dados começaram a ser compartilhados, como operações de câmbio, seguros, conta-salário e investimentos. A partir de 31 de maio de 2022, serão liberados os dados das transações dos clientes.

Pix e Open Finance

Para quem está se perguntando como funciona o PIX com o Open Finance, o que é importante saber é que com essa junção o compartilhamento se torna ainda mais fácil e rápido. Isso porque, haverá as facilidades do pagamento instantâneo, que pode ser feito todos os dias, a qualquer hora. 

Conheça a Omie.Cash! Conta digital para pessoa física 

‍Com a Omie.Cash, você tem a solução completa para PMEs em todo o Brasil. Trata-se da conta corrente para quem tem o ERP Omie. Além da gestão financeira, é possível integrar a gestão de negócio de forma intuitiva, fácil e segura. 

Venha conhecer nossos serviços e confira nossos conteúdos exclusivos no blog Omie!



Receba as novidades

Assine nossa newsletter

Obrigado por se inscrever!

Oops! Verifique novamente se informações estão corretas

Posts Relacionados

Artigos por autor

Receba as novidades

Receba as novidades

Obrigado por se inscrever!

Oops! Verifique novamente se informações estão corretas