E-commerce na prática: conheça os principais pilares

Com um formato cada vez mais popular, o e-commerce é uma alternativa para aumentar as receitas da empresa. Conheça os principais cuidados a se tomar

01/Ago/2022
Empreendedorismo

Se você planeja abrir uma empresa no ramo de varejo, não deve esquecer das vendas on-line, que hoje podem representar uma porcentagem considerável das suas receitas. Para ajudar você nesse processo, vamos falar sobre e-commerce na prática.

Talvez você já conheça o funcionamento de um comércio, mas quando falamos de vendas pela internet, a logística possui alguns pontos diferenciais para considerar, como a maior disponibilidade de produtos e maior cobertura das entregas.

Como um segmento em constante crescimento nos últimos anos, trabalhar com e-commerce pode ser muito vantajoso. Porém, é preciso ter uma estrutura que atenda às necessidades dos clientes, algo que vai evitar problemas a curto e longo prazo.

Neste artigo, você vai entender tudo para montar uma operação de e-commerce completa e eficiente. Acompanhe!

E-commerce na prática: domine os 5 pilares de gestão para sua loja virtual

Se você já possui um e-commerce, ou se pretende iniciar uma loja virtual, os pontos a seguir são essenciais para o sucesso dos negócios. Analise como está sua empresa (ou seu planejamento) e aplique as orientações a seguir.

1. Gestão de equipe

Cuidar da equipe deve ser uma das suas maiores preocupações, pois os colaboradores realizam as atividades essenciais que, somadas à gestão, vão determinar seu sucesso com os clientes.

É preciso promover um bom ambiente para o funcionário, além de remuneração e benefícios adequados. Também é importante oferecer processos bem estruturados, para que cada um saiba quais são suas atribuições.

Agora que já sabemos desses cuidados, podemos falar das principais equipes que encontramos em empresas de e-commerce: 

  • Atendimento: é o ponto de contato com o cliente, ajudando-o em todas as etapas da compra, até o pós-venda.
  • Logística: realiza toda a movimentação dos produtos, tanto dentro da empresa quanto para envio ao cliente.
  • Financeiro: acompanha não apenas os valores recebidos das vendas, mas também controla os custos da empresa.
  • Contabilidade: faz todos os cálculos e análises tributários da companhia, indicando os melhores caminhos para economizar e permanecer dentro da lei.

2. Gestão de terceiros

Além da equipe da empresa, alguns serviços poderão ser terceirizados. Assim, não podemos esquecer de manter um bom relacionamento com essas outras companhias ou pessoas, além de procurar sempre aqueles que oferecerão o melhor produto ou serviço.

Essa escolha faz muita diferença na sua forma de trabalhar, pois, ao oferecer um serviço, os parceiros escolhidos carregam seu nome e podem tornar sua imagem mais positiva ou negativa perante o mercado.

Algumas áreas que podem ser terceirizadas no seu negócio são:

  • Formas de envio: muitas vezes, o transporte dos produtos é terceirizado, e contar com parceiros confiáveis e eficientes pode fazer toda a diferença.
  • Fornecedores: ter embalagens, adesivos e impressões gráficas de qualidade é essencial para o desenvolvimento da sua loja virtual.

3. Gestão de estoque

Ter um produto em estoque não é mais premissa para realizar uma venda. Atualmente, alguns formatos de negócio são articulados, de modo que o cliente compra no site e recebe diretamente do fornecedor.

Para que um processo ocorra dessa forma, é preciso ter fornecedores de confiança, que entreguem os produtos no prazo, além de um fluxo de atividades que garantam o cumprimento das etapas.

Mas, se você trabalha com o estoque de produtos na sua empresa, trouxemos algumas dicas para otimizar a gestão desses itens:

  • Manter o estoque atualizado: isso exige um controle minucioso do que entra e sai da companhia, para minimizar diferenças entre o que está em sistemas e o que consta no galpão da empresa.
  • Entenda a sazonalidade do seu negócio: é importante conhecer qual a época de saída dos produtos, para manter em estoque apenas aquilo que tem mais giro, reduzindo desperdícios e perdas no caixa.
  • Acompanhe com atenção o despacho dos produtos: para evitar retrabalho e erros com os clientes, vale a pena aumentar a atenção na hora de despachar os pedidos. Boas parcerias com transportadoras evitam produtos danificados e prejuízos com reposição de peças. 

Nesses processos, a tecnologia é uma grande aliada, pois existem softwares de gestão que oferecem controles automatizados para todos os pontos mencionados. Estes são capazes de aumentar a confiança e reduzir erros que impactam no caixa da empresa. 

4. Gestão de vendas

Agora que já vimos alguns pontos antes da venda, vamos tratar desse processo em si. É preciso acompanhar as transações e os clientes. Para isso, o CRM para e-commerce é a ferramenta ideal, pois permite visualizar as atividades dos consumidores e programar os próximos passos no relacionamento entre eles.

O CRM também apoia o resgate de clientes que deixaram o carrinho e otimiza a rotina do empreendedor, orientando o que pode e deve ser feito para manter o contato ativo com os consumidores. Para apoiar seu crescimento e te ajudar a desenvolver as vendas, preparamos um curso gratuito especial sobre Ferramentas para Vender On-line.

5. Gestão de envio

Com a venda realizada, é momento de enviar os produtos para o cliente. Nesse processo, várias atividades estão envolvidas e devem ser feitas corretamente. Afinal, uma peça extraviada ou um pedido que chega errado para o consumidor pode causar uma péssima experiência e prejudicar a imagem da empresa.

Esse é o momento mais aguardado para o cliente, por isso todo cuidado é pouco na escolha do frete e formato de envio. No curso gratuito sobre Como Otimizar seu Frete, você aprenderá mais sobre alguns dos pontos abaixo:

  • Correios: uma das instituições mais antigas do Brasil e com abrangência nacional, os Correios realizam as entregas das encomendas a partir da postagem em alguma agência da instituição. Uma das principais vantagens é a possibilidade de realizar contratos com a empresa, para baratear o frete com o volume de envios. Em encomendas individuais, o frete pode ficar bem em conta em muitos casos.Por outro lado, as áreas de entrega podem ficar limitadas se não houver a correta indicação e há restrição de peso e tamanho das embalagens.
  • Transportadora: envio mais direto, pois as entregas são feitas com menos pontos intermediários. Há mais flexibilidade com relação ao tamanho e peso dos produtos enviados - basta verificar com a transportadora os limites permitidos. Mas, o valor do frete pode ser mais alto do que o dos Correios, o que impacta no bolso do cliente. Alguns exemplos de transportadoras são: Jadlog, Melhor Envio, Loggi, Mandaê e Total Express.
  • Entrega personalizada: nesse caso, a empresa realiza a entrega, por exemplo, com motoboy ou motorista próprio. A vantagem é ter mais flexibilidade no envio, tanto na hora quanto nas condições da entrega. Por outro lado, há o custo mensal de manter o colaborador na empresa, além dos gastos com manutenção do automóvel e combustível.

Prepare sua empresa para o crescimento

O e-commerce é uma forma de expandir seus negócios, mas demanda uma estrutura para que o serviço oferecido seja satisfatório para o cliente. Um ERP é uma ferramenta para otimizar e automatizar os processos, oferecendo, ainda, dados confiáveis e precisos para melhor guiar suas tomadas de decisão.

Saiba mais sobre ERP para e-commerces e descubra a melhor opção para sua empresa obter todos os benefícios.

Receba as novidades

Assine nossa newsletter

Obrigado por se inscrever!

Oops! Verifique novamente se informações estão corretas

Posts Relacionados

Artigos por autor

Receba as novidades

Receba as novidades

Obrigado por se inscrever!

Oops! Verifique novamente se informações estão corretas