Regime Tributário: como escolher o melhor para sua empresa?

Saber qual é o regime tributário que a empresa se enquadra é uma dúvida comum dos empreendedores. Veja como identificar o melhor para o seu negócio.
Navegação Rápida
Navegação Rápida

Para começar uma empresa, é importante entender aspectos do mercado, de gestão e também da área fiscal. Assim, é necessário aprender sobre regime tributário, a fim de identificar qual é o melhor para o seu negócio.

Ao conhecer as regras e legislação de cada forma de tributação, o empreendedor enquadra sua empresa na mais adequada, evitando, assim, pagar mais impostos que o necessário. Neste artigo, explicamos sobre os regimes de tributação existentes. Continue a leitura e saiba mais sobre o assunto.

O que é regime tributário e qual sua importância?

O regime tributário se refere às normas e leis acerca dos impostos que uma empresa precisa pagar e estabelece ainda a forma como esses tributos devem ser apurados. As formas de tributação variam de acordo com o perfil do negócio, porte, faturamento, atividades exercidas e natureza jurídica. 

Anualmente, os empresários devem analisar a receita dos últimos 12 meses de atividade da empresa e escolher o regime tributário que será aplicado no próximo ano-calendário, ou seja, é uma definição que pode influenciar (e muito!) no sucesso e na segurança dos negócios.

Vale ressaltar que é importante ter conhecimento sobre o regime tributário de uma empresa para não ter que pagar impostos a mais ou com uma alíquota maior que a necessária, o que pode comprometer a saúde financeira de um negócio. E aqui entra a importância de fazer um planejamento tributário para escolher o mais adequado para seu empreendimento.

Quais são os tipos de regimes tributários?

No Brasil, é comum que os empreendedores tenham dúvidas sobre enquadramento tributário de empresas, pois existem três regimes, cada um com regras distintas. Veja abaixo as características de cada um.

Lucro Real

O Lucro Real é considerado o regime mais complexo e pode ser adotado por todas as empresas, afinal, a apuração do Imposto de Renda (IRPJ) e da Contribuição Social é feita diretamente sobre o Lucro Líquido (CSLL) da empresa, a partir do lucro apurado na escrituração contábil, ajustado conforme a legislação.

Lucro Presumido

É uma forma de tributação um pouco mais simples que a anterior, na qual as apurações de IRPJ e CSLL são baseadas em um percentual estimado de lucro, ou seja, em uma receita bruta presumida, ou prevista.

Simples Nacional

É o regime de arrecadação de tributos mais simples dos três, em sua maioria aplicado às Microempresas (ME) e Empresas de Pequeno Porte (EPP). Todos os tributos são cobrados em uma única guia (DAS) e o valor é determinado pela atividade exercida.

Como funciona a tributação em cada regime?

Depois de conhecer quais são os três tipos de tributação para empresa, é importante entender como funciona cada regime para saber qual deles é o mais adequado para o seu negócio.

Lucro Real

Geralmente, esse é o regime adotado por multinacionais e grandes empresas, contudo, há empresas que são obrigadas a se enquadrar no Lucro Real conforme o Art. 14 da Lei 9.718, como instituições bancárias, seguradoras e empresas cujo faturamento seja igual ou superior a R$78 milhões anuais.

Nesse regime, as empresas calculam sua tributação com base no lucro líquido e podem optar por incidência mensal ou trimestral. No final do ano, é calculado o lucro real e descontado o que já foi pago mensalmente. Caso opte pela apuração trimestral, os quatro pagamentos são considerados definitivos, e não como antecipações.

A alíquota para IRPJ é de 15% e de CSLL, entre 9% e 12%. Para PIS e COFINS, as alíquotas são de 1,65% e 7,6%, respectivamente.

Lucro Presumido

Como o próprio nome já diz, esse regime de tributação é baseado na receita bruta prevista para calcular IRPJ e a CSLL, com percentual de margem pré-definido por lei, dependendo do ramo de atividade da empresa. Você pode consultar a tabela no site da Receita Federal.

No regime tributário de Lucro Presumido, mesmo que a empresa obtenha um lucro maior do que o previsto, sua tributação recairá sobre a margem já fixada previamente. Porém, se for menor, os tributos também devem ser calculados sobre a margem prevista.

Para se enquadrar nesse regime, a empresa precisa apresentar receita bruta total no último ano-calendário igual ou inferior a R$78 milhões.

Simples Nacional

O regime de tributação Simples Nacional foi criado em 2006 pelo Governo Federal, visando simplificar o pagamento de tributos, principalmente por parte das empresas pequenas e médias, como Microempresas (ME), Empresas de Pequeno Porte (EPP) e Microempreendedor Individual (MEI). 

A ideia foi tornar o processo menos burocrático e com um custo menor, impulsionando a abertura de novas empresas.

Para se enquadrar no Simples, a empresa deve ter receita bruta máxima de R$4,8 milhões no último ano-calendário e mínima de R$360 mil, no caso das EPPs. Para o ME, a receita deve ser igual ou inferior a R$ 360 mil e para o microempreendedor individual (MEI), o faturamento não pode ultrapassar os R$ 81 mil anuais.

Como decidir o melhor regime tributário para minha empresa?

Entender os regimes tributários pode ser uma tarefa simples ou extremamente complexa para os empresários. Cada empresa funciona de uma maneira e muitos detalhes devem ser considerados para definir a tributação mais adequada para o momento atual. Afinal, as empresas podem mudar seu perfil e aumentar o faturamento ao longo do tempo.

Por isso, é importante ter em mente que a escolha deve considerar diversos critérios, como margem de lucro, gastos indiretos, créditos tributários, o enquadramento do último ano calendário, dentre diversos outros.

Saiba também que a escolha entre os regimes poderá afetar a forma de tributação de outros tributos, como o PIS/COFINS por exemplo, que têm tratamentos diferentes para Lucro Real e Lucro Presumido.

Portanto, nessa hora, é indispensável a consulta com o seu contador. Entender cada detalhe da sua rotina empresarial, encontrar as situações vantajosas e garantir mais economia ao arcar com as obrigações tributárias da sua empresa é um trabalho contínuo da contabilidade.

Quais os riscos da escolha errada do regime tributário para sua empresa?

É importante analisar os detalhes de cada regime tributário para não fazer uma escolha errada para sua empresa. Isso porque você pode acabar pagando mais impostos, o que impacta nos seu faturamento e pode elevar o preço dos seus produtos e serviços. 

Há também o risco de você pagar multas por fazer o pagamento incorreto de um tributo de acordo com o perfil do seu negócio. Estar no regime tributário inadequado para a sua empresa pode também fazer com que você perca créditos tributários, que podem ser concedidos de acordo com sua atividade.

Como você viu, se enquadrar no regime tributário correto é importante para manter a saúde financeira da sua empresa. E já que estamos falando de finanças, conheça os diferenciais de contar com o Sistema ERP para empresas para automatizar suas atividades e ter mais sucesso na gestão do seu negócio.

banner cta contador

Compartilhe este post
Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp
Conteúdos relacionados
planejamento tributário
As obrigações fiscais têm pesado no bolso da sua empresa? O planejamento tributário é uma forma de otimização de custos
PIS: homem com mão no queixo
Diferente do que se imagina, o PIS não foi substituído pelo abono salarial. Encontre informações atualizadas neste guia.
Homem pensando se mei tem fgts
Descubra se o MEI possui FGTS e saiba mais sobre esse tema importante para os futuros microempreendedores.