SPED Fiscal: entenda os benefícios desse sistema

Para se manter em dia com as obrigações fiscais, entenda o que é SPED Fiscal e quais as vantagens desse sistema. Acesse e confira mais informações.

15/Dez/2020
Gestão

Quando se é dono de uma empresa, manter em dia as obrigações legais pode ser uma tarefa um pouco complicada e que exige muita atenção. Porém, com o SPED Fiscal, esse processo pode se tornar mais rápido e fácil com a digitalização dos dados para disponibilizá-los no ambiente virtual.


Como órgão público, a Receita Federal é responsável por coletar e analisar a validade das informações fornecidas ao fisco sobre o ICMS e o IPI, e é neste momento que o SPED Fiscal entra como processo de escrituração digital dessas informações.


Sendo assim, para evitar problemas com o fisco e impedimentos legais atrelados ao seu negócio, preparamos este conteúdo sobre o que é SPED Fiscal e as vantagens de implementar esse sistema de gestão na sua empresa. 


O que é SPED Fiscal?

Também conhecido como EFD (Escrituração Fiscal Digital), o SPED Fiscal é um processo de digitalização das informações fornecidas à Receita Federal. Ou seja, é nesse documento que estarão todos os dados dos contribuintes pertinentes ao fisco, como documentos fiscais e a apuração de impostos referentes às operações praticadas pelo contribuinte. Essas informações precisam ser enviadas mensalmente. 


Sendo assim, o SPED simplifica e facilita a entrega desses documentos para o fisco e ainda elimina os documentos em papéis. Dessa forma, a fiscalização dessas informações pelo governo é garantida e a burocracia da entrega desses documentos pelas empresas é reduzida, o que facilita a rotina do empresário e do seu contador.


Com o objetivo de agilizar o registro dos dados fiscais, como o IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados) e o ICMS, o SPED foi desenvolvido com base em três pilares:


  • SPED ICMS (Escrituração Fiscal Digital);
  • SPED Fiscal (Documentos Fiscais Eletrônicos),
  • SPED Contábil (Escrituração Contábil Digital).


Vale lembrar que, assim como qualquer tipo de obrigação legal, esse processo deve respeitar uma data de entrega. Se o SPED Fiscal for enviado fora do prazo, será cobrada uma multa que equivale a 0,02% por dia, até o registro do pagamento.


O SPED Fiscal é entregue em formato digital e precisa ser verificado e validado pelo Programa Validador e Assinador (PVA), fornecido pelo próprio SPED. Depois disso, o arquivo digital precisa ser assinado pelo responsável através de uma certificação válida e emitida por uma entidade credenciada.


Quais são as informações enviadas pelo SPED Fiscal?

As principais informações que pertencem ao SPED Fiscal são referentes aos seguintes processos das empresas:


  • Registros fiscais de entrada e saída, seja de mercadorias, transportes, ou de serviços com ICMS;
  • Apuração dos impostos das operações;
  • Cadastros de produtos, clientes e fornecedores;
  • Dados de produção, estoque e inventário;
  • CIAP – Controle de Crédito de ICMS,
  • Informações específicas, caso necessário.


Vantagens do SPED para as empresas

Desde a implementação do SPED Fiscal em 2007, os problemas de inadimplência com o Imposto de Renda reduziram consideravelmente. Como uma ferramenta para facilitar a cobrança e coleta de dados contábeis e tributários, ela auxilia na prestação de contas com o governo e garante a veracidade das informações.


Além dessa facilidade, essa escrituração digital reduz o custo da impressão dos documentos a serem entregues à Receita Federal e torna o cotidiano dentro da empresa mais dinâmico e menos burocrático.


Já pensou quanto tempo é gasto para separar, organizar e emitir os documentos fiscais? Por isso, para que o registro das informações para o SPED Fiscal seja feito corretamente, é importante utilizar um ERP que arquive todas as movimentações da sua empresa e garanta a entrega dos documentos obrigatórios sem erros.



Conheça alguns termos importantes para o SPED Fiscal 

Bloco K

Entre um dos registros contábeis que integra o SPED Fiscal está o Bloco K. Ele é um livro digital que coleta mensalmente os dados de controle de produção e estoque, ficando responsável por anotar as seguintes informações:


  • Saldo de estoque;
  • Consumo de insumos,
  • Insumos produzidos.


Vale lembrar que todos os estabelecimentos industriais, ou que de alguma maneira oferecem serviços similares, precisam estar registrados — enquadrados — no Bloco K do SPED Fiscal.


EFD-Reinf e o extinto e-Social

Já ouviu falar no EFD-Reinf? Também conhecido como Escrituração Fiscal Digital de Retenções e Outras Informações Fiscais, ele integra o SPED Fiscal substituindo informações obrigatórias como GFIP (Guia de Recolhimento do FGTS) e DIRF (Declaração do Imposto de Renda Retido na Fonte).


Em conjunto com o extinto e-Social — fora de circulação desde 2020 —, ele era usado como parâmetro de comparação do governo. Isso quer dizer que o envio desse documento junto com a entrega do EFD-Reinf era usado para apurar as contribuições previdenciárias recolhidas e as declaradas.


ERP Omie e a entrega do SPED Fiscal 

Com um ERP inteligente e intuitivo, é possível conciliar gestão empresarial com as obrigações fiscais e os deveres contábeis. Ou seja, ao alinhar o seu software de gestão aos pedidos de declaração do fisco, você evita passar por imprevistos de última hora.

 

O sistema ERP da Omie ajuda tanto o empresário como o contador a otimizar os processos internos, já que se automatiza a qualquer software contábil. Saiba mais!




Receba as novidades

Assine nossa newsletter

Obrigado por se inscrever!

Oops! Verifique novamente se informações estão corretas

Posts Relacionados

Artigos por autor

Receba as novidades

Receba as novidades

Obrigado por se inscrever!

Oops! Verifique novamente se informações estão corretas