Entenda o que é um investidor anjo e como conseguir uma para sua empresa

O investidor anjo vai ajudar você a tirar as suas ideias do papel para concretizar um negócio de sucesso no mercado.
Navegação Rápida
Navegação Rápida

Se você está por dentro do mundo do empreendedorismo, com certeza já ouviu falar em investidor anjo. Afinal, trata-se de uma figura que pode alavancar o seu negócio, não apenas com investimento, mas também com conhecimento especializado.

Entenda neste artigo o que é investidor anjo, como sua empresa pode atrair essa forma de investimento e as vantagens que pode proporcionar para o seu negócio.

Banner CTA

O que é investidor anjo?

São pessoas físicas, normalmente empresários ou profissionais de grandes empresas, que investem em empresas iniciantes, mais conhecidas como startups. O investidor anjo pode também ser uma pessoa jurídica.

Nessa relação, há a transferência de capital para o empreendimento e também de conhecimento, ou seja, sua empresa passa a contar com a expertise do investidor para crescer no mercado. 

Para simplificar, podemos dizer que investidor anjo é alguém que movimenta e injeta seus aportes financeiros em startups que tenham possibilidade de crescimento, além de agregar seu conhecimento para alavancar o empreendimento.

O termo tem origem nos Estados Unidos (chamado de Angel Investor ou Business Angel) e surgiu na década de 1920, quando investidores bancavam os custos da produção das peças da Broadway.

Qual é a função do investidor anjo?

Para crescer e evoluir a empresa, muitas startups recorrem a vários tipos de investimento. E nesses vários modelos e opções disponíveis, o anjo investidor é o personagem que entra logo após a fase inicial da empresa, ou seja, na etapa de validação do negócio.

Assim, entre suas funções, está:

  • fornecer o aporte de recursos financeiros para a empresa operar;
  • transferir seu capital intelectual;
  • auxiliar o negócio a superar desafios, com estratégias para se destacar no mercado;
  • conquistar o retorno financeiro do investimento realizado;
  • fornecer networking, o que também vai ajudar a empresa a crescer.

Para ficar mais claro, veja o exemplo de Jeff Bezos, empresário e fundador da Amazon. Ele é um investidor anjo que está sempre de olho em novos negócios, injetando seu dinheiro e apostando no retorno. Entre seus investimentos, podemos citar Fundbox, Plenty e a Uber.

Aliás, esse é um apadrinhamento muito comum nos Estados Unidos e em outros países, que vem sendo praticado há muitos anos.

No Brasil, temos como exemplo a Camila Farani, investidora anjo que aposta na valorização de diversos empreendimentos, atuando por meio de empresas de investimento, como Gávea Angels, Mulheres Investidoras Anjo e G2 Capital.

O que um investidor anjo procura em um negócio?

O investidor anjo é alguém com visão de mercado, que procura empresas iniciantes, escaláveis e com produtos, serviços ou processos inovadores. Ou seja, está em busca de um modelo de negócio que demonstre perspectiva de sucesso.

Cabe acrescentar que, muitas vezes, além do dinheiro e expertise, o investidor anjo também tem uma cota no negócio que financiou.

Saiba que um investidor anjo não é sempre a pessoa com grandes fortunas, afinal, o processo, geralmente, pode ser feito com mais pessoas com valores que variam de R$ 50 mil a R$ 600 mil. 

Dessa maneira, ele consegue investir em mais de uma startup se for necessário, diversificando as opções e oportunidades de negócio.

Com isso, é papel do investidor anjo:

  • saber a importância de cada projeto em que investirá;
  • estudar a organização em que pretende se inserir;
  • entender o mercado de startups brasileiras e suas particularidades;
  • estudar o perfil do sócio, especialmente para analisar o perfil de liderança.

O que diz a legislação sobre o investidor anjo?

É importante ressaltar que essa não é uma atividade filantrópica e sim um investimento. Na legislação, o investidor anjo está na Lei Complementar 155/2016, em que se prevê seus direitos e deveres. 

Essa lei explica, por exemplo, que o investidor anjo não é sócio da startup, ou seja, não se torna o responsável por dívidas, ações na justiça e nem mesmo por recuperações judiciais.

O que uma empresa pode fazer para atrair um investidor anjo?

O investidor anjo não vai realizar aportes em qualquer tipo de negócio. Logo, a empresa, independentemente do segmento, precisa ser inovadora. É necessário ainda que o empresário tenha uma estrutura de negócio e possa testar e validar suas ideias.

É importante ainda que o empreendimento seja disruptivo, escalável e replicável, como ocorre nos modelos de startups.

Para atrair esse tipo de investidor, é recomendado que o empresário participe de eventos do seu setor, onde possa conversar com outras pessoas e mostrar sua ideia de negócio e como ela é viável no mercado.

Quais as vantagens de ter um investidor anjo?

Entenda abaixo as principais vantagens de contar com um investidor anjo para o seu empreendimento.

Potencial de lucro

Com os recursos financeiros e capital intelectual do investidor anjo‍, a empresa pode se destacar no mercado, apresentando alta lucratividade. Afinal, você passa a contar com uma consultoria em gestão de quem têm amplo conhecimento de mercado.

No Brasil, temos excelentes exemplos de empresas nacionais que tiveram investidores anjos e são extremamente bem-sucedidas. A Buscapé, por exemplo, fundada em 1999, em apenas 10 anos vendeu aproximadamente 90% de suas ações por US$ 342 milhões.

Contato com a inovação

O investidor anjo possibilita abrir sua empresa, de forma que você possa desenvolver produtos, serviços ou processos inovadores no mercado. 

Isso pode ser feito com a possibilidade de investimentos nas melhores tecnologias e na contratação de grandes talentos.

Alinhamento do investimento com propósito pessoal

Esse é o momento em que você pode unir propósitos pessoais com profissionais, visto que pode concretizar seus estudos e ideias em um negócio de sucesso. Além disso, o próprio investidor anjo pode se identificar com seus sonhos, formando uma sólida parceria.

Qual o momento certo de procurar um investidor anjo?

O investidor anjo entra na fase de validação do modelo de negócio, quer dizer, quando ele se mostra viável. Logo, ele ajuda a concretizar a startup e comanda todas as rodadas de investimentos , além de ajudar o fundador e sócios nas decisões.

Uma das formas de conhecer empresas e pessoas para ser investidor é por meio de um pitch, que nada mais é que uma apresentação do plano de negócio e do modelo de forma resumida.

O pitch deve ser breve e mostrar o que o negócio faz, quem é a equipe, como será o ganho do dinheiro e qual o investimento necessário. Por fim, não se esqueça que deve ser apresentado o retorno do valor investido.

Como vimos, o investidor anjo é importante para startups nacionais, sendo também uma forma de valorização das empresas brasileiras. Assim, pode ser o pontapé para sua empresa começar a funcionar e evoluir no mercado.

Para que sua empresa seja destaque em seu segmento, é essencial contar com a tecnologia para otimizar processos. Conheça as soluções Omie para empreendedores e facilite sua rotina de gestão.

Compartilhe este post
Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp
Conteúdos relacionados
pessoas fazendo design thinking
Inove nos processos e soluções da sua empresa: conheça o Design Thinking e entenda a aplicação dessa metodologia nos negócios.
Conheça as vantagens e a importância de ter um software para clínica médica, descubra como escolher a melhor opção e
o que é inovação incremental
A inovação incremental pode melhorar seus processos e sua eficiência. Neste artigo, confira quais são as vantagens e os principais