Saiba por que fazer Auditoria Contábil na sua empresa

Auditoria Contábil: entenda o conceito, objetivos e quando se deve fazer uma auditoria em sua empresa.

18/Jun/2022
Contabilidade

Com o desenvolvimento econômico e o aumento de grandes empresas de capital aberto, a auditoria contábil se tornou essencial. Ela permite mostrar para investidores e acionistas quão transparente e segura é a empresa em que estão aplicando seu capital.

Sabe-se que as relações econômicas envolvem credores e devedores, e para salvaguardar o interesse de ambos, as informações divulgadas devem ser validadas a fim de manter a confiabilidade das negociações. 

No cenário nacional, as Normas Brasileiras de Contabilidade (NBC) direcionam e definem as regras de conduta dos auditores e do processo de auditoria no país. Com o objetivo de emitir relatórios sobre a adequação dos termos aplicados, o auditor deve planejar seu trabalho conforme as Normas Profissionais de Auditor Independente.

Continue a leitura deste artigo e entenda o que faz um auditor contábil, a importância da auditoria contábil para a credibilidade das empresas, seus conceitos, objetivos e como ela é realizada. Boa leitura!

Conceitos e objetivos da auditoria 

Conforme as Normas de Auditoria Independente das Demonstrações Contábeis (NBC T 11), a auditoria contábil é caracterizada pelo conjunto de procedimentos técnicos que tem como objetivo a emissão de relatório sobre a adequação das demonstrações contábeis auditadas.

Espera-se de um auditor contábil conhecimento sobre a atividade econômica da entidade em que está realizando a auditoria contábil, para, assim, dispor da capacidade de julgar a relevância dos eventos e a extensão dos procedimentos a serem aplicados.

O que é auditoria

A auditoria é um conjunto de ações ー coleta de informações, inspeções, exames de documentos (registros e de livros contábeis) ー que tem relação com o controle do patrimônio auditado. É realizada nos mais diversos setores e tem como meta diferentes objetivos ou certificações.

Quem precisa de auditoria

Precisam ser auditados bancos e instituições financeiras, bem como empresas de grande porte sem capital aberto, segundo a lei Nº 11.638/2007. Já as que possuem capital aberto, são obrigadas a realizar auditorias anuais. 

Técnicas e procedimentos de auditoria

O trabalho de auditor classifica-se basicamente como uma revisão das práticas adotadas e informações divulgadas em demonstrações contábeis financeiras por parte da entidade. Desse modo, devido ao extenso escopo e movimentações de algumas entidades, é possível auditar a totalidade das transações.

Nesse contexto, a organização de seu trabalho considera a materialidade das informações apresentadas, limitando seus testes por relevância e amostras a serem validadas.

Uma vez definida as áreas relevantes e as amostras de testes, são aplicados os procedimentos de auditoria, que nada mais é do que um conjunto de técnicas que permitem a obtenção de evidências para fundamentar a opinião do auditor. 

A principal finalidade de uma auditoria contábil é averiguar a exatidão dos registros contábeis e todos os elementos de controle do patrimônio de uma empresa.

Os procedimentos são divididos em dois testes.

Testes de Observância

Tem o objetivo de averiguar se os controles internos propostos pela administração da entidade são coerentes e se estão sendo postos em prática.

Testes Substantivos

Estão ligados à validação por meio da exatidão dos dados produzidos pelo sistema contábil da entidade, subdividindo-se em testes de transações e saldos e procedimentos de revisão analítica.

Veja quais são os principais procedimentos da auditoria contábil por meio de testes substantivos:

  • Contagem física (chamado também de inventário);
  • Confirmação com terceiros;
  • Conferência de cálculos;
  • Inspeção de documentos;
  • Observação;
  • Reexecução;
  • Procedimentos analíticos;
  • Indagação.

 

Revisão de controle interno 

A prática de controle interno nas entidades tem por objetivo fundamental a prevenção de erros e fraudes. Vale ressaltar que o sistema de controle é de responsabilidade da administração da empresa, estando o auditor submetido a análises, de modo a propor sugestões objetivas para o seu aprimoramento, a partir de constatações feitas no decorrer do seu trabalho.

O controle interno é um conjunto de procedimentos, métodos ou rotinas que tem o objetivo de proteger os ativos, produzir dados contábeis confiáveis e ajudar a administração na condução ordenada dos negócios da empresa.

Também auxilia a verificar a exatidão e fidedignidade de seus dados contábeis, a promover a eficiência operacional e encorajar a adesão à política traçada pela administração. 

Esse sistema está dividido em:

Controles Contábeis

Compreendem o plano de organização e todos os métodos e procedimentos relacionados com a salvaguarda do patrimônio e propriedade de registros contábeis. Listamos alguns exemplos:

  • Sistemas de conferência, aprovação e autorização;
  • Segregação de funções (pessoas que têm acesso aos registros contábeis não podem custodiar ativos da empresa);
  • Composição de contas contábeis;
  • Arquivamento de documentos que comprovam as transações registradas pela Contabilidade;
  • Controle físico sobre ativos;
  • Auditoria interna. 

Controles Administrativos

Compreendem o plano de organização, métodos e procedimentos relacionados à eficiência das operações voltadas para a política de negócios da empresa e, indiretamente, para os registros financeiros. Veja alguns exemplos:

  • Análises estatísticas de lucratividade por linha de produtos;
  • Controle de qualidade;
  • Treinamento de pessoal;
  • Estudos de tempos e movimentos;
  • Análise das variações entre os valores orçados e incorridos;
  • Controle dos compromissos assumidos, mas ainda não realizados economicamente.

A implantação de controle interno promove maior credibilidade à entidade executora, uma vez que manuais e práticas previamente organizados são instalados. Contudo, como todo e qualquer sistema é passível de erros, cabe ao auditor realizar atividades sobre este.

Em 1985, foi criado um comitê para prevenção de fraudes nos procedimentos e processos internos da empresa, o COSO (Committee of Sponsoring Organizations of the Treadway Commission). Ele é responsável pelo estudo dos fatores que geram relatórios fraudulentos, bem como a elaboração de recomendações para companhias abertas e seus auditores independentes.

A prática de controle vem ganhando espaço nas políticas internas das entidades, apresentando-se como uma oportunidade de negócio para contadores. A seguir estão listados os princípios fundamentais dessa natureza de trabalho:

a) Responsabilidade: as atribuições dos funcionários devem ser adequadamente definidas e limitadas;

b) Rotinas internas: através de manual, a empresa deve definir toda a sua rotina;

c) Acesso aos ativos: a empresa deve limitar o acesso dos seus funcionários, estabelecendo controles físicos;

d) Segregação de funções: a mesma pessoa não pode ter acesso aos ativos e aos registros contábeis;

e) Confronto dos ativos com os registros: estabelecimento de controles para que os ativos sejam periodicamente confrontados com registros;

f) Amarrações do sistema: o sistema de controle interno deve ser concebido de maneira que sejam registradas apenas as transações autorizadas, por seus valores corretos e dentro do período de competência;

g) Auditoria interna: verificação periódica do cumprimento do que foi determinado;

h) Custo x benefício: o custo do controle interno não deve exceder seu benefício;

i) Limitações do controle interno: esses limites relacionam-se, basicamente, à existência de conluio de funcionários, funcionários não instruídos adequadamente sobre as normas internas, e, por fim, funcionários negligentes. 

Papéis de trabalho

Na auditoria contábil, o auditor deve colher elementos comprobatórios suficientes para apoiar o seu relatório sobre as demonstrações contábeis, como: balanço patrimonial, demonstração do resultado do exercício, das mutações do patrimônio líquido, dos fluxos de caixa, do valor adicionado e notas explicativas. 

Com a finalidade de atender a essa norma, os auditores elaboram papéis de trabalhos que representam o registro de todas as evidências obtidas ao longo do serviço de auditoria.

Após o término do trabalho, revisam-se os papéis para garantir que o serviço foi executado conforme o previsto em norma. Ao revisá-los, o auditor assume a responsabilidade de que foram cumpridas as normas e que o objetivo do trabalho foi alcançado.

Vamos para a prática? Se você tem curiosidade de ingressar nessa área, ou iniciar a prestação desse tipo de serviço, é interessante que já comece o processo de treinamento. Como auditor contábil, é indicado sempre as análises relativas às contas de resultado de uma organização. 

Testes de receitas, despesas e custos

O teste dessas transações consiste em o auditor verificar se os valores foram registrados no regime de competência, se foram aprovados, se correspondem aos negócios da companhia, se existe documentação suportando a operação e se a classificação contábil foi adequada. 

Adicionalmente as receitas são testadas para subavaliação, ou seja, o auditor parte do documento para a razão geral, enquanto as despesas e os custos são auditados para a superavaliação, o que significa que o auditor deve partir da razão geral para o documento (Almeida, 2012). 

Testes das Receitas

Os testes relativos às contas de receitas são definidos com base na natureza da transação que gerou esse benefício à entidade. Diante disso, a forma como o auditor irá aplicar seus procedimentos varia. 

Por exemplo, ao auditar as receitas de empresas de construção civil, é indispensável a análise de boletins de medição de obras, orçamentos etc. De forma geral, são solicitados os documentos que formalizam e comprovam a ocorrência da movimentação (notas fiscais, relatórios de faturamento, boletos emitidos). Analisa-se o processo de contabilização e o somatório dos valores relacionados.

Testes das Despesas e dos Custos

Para auditar-se esses dois grupos de conta, deve ocorrer uma segregação entre os dois grupos contábeis, que já vêm definidos na estrutura da Demonstração do Resultado. 

Posterior à fase de análise, é salutar que o auditor avalie:

  • Despesas que possuem material relevante com as contas do balanço patrimonial;
  • Os controles e registros das aquisições de matérias-primas e serviços;
  • A formação do custo de vendas;
  • A composição tributária da organização, assim como a sua conformidade às leis tributárias do país;
  • Os registros contábeis de folha de pagamento;
  • Outras despesas e gastos gerais que apresentarem materialidade e relevância. 

Procedimentos de auditoria

Para a auditoria de aquisição de matérias-primas e serviços é relevante que o profissional busque conferir o valor selecionado no registro na documentação comprobatória, atentando-se para a autenticidade do documento; conferir a nota fiscal do fornecedor, juntamente a sua cotação, a fim de evidenciar se o menor preço foi o escolhido; verificar adequação contábil do registro; verificar se os encargos registrados na nota correspondem a transação e seus valores devidamente calculados.

Os custos de vendas estão interligados às movimentações ocorridas nas contas de estoque. Sendo assim, definimos que as entradas e os saldos inicial e final dos estoques são testados diretamente para superavaliação e indiretamente para subavaliação, por ocasião da auditoria em outras contas do balanço patrimonial e demonstração do resultado do exercício.

Com o intuito de averiguar a fidedignidade dos saldos apresentados acerca das despesas com tributos, é relevante aplicar os seguintes procedimentos de auditoria:

  • Verificar se estão de acordo com a legislação vigente;
  • Conferência dos cálculos;
  • Verificar escrituração nos livros fiscais, quando aplicável;
  • Inspecionar guias quitadas. 

Inclua na rotina da empresa

A importância da auditoria contábil para a credibilidade das empresas é notória. À medida que as organizações crescem, mais responsabilidades elas acumulam, não só com seus clientes, mas com investidores e acionistas.

Incluir a auditoria na rotina da empresa é crucial para prevenir desvios e prejuízos ao longo do caminho e continuar tendo uma boa imagem.

Entenda o que faz auditor contábil e torne-se um também!

Receba as novidades

Assine nossa newsletter

Obrigado por se inscrever!

Oops! Verifique novamente se informações estão corretas

Posts Relacionados

Artigos por autor

Receba as novidades

Receba as novidades

Obrigado por se inscrever!

Oops! Verifique novamente se informações estão corretas