O futuro do franchising mais colaborativo e tecnológico

Franquia ou franchising é um sistema muito utilizado em franquias. Saiba mais!

02/Jun/2021
Gestão

Em momentos de crise, a franquia se torna importante peça para a retomada econômica, principalmente em países como o Brasil. Por meio do franchising, acelera-se o surgimento de empreendedores e novos players como alternativas ao desemprego. E com eles, vêm novas práticas que vão se mostrando essenciais para esses novos tempos e para manter a sustentabilidade do negócio a longo prazo. 


Uma mudança que se acelerou e veio para ficar é a adoção da tecnologia. Na frente com os consumidores, processos e plataformas que antes eram vistos como experimentais, como digitalização, compra online, tecnologia móvel e marketing omnichannel, agora estão sendo implementados de forma ampla. Comunicação por WhatsApp, delivery, e-commerce e marketplaces foram algumas dessas soluções. 


O consumidor, no entanto, não foi o único que saiu ganhando: a tecnologia abriu espaço para estratégias menos centralizadas, com menos atritos, dando mais autonomia na relação franqueador-franquia e aproveitando ao máximo o potencial de cada franqueado. Um “espírito de startup” se espalhou pelas franquias, com modelos de negócio mais dinâmicos e enxutos do que antes. Com o distanciamento, as empresas viram vantagens na digitalização de processos burocráticos, redução de custos com maior inteligência das operações, com plataformas em nuvem de gestão financeira, por exemplo, e mais horizontalidade nas suas relações internas.


A colaboração também se tornou ferramenta diferencial para as franquias pelo país. Estudo apontou que, enquanto o franqueador ofereceu suporte financeiro e gerencial, os franqueados ajudaram a identificar ameaças e oportunidades para a rede. Para marcas, a integração das lojas no processo logístico se tornou solução para reduzir o tempo de entrega e ampliar a receita, usando as unidades como centros de distribuição para a última milha. A concorrência também foi deixada de lado e foram criados comitês de crise entre os franqueados para negociar melhores acordos com fornecedores comuns, com empresas de delivery, média de locações e salários. 


O que essas mudanças têm mostrado é que estão dando certo: a Associação Brasileira de Franchising projetou em dezembro crescimento médio de 8% no faturamento do setor de franquias como um todo em 2021; alta de 5% em unidades; expansão de 2% em redes franqueadoras; e 5% mais empregos diretos gerados pelo franchising.


Apesar da tendência ser retornar, com o tempo, as operações mais físicas, essas mudanças devem se manter a longo prazo, e as marcas mais adaptáveis e otimizadas estarão em vantagem quando a pandemia acabar. O franchising do futuro será aquele que, apoiado em tecnologia, ativamente busca informações sobre o que seus clientes e franqueados desejam e precisam de forma rápida e flexível. 


Receba as novidades

Assine nossa newsletter

Obrigado por se inscrever!

Oops! Verifique novamente se informações estão corretas

Posts Relacionados

Artigos por autor

Receba as novidades

Receba as novidades

Obrigado por se inscrever!

Oops! Verifique novamente se informações estão corretas