Como calcular o preço de venda de um produto ou serviço?

Descubra como calcular o preço de venda do seu produto ou serviço, evite prejuízos e torne a sua empresa ainda mais competitiva!
Navegação Rápida
Navegação Rápida

Ao criar uma empresa, é bastante comum se deparar com a dificuldade na hora de calcular o preço de venda do produto que será comercializado. Essa tarefa exige conhecimento do mercado e dos próprios processos de produção, a fim de evitar desperdícios e custos extras.

É muito importante que seu produto possa ter um preço que seja competitivo e, assim, definir o sucesso do seu negócio. Cobrar o valor errado pode significar prejuízo para a sua empresa, mesmo que estes não fiquem evidentes a curto prazo.

O primeiro passo é saber quanto custa para sua empresa fabricar o produto, o que chamamos de preço de custo. Em seguida, definir a margem de lucro. Continue lendo e entenda o que é preço de venda e o que precisa saber para calculá-lo corretamente.

O que é preço de venda?

Preço de venda é quanto você vai cobrar dos seus clientes pelo produto ou serviço oferecido. Ele necessariamente precisa cobrir todos os custos de produção. Caso contrário, não terá nenhum lucro real.

Esse valor, a ser cobrado, deve ser muito bem calculado, já tornará seu negócio mais competitivo e é um elemento de contato direto com clientes, influenciando na decisão de compra.

Um preço de venda errado pode trazer prejuízo, enquanto o preço correto colabora para o sucesso do negócio. Mesmo o custo de produção do seu produto sendo baixo, por exemplo, cobrar menos do que deveria leva a prejuízos mesmo com uma alta de vendas.

Como calcular o preço de venda de um produto ou serviço?

Uma regra básica de como calcular o preço de venda é somando custos, despesas e lucro do negócio, e assim encontrar o preço correto. Todas as empresas possuem gastos, alguns mais frequentes que os outros. Esses gastos podem ser divididos entre custos e despesas.

Mas, vamos entender um pouco sobre esses dados que precisamos para encontrar o resultado:

  • Custos são os gastos envolvidos diretamente na produção de um produto ou serviço, como, por exemplo, valor pago a fornecedores.
  • As despesas são os recursos aplicados na gestão do negócio, na administração do empreendimento, envolve as contas fixas e pagamentos de funcionários, por exemplo.
  • O lucro é o retorno das vendas dos produtos e serviços, e vai financiar o crescimento do negócio.

Custos + Despesas + Lucro = Preço de Venda. Essa é uma regra básica que pode ser aplicada em qualquer negócio.

Veja os passos a seguir para fazer o cálculo de venda:

1º passo: saiba quais são os gastos fixos e variáveis

Dentro dos custos de produção que precisamos saber para encontrar o preço de venda do produto, estão dois tipos de gastos, o fixo e o variável. Entenda o que são:

  • Gastos variáveis: são aqueles que só existem caso ocorra a produção ou a comercialização de produtos, ou de serviços, que mudam com a variação das quantidades produzidas, como, por exemplo, a reposição de estoque;
  • Gastos fixos: são aqueles que existem mesmo sem que nenhum produto ou serviço tenha sido comercializado. São gastos que a empresa tem todo mês, como: o aluguel, salários, energia elétrica.

O controle de custos é essencial para a sua empresa gerenciar e planejar quanto ela pode investir e diminuir as chances de prejuízos financeiros.

2º passo: entenda qual é a margem de contribuição

A margem de contribuição é o valor que sobra das vendas e é usado para pagar os gastos fixos. Dela, já foram descontados os gastos variáveis, portanto é o lucro bruto sobre a venda.

Serve para a empresa saber quanto dinheiro gera, a partir das suas vendas ou serviços, para pagar os custos e despesas fixas e ainda gerar lucros.

É através da margem de contribuição que gestores conseguem avaliar as chances de lucro do negócio e desenvolver estratégias. É dado o nome de margem pois é a diferença entre valor da venda e os valores das despesas e dos custos específicos destas vendas.

Já o termo “contribuição” representa quanto o valor das vendas contribui para o pagamento das despesas fixas e para gerar lucro.

Portanto, para calcular a margem de contribuição de uma empresa, basta saber o preço de venda do produto ou serviço e subtrair os custos variáveis, por exemplo:

  • Preço de venda do serviço: R$ 2.500,00;
  • Custos variáveis (fornecedores, impostos): R$ 2.000,00;
  • Margem de contribuição: R$ 500,00.

Saiba como calcular a margem de contribuição lendo o artigo Como calcular corretamente a margem de lucro?

3º passo: saiba calcular o preço de venda

Para calcular o preço de venda de um produto, vamos demonstrar com um exemplo prático. Uma empreendedora faz quentinhas para vender, cada uma custa R$ 6,00 reais e as embalagens custam R$ 0,40 centavos, dando um custo total de R$ 6,40 reais por quentinha.

Se quiser uma margem de contribuição de 20% do valor da venda, deve-se fazer o seguinte cálculo:

  • {R$6,40: [100% – 20%]} x 100;
  • [R$6,40: 80%] x 100;
  • R$0,08 x 100;
  • Preço de Venda: R$8,00 reais;
  • Margem de R$1,60 = 20% do preço de venda.

Então, para vender e ter a margem de contribuição desejada, a empreendedora deve vender a quentinha por R$ 8,00 reais.

Existe outra ferramenta para calcular o preço do produto que se chama Markup. É um índice que está atrelado ao custo de produção e distribuição do produto.

Seu cálculo envolve as despesas fixas (DF), as variáveis (DV) e a margem de lucro (ML). Ele é feito da seguinte forma:

  • 100/100 – (DF + DV + ML).

Mesmo com tantas maneiras de se calcular o preço do produto e serviço, ele pode não ser o ideal, é preciso saber se está ou não adequado a realidade do mercado. O recomendável é que não esteja muito diferente dos concorrentes.

4º passo: encontre o ponto de equilíbrio operacional

É importante calcular quanto precisa vender para não ficar no prejuízo. Como a empresa já possui o preço de venda do produto definido, conhece qual é a margem média praticada no mercado e sabe quais são os seus gastos fixos, ela precisa agora achar seu ponto de equilíbrio.

O ideal é gerar em suas vendas a margem de contribuição suficiente para cobrir os gastos fixos. Voltando ao exemplo da empreendedora de quentinhas, veja como calcular o equilíbrio operacional:

Se o gasto fixo dela é de R$ 500,00 com gás, água e luz no mês, quantas quentinhas ela precisa vender para cobrir os gastos fixos?

  • R$ 500,00 : R$ 1,6 (margem) = 312,5 quentinhas.
  • 312,5 x R$ 8,00 (valor de venda) = R$ 2.500,00 Faturamento.

Dessa maneira, a empreendedora só alcançará o lucro que deseja vendendo 312,5 quentinhas por mês e faturando R$ 2.500,00.

Calculando para lucrar e evitar prejuízos

Como vimos no texto, o cálculo do preço de vendas de um produto é sempre o mesmo, o que muda é o contexto em que está sendo oferecido. Conhecendo os gastos fixos e variáveis e sabendo quanto de lucro deseja ter, fica mais fácil encontrar o valor certo do seu produto.

A Omie leva a sua Gestão de Vendas para outro nível. Entre em contato e solicite uma proposta! Com ferramentas intuitivas como o gerenciador de vendas, você será capaz de alavancar seus resultados e aumentar ainda mais o fluxo de caixa. Comece a transformação digital hoje mesmo.

62a1f7437a5e6b5e2f216d35 CTA Banner Empreendedor 2 opt2 v2 27
Compartilhe este post
Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp
Conteúdos relacionados
A importância da gestão comercial
Saiba mais sobre a gestão comercial, como ela funciona, sua importância e porque o seu negócio deve adotar essa prática.
o que é packing: mulher segurando caixa em esteira
Packing eficiente é a chave para melhorar suas entregas. Entenda como ele funciona na logística e veja como otimizar suas
gestão financeira para MEI
Descubra a importância de uma gestão financeira para MEI para aumentar a eficiência do seu empreendimento. Aprenda como fazer e