Entenda a importância de retirar o pró-labore

Você sabe o que é e como calcular o pró-labore? Entenda a importância de fazer a retirada dele e como definir seu valor. Acesse e saiba mais!

13/Out/2020
Finanças

Todo sócio que trabalha para uma organização tem direito a um pagamento. Esse é o chamado pró-labore, que, em latim, significa “pelo trabalho”, e se trata da remuneração destinada ao sócio ou dono de uma empresa. 


No entendimento da legislação trabalhista, a definição do que é pró-labore difere de um salário comum, já que não existem regulamentações sobre 13° salário, FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço), entre outros direitos.


Sendo assim, esses direitos assegurados para um trabalhador registrado em uma empresa são opcionais para o sócio. Para firmar esses benefícios, é possível elaborar um acordo entre a companhia e o administrador para definir como serão os termos do pró-labore.

Como fazer a retirada do pró-labore?

Para entender como fazer a retirada do pró-labore, é preciso estabelecer alguns fatores. Você pode considerar quanto deveria ser o salário de uma pessoa que desempenharia todas as funções que o sócio/administrador da empresa exerce, por exemplo.


O valor do pró-labore não possui um teto máximo, porém, também não deve ser inferior a um salário mínimo vigente. Para fazer o cálculo do pró-labore, você pode utilizar a tabela do INSS como base, já que ela define o teto mínimo e o teto máximo de arrecadação.


Geralmente, o valor do pró-labore é maior do que o salário dos colaboradores da empresa, já que as responsabilidades são maiores e até mesmo a jornada de trabalho costuma ser mais extensa. Além disso, o sócio/administrador não possui benefícios trabalhistas, como férias remuneradas, vale-transporte e auxílio para alimentação. 


Vale lembrar também que existem impostos específicos sobre o pró-labore, conforme o regime tributário da companhia. De modo geral, são cobrados 11% de INSS, entretanto, esse valor pode aumentar dependendo se a empresa é ou não optante pelo Lucro Presumido ou Lucro Real. 


Outro fator importante é que o administrador indicado no contrato social da organização é obrigado a contribuir com a Previdência Social. Além disso, caso a companhia não registre o pró-labore em sua contabilidade e seja fiscalizada pela Receita Federal, ela é obrigada a pagar um valor proporcional referente ao INSS.

Quais impostos incidem sobre o pró-labore?

Ao fazer o cadastro do pró-labore, é preciso gerar a Guia de Previdência Social (GPS), para que seja possível fazer o pagamento da contribuição ao INSS. Veja a seguir os impostos incidentes no pró-labore conforme o Regime Tributário da empresa:

Simples Nacional

Para os sócios de empresas incluídas no Simples Nacional, serão deduzidos do valor bruto 11% de INSS, além do Imposto de Renda sobre pró-labore, conforme a tabela progressiva da Receita Federal.

MEI

Já no caso do pró-labore MEI, o administrador deverá informar na DASN-MEI o faturamento anual da empresa, além de o que foi retirado a título de pró-labore. Atente-se também à manutenção das alíquotas conforme a categoria da sua empresa. 

Lucro Presumido

Para as empresas enquadradas no Lucro Presumido existem os encargos sociais, que representam 20% do valor do pró-labore, além dos 11% do INSS e o valor do Imposto de Renda, segundo a tabela progressiva da RF.

Como comprovar renda com o pró-labore?

Após entender mais sobre o que é pró-labore, surge a dúvida sobre como é possível fazer a comprovação de renda. Infelizmente, nesse caso, não há um holerite que cumpra esse papel, portanto, para comprovar renda, você pode utilizar os comprovantes de contribuição com o INSS.


Além disso, também é possível que seu contador emita uma declaração de pagamento do pró-labore por parte da empresa. Com o comprovante de contribuição do INSS, o sócio poderá comprovar sua renda.

Planejamento financeiro empresarial

Além de saber o que é o pró-labore da sua empresa, defini-lo também contribui para que seja possível gerir as finanças de forma mais organizada. Isso porque, quando o administrador deixa de retirar o pró-labore, ao contabilizar o lucro ou os custos do negócio, os valores podem não estar de acordo com a realidade.


Afinal, o administrador representa um custo para a empresa, assim como qualquer outro colaborador. Portanto, quando o pró-labore só é retirado em alguns meses e em outros não, não há um custo fixo que pode ser calculado, o que prejudica inclusive o cálculo do valor dos produtos e serviços oferecidos pela companhia.


Portanto, para garantir um planejamento financeiro empresarial eficiente, é preciso definir o valor o pró-labore e fazer sua retirada todos os meses. Saiba tudo sobre planejamento financeiro em um artigo completo e fique em dia com a gestão das finanças da sua empresa.


Receba as novidades

Assine nossa newsletter

Obrigado por se inscrever!

Oops! Verifique novamente se informações estão corretas

Posts Relacionados

Artigos por autor

Receba as novidades

Receba as novidades

Obrigado por se inscrever!

Oops! Verifique novamente se informações estão corretas