O que as empresas ainda não entenderam do Bloco K

Após alguns meses desde a obrigatoriedade do Bloco K para todas as indústrias, equiparados e atacadistas, ainda há empresas e escritórios contábeis negligenciando a importância desta obrigação acessória.

12/06/2019
Contabilidade

O Bloco K entre as empresas e contadores

Venho falando das regras, riscos e cuidados em relação a esta obrigação já há alguns anos, mas ao visitar os escritórios de contabilidade e também ao palestrar para clientes, sempre chamo a atenção prévia sobre a preparação, parametrização do sistema, treinamento do funcionário e organização dos processos internos para atender ao requisitos da Sped Fiscal.

Nestes últimos dias, ao me deparar com Contadores e profissionais da área fiscal, não me surpreendi com confissões que estão mandando os arquivos com o Bloco K zerado, e na melhor das hipóteses estão apenas importando os dados através de planilhas do excel.

São poucos os que estão fazendo o envio amparados pelos controles extraídos de um sistema devidamente preparado para atender ao layout do Sped Fiscal.

É preciso fazer a geração do Bloco K corretamente!

Percebo que ainda não ocorreu a tal mudança de paradigma ou mesmo uma mudança de postura para fazer os registros do Bloco K da maneira certa. Essa obrigação acessória continua sendo feita de forma precária, o que pode gerar grandes problemas futuros.

Para isso, eu costumo contar uma história que nada mais é que uma metáfora do momento estamos que vivendo nos últimos anos:

“Imagine que o governo tivesse criado uma lei obrigando a todos andarem apenas de helicóptero, logo passaria não existir mais construções de estradas e haveria muitas mudanças, pois todos os meios de transporte teriam de voar.

Diante deste cenário, a população decidiu dividir-se em três grupos:

No primeiro grupo juntaram-se aquelas pessoas mais flexíveis que entenderam as mudanças e que terão de adquirir um helicóptero para locomoção entre um local e outro.

Já no segundo grupo as pessoas um pouco mais resistentes à mudança mas vão tentar colocar hélices e outros acessórios em seus automóveis na esperança de voar com segurança, um grande risco...

Mas as pessoas do terceiro do grupo que correm perigo maior, são aquelas totalmente resistentes às mudanças e não pensam em comprar um helicóptero ou adaptar seus automóveis. Estão colando adesivos brilhantes em letras garrafais escrito 'HELICÓPTERO' na lataria de seus automóveis com esperança de um dia voar.”

Agora parafraseando meu amigo, escritor e palestrante, Roberto Dias Duarte, “estamos dentro de um verdadeiro big brother fiscal, vigiados 24 horas por dia”. É por isso que o empresário deve entender bem o que significa este novo jeito de fiscalizar do governo para poder se precaver.

Além disso, o Contador e sua equipe também precisam aprofundar seus conhecimentos sobre esta obrigação chamada Sped Fiscal pois o risco aumenta mês a mês.

Ficou preocupado(a) com o futuro da sua empresa e gostaria de entender tudo sobre o Bloco K? Confira nosso guia completo no link.



Prof. Antonio Sérgio

Antonio Sérgio de Oliveira é palestrante, professor e autor de diversos livros (e-Social, SPED, Bloco K, Substituição Tributária), com mais de 25 anos de experiência no segmento tributário e fiscal.

Receba as novidades

Assine nossa newsletter

Obrigado por se inscrever!

Oops! Verifique novamente se informações estão corretas

Posts Relacionados

Artigos por autor

Receba as novidades

Receba as novidades

Obrigado por se inscrever!

Oops! Verifique novamente se informações estão corretas