Tipos de fluxo de caixa: conheça alguns e para que servem!

Para você fluxo de caixa é tudo a mesma coisa? Na verdade, não! Existem alguns tipos de fluxo de caixa e com diversas funcionalidades. Descubra!

06/Mai/2022
Contabilidade

Não é exagero dizer que o fluxo de caixa é uma questão de vida ou morte para as empresas. O controle e análise do fluxo de caixa permitem que as empresas respirem tranquilas ao final de certo período, ou busquem por soluções efetivas, baseadas em dados para evitarem fechar as portas, por isso, saber como analisar e quais são os tipos de fluxo de caixa é uma questão de saúde financeira para os negócios. 

 

O fluxo de caixa compreende as entradas e saídas de capital, o que atinge os faturamentos e despesas fixas e variáveis. A partir dos tipos de fluxos de caixa, é possível ter uma ideia melhor sobre o controle financeiro de uma empresa. 

 

Continue a leitura e descubra, com detalhes, para que servem os diferentes tipos de fluxos de caixa. Vamos lá?

A importância do fluxo de caixa para os seus clientes

 

Uma boa gestão financeira está diretamente ligada com um fluxo de caixa eficiente, e todo bom contador sabe disso. Os fluxos de caixa auxiliam os negócios a identificarem se o dinheiro está sendo aplicado corretamente, onde é possível realizar cortes de gastos, quais economias podem ser feitas em certo momento e no direcionamento de recursos para áreas que precisam de mais investimento para o crescimento da empresa.

 

A análise do fluxo de caixa também permite uma maior previsibilidade financeira, pois concede uma previsão da receita e das despesas de determinados períodos do ano. Ao notar uma possível crise financeira, o contador ajuda o empreendedor a antever e procurar por soluções para o problema. 

 

Fazer uma gestão financeira com base no fluxo de caixa permite que o gestor ou o próprio empreendedor tenha tomadas de decisão mais inteligentes. Com o tempo e análise, a empresa também saberá em quais períodos vende mais ou menos e poderá se preparar para passar por isso. 

Conheça os tipos de fluxo de caixa

 

Se engana quem acha que o fluxo de caixa se resume a apenas um tipo. Na verdade, existem diversos tipos de fluxo de caixa e cada um possui funcionalidades e características diferentes. 

 

Cada um deles ajuda que o contador entenda as entradas e saídas de receita em diferentes situações.

 

Logo a seguir, vamos conhecer alguns deles. Confira!

Fluxo de caixa operacional

 

O fluxo de caixa operacional tem o objetivo de fazer um levantamento das receitas e despesas operacionais de um negócio, ou seja, o dinheiro que faz com que ele continue em funcionamento. 

 

Esse fluxo permite o levantamento das movimentações financeiras relacionadas às atividades operacionais durante um período estipulado. Nele, consideramos os gastos e, por isso, os investimentos, juros, impostos não são calculados, bem como a necessidade de capital de giro. 

 

Por não envolver os itens mencionados, ele é chamado de Lucro Antes de Juros e Imposto de Renda (LAJIR), por isso, a equação para o cálculo é a seguinte:

 

LAJIR + Desvalorização - Imposto do LAJIR

 

Fluxo de caixa direto

 

O fluxo de caixa direto permite o acesso do contador e empreendedor aos registros de recebimentos e pagamentos brutos. Ele tem a finalidade de acompanhamento da saúde financeira de um negócio, de acordo com a natureza contábil. 

 

Ele é utilizado comumente no mundo corporativo e ajuda nos estudos de controle financeiro e ajuda os gestores nas melhores tomadas de decisões. 

 

Fluxo de caixa indireto

 

O fluxo de caixa indireto é calculado com base na Demonstração do Resultado de Exercício (DRE), no ano de exercício orçamentário. O DRE é um relatório que fornece uma síntese econômica completa de resultados operacionais e não operacionais.

 

Ele tem como finalidade ajustar itens econômicos, como amortizações, depreciações e variações nos balanços patrimoniais, que afetam os lucros, mas não o caixa diretamente.

 

Fluxo de caixa projetado 

 

Como o próprio nome já diz, o fluxo projetado se propõe a elaborar uma estimativa da situação financeira da empresa futuramente. Com esse objetivo, deve-se fazer uma análise das entradas e saídas de capital no presente, além de reunir informações que envolvam fatores internos e externos, como mudanças sazonais nas vendas.

 

O fluxo planejado auxilia o gestor a antecipar estratégias, planejar pagamentos, identificar riscos e evitá-los, planejar investimentos, organizar recursos, entre outras ações. 

 

Fluxo de caixa livre

 

O fluxo de caixa livre diz respeito a um valor considerado livre, após o pagamento de todas as obrigações financeiras de um negócio. Ele determina a capacidade de gerar resultados positivos em um período de tempo de curto, médio e longo prazo. 

 

Normalmente, ele é utilizado para quitar dívidas ou, até mesmo, investir em novos projetos.

Fluxo de caixa descontado

 

O Fluxo de Caixa Descontado (FDC) é utilizado para medir o retorno de capital investido ou na captação de investidores. Ele tem a finalidade de definir a valorização da empresa e cria uma projeção de fluxo de caixa para compra e venda de ações ou em fusões e aquisições e outras técnicas de reorganização empresarial.

Fluxo de caixa para investimentos

 

E, por último, mas não menos importante, vamos conhecer o fluxo de caixa para investimentos. Ele é responsável por acompanhar todas as movimentações financeiras de uma empresa ao mostrar se os resultados esperados foram alcançados. 

 

O fluxo de caixa para investimentos permite que seja decidido onde esse capital positivo será aplicado e caso não esteja, é possível rever onde fazer aplicações. 

 

Dicas para um fluxo de caixa eficiente

 

Para fazer um bom fluxo de caixa é necessário contabilizar cada centavo que entra e sai de uma empresa. À primeira vista até pode parecer um grande exagero, mas com o tempo, os resultados das falhas na contabilização começam a aparecer. 

 

Com um acompanhamento eficiente é possibilitada uma precaução e melhor manejo do capital do seu negócio. 

 

1. Categorize suas movimentações detalhadamente

 

É necessário entender para onde o dinheiro de um negócio está indo. E para isso, é preciso categorizar as despesas e registrar o que foi gasto em cada mês. Por exemplo:

  • Pagamento de funcionários;
  • Aluguel;
  • Compra de insumos;
  • Água, luz e telefone;
  • Limpeza;
  • Gastos fixos e variáveis.

 

Também é importante descrever qual o meio de pagamento que será utilizado em cada categoria. 

2. Atualize e acompanhe o fluxo de caixa

 

Do nada adianta acompanhar o financeiro em um dia e outro não. Por isso, existe a necessidade de atualização e acompanhamento constante do fluxo de caixa. 

Fluxo de caixa diário

 

O fluxo de caixa diário pode ser definido como a ação de acompanhar e registrar entradas e saídas do caixa dia após dia. Vale ressaltar que ele não substitui o anual ou qualquer outro e, sim, complementa.  

3. Tenha a ajuda de um software para controle de fluxo de caixa

 

Sabemos que ações manuais levam tempo e muitas vezes podem resultar em falhas humanas, o que pode resultar em erros no final. Dentro do fluxo de caixa, isso pode se tornar um grande problema. 

 

Ter a ajuda de um software para controle de fluxo de caixa é uma opção que é viável e ideal para vários tipos de negócio. Além de integrar as diversas áreas da empresa, por meio de módulos, um sistema de gestão empresarial (ERP), como é chamado, auxilia o contador em processos de rotina. 

 

As vantagens são uma contabilidade mais produtiva e com muitos mais dados para análise e crescimento de uma empresa. 

 

Sistema de gestão empresarial para fluxo de caixa: conheça a Omie

 

Conforme mencionado anteriormente, um sistema de gestão empresarial automatiza processos e traz benefícios diretos para o contador e toda a empresa. Um sistema de gestão permite integração, o que possibilita mais praticidade e agilidade aos negócios. 

 

A Omie é um sistema de gestão empresarial que entrega aos clientes de contadores muitas vantagens. Confira algumas delas:

  • 100% on-line e integrado: o software funciona na nuvem e a operação financeira é refletida em tempo real.
  • Relatórios funcionais e personalizados: visualize as finanças da melhor forma para o seu negócio.
  • Automatização de processos: ganhe mais tempo para focar em estratégias para o crescimento da empresa. 
  • Dinâmico e intuitivo: sem complicação e fácil de usar.

Conheça todos os serviços da Omie e entenda como o ERP pode atender às suas demandas.

Receba as novidades

Assine nossa newsletter

Obrigado por se inscrever!

Oops! Verifique novamente se informações estão corretas

Posts Relacionados

Artigos por autor

Receba as novidades

Receba as novidades

Obrigado por se inscrever!

Oops! Verifique novamente se informações estão corretas