Custo de estoque: como funciona e como calcular. Guia completo!

O custo do estoque envolve diferentes fatores que precisam ser considerados para entender a realidade financeira da empresa.
Navegação Rápida
Navegação Rápida

Os produtos armazenados geram despesas para a empresa, por isso, para ter um controle financeiro eficiente, o gestor precisa conhecer o custo do estoque. Isso porque esse cálculo tem relação com o lucro da organização.

Afinal, é importante descontar todos os gastos envolvidos com a armazenagem, venda e transporte das mercadorias. Mas como funciona o custo do estoque e como calcular? 

Tire suas dúvidas com este guia completo para o seu negócio.

O que é o custo de estoque?

O custo do estoque se refere à soma de todos os elementos que geram despesas para a empresa e estão relacionados com a armazenagem e distribuição de mercadorias. 

Assim, envolve aluguel do local de armazenagem, seguro, energia elétrica, custos com funcionários envolvidos, despesas com transporte do produto, obsolescência e perda de produtos, tributação, entre outros fatores.

Por que o custo de estoque é importante?

Ao fazer a gestão do estoque, o empreendedor precisa entender o custo que o estoque gera para o negócio. Isso porque, ao calcular esse gasto, ele tem um cenário financeiro confiável da empresa, podendo fazer projeções futuras e traçar estratégias.

Aqui é necessário ressaltar que o lucro obtido com a venda de um produto não pode considerar apenas o seu custo (no caso da revenda) ou o custo da matéria-prima e produção. Precisa considerar despesas operacionais, entre elas o custo do estoque.

As mercadorias armazenadas geram despesas relacionadas ao pedido de um produto, seu transporte até gastos com situações de devolução. Tem ainda o custo com o local de armazenamento, com os funcionários, possíveis gastos com depreciação de produtos, entre outros.

Portanto, é preciso ter em mente qual é o custo do estoque e buscar medidas para reduzir esse tipo de despesa de modo a manter a saúde financeira da organização. 

Por exemplo: caso a empresa esteja tendo uma perda grande do produto X, precisa entender a saída deste produto para reduzir a quantidade armazenada. Por outro lado, é importante que não haja falta de um produto, a fim de não deixar o cliente insatisfeito.

Libere seu crescimento - banner omie desplanilhe-se

Tipos de custo de estoque

Existem diferentes tipos de custo de estoque e é importante considerar todos eles para fazer uma gestão financeira eficiente na sua empresa. Acompanhe.

Custo de compra de estoques

O custo de compra de estoques compreende os custos para aquisição do produto, como o valor do item, seus tributos (como importação), taxas de câmbio, frete, seguro, entre outros.

Custo de manutenção de estoque

O custo de manutenção de estoque se refere a todas as despesas para manter o estoque, como:

  • aluguel;
  • energia elétrica;
  • limpeza;
  • maquinário;
  • reparos;
  • salário dos colaboradores do estoque;
  • segurança do estoque (sistemas de monitoramento e profissionais de segurança);
  • sistema de gerenciamento do estoque.

Como se vê, aqui estão listados todos os fatores que não podem faltar para que o estoque da empresa funcione.

Custo do pedido

Uma das etapas de controle do estoque é saber quais são os pedidos, certo? E saiba que os custos do pedido também fazem parte do custo de estoque. Nesse aspecto, é preciso considerar as despesas envolvidas no preparo, envio e processamento do pedido.

Custo de falta de estoque

O custo de falta de estoque é a despesa que a empresa tem em não conseguir atender uma demanda. Então, se o cliente faz o pedido do produto Y e ele está em falta, a empresa arca com um custo de uma venda perdida e  com o aborrecimento do cliente.

Nesse ponto, uma solução simples é contar com uma das vantagens do sistema de controle de estoque, uma tecnologia que permite saber a quantidade de itens armazenados e o momento certo para a compra de produtos.

Custo de obsolescência de estoque

O custo de obsolescência de estoque ou custo de risco engloba as despesas que o negócio tem com produtos que ficam parados. 

Imagine uma loja que vende videogames e prepara o estoque com muitos itens do último modelo de um console. No entanto, a saída de produtos não é tão alta e, pouco tempo depois, o fabricante lança no mercado uma nova versão do console.

Assim, a loja passa a ficar com itens obsoletos no estoque que, para serem vendidos, terão que ter um preço reduzido, afinal o produto deixou de ser novidade no mercado. Isso impacta as finanças, ou seja, traz custos para a empresa.

Negócios que trabalham com produtos perecíveis podem ter perdas com produtos que passem da validade, por isso é importante manter o volume no estoque equilibrado, de forma a atender a demanda de cada item.

Nesse último caso, fazer o estoque com a metodologia PEPs, ou seja, que organiza os itens para que os mais antigos saiam primeiro, pode evitar a perda de produtos e prejuízos.

Custo médio de estoque

Para calcular o custo médio do estoque é preciso considerar todos os custos envolvidos nessa área, como valor do aluguel do depósito, taxas de manutenção, valor dos produtos, entre outros fatores, o que pode variar de empresa para empresa. 

Por exemplo: uma empresa com um estoque grande de produtos refrigerados têm um gasto elevado com esse armazenamento, concorda?

Para fazer o cálculo do custo do estoque, você pode utilizar a fórmula CMV (Custo por Mercadoria Vendida):

  • CMV = estoque inicial + compras adicionais – estoque final

Para fazer a conta, considere o valor de um produto unitário ou o percentual sobre o faturamento. O estoque inicial é o custo do estoque que você tem disponível no período, quer dizer, que não foram vendidos no período anterior.

As compras adicionais foram os novos itens comprados, além de despesas com o estoque no período, como mão de obra, aluguel, segurança e outras. Já o estoque final são os produtos que não foram vendidos no período analisado.

Assim, ao saber o custo médio do estoque, você pode calcular a margem de lucro com mais segurança e entender a situação financeira da sua empresa, o que facilita a tomada de decisão.

Estratégias para reduzir o custo de estoque

Se o empreendedor analisa que o custo de estoque está alto, ou seja, comprometendo os ganhos da empresa, é importante tomar algumas medidas, como:

  • ter o controle da entrada e saída de produtos utilizando um sistema de gestão de estoque para entender o melhor momento de comprar novos itens;
  • escolher uma metodologia de organização de acordo com o perfil da empresa, como PEPs ou UEPs. Na segunda, o último produto que entra no estoque é o primeiro a sair;
  • fazer o cálculo da curva ABC para saber quais produtos têm mais ou menos saída;
  • realizar campanhas promocionais para produtos parados há muito tempo;
  • conhecer o comportamento do seu cliente e a sazonalidade das vendas para fazer compras mais inteligentes, evitando excesso ou falta de produtos.

Outras dúvidas sobre esse tema

Para entender melhor o assunto, veja as respostas para as dúvidas mais comuns que possam surgir a respeito do custo de estoque.

Como é feito o cálculo do CMV?

CVM é o custo por mercadoria vendida e sua fórmula é: CMV = estoque inicial + compras adicionais – estoque final.

Qual é o CMV ideal?

Esse indicador pode variar de empresa para empresa, porém o CVM ideal deve girar em torno de 20% a 30% do faturamento.

Qual a diferença entre custo de estoque e custo de armazenagem?

O custo de armazenagem é a despesa para guardar produtos em um depósito ou centro de distribuição. O custo de estoque envolve vários fatores, como valor dos produtos, manutenção do estoque, despesas com excesso e falta de produtos, entre outros.

Importância da tecnologia para gerenciar o estoque

Como foi mostrado, o custo do estoque impacta diretamente nas finanças de um negócio, por isso é uma área que precisa de uma gestão eficiente. 

E, nessa hora, utilizar planilhas ou outros processos manuais não é indicado. O ideal é contar com um sistema de gestão empresarial, que faça a integração dos setores da empresa, realizando assim o controle do estoque.

Desse modo, você mantém o estoque sempre atualizado após um pedido em todos os canais de venda, além de saber o momento certo para as compras, evitando falta ou perda de produtos.

Quer conhecer uma tecnologia para reduzir o custo do estoque? Fique por dentro de todas as funções do sistema ERP.

Compartilhe este post
Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp
Conteúdos relacionados
estoquistas vendo dicas de controle de estoque
Como fazer o controle de estoque para sua empresa de forma objetiva, eficiente e os principais cuidados que você deve
Impostos sobre Produtos Importados: TAX
Desvende os segredos dos impostos sobre produtos importados e aprenda a calcular de forma simplificada.
OTIF: gestão de logística.
Conheça indicador que promove economia e eficácia