Gestão comportamental no ambiente corporativo, como aplicar?

Com a gestão comportamental, você colabora para o bem-estar, crescimento dos seus colaboradores e alinhamento das equipes.
Navegação Rápida
Navegação Rápida

A área de recursos humanos está sempre se atualizando e, com isso, passou a ter uma olhar mais humanizado e sensível sobre os colaboradores. Estamos falando da gestão comportamental, ou seja, um gerenciamento de pessoas que leva em conta o comportamento e habilidades subjetivas dos profissionais para a definição de estratégias.

Se você busca entender melhor o que é gestão comportamental, suas vantagens para o ambiente corporativo e como aplicá-la, acompanhe este artigo!

Vantagens da Gestão Comportamental

Entre os modelos de gestão, está a gestão comportamental, no qual a empresa faz o gerenciamento do seu capital humano com mais estratégia.

Isso porque você passa a considerar não apenas as habilidades técnicas e experiência dos profissionais, mas também as soft skills (competências subjetivas).

Dessa maneira, entende o comportamento do colaborador como um ponto que vai gerar valor para a organização. Veja a seguir os principais ganhos do RH e lideranças adotarem a gestão comportamental:

  • valorização dos colaboradores — com esse método, você reconhece as potencialidades dos colaboradores, busca meios para que eles trabalhem motivados e felizes, além de permitir seu crescimento na empresa;
  • recrutamento eficiente — uma grande vantagem é mapear o perfil comportamental do colaborador que a empresa busca (e que esteja de acordo com seu fit cultural) e usar essas informações para o recrutamento eficiente de talentos;
  • clima organizacional positivo — a gestão comportamental visa manter o ambiente corporativo mais saudável, pois conta com uma equipe alinhada com a cultura da organização, além de ter líderes que conseguem manejar melhor os conflitos;
  • aumento da produtividade — ao conhecer o perfil do colaborador, é possível encaixá-lo nas funções certas e fornecer treinamentos mais assertivos. Você passa a ter ainda uma equipe que trabalha em conjunto segundo os objetivos da empresa;
  • retenção de talentos — ao valorizar o profissional, promover seu desenvolvimento e investir em seu bem-estar, você retém talentos, aperfeiçoando suas equipes e reduzindo custos com novos processos seletivos, admissões e demissões.

Quais são os 4 perfis comportamentais do modelo de Gestão comportamental

A gestão comportamental pode trabalhar com perfis de comportamento de profissionais, considerando suas aptidões, traços de personalidade e competências socioemocionais. Por que entender essa classificação é importante? 

Para formar equipes que possam ter habilidades que se complementam, por exemplo. Dessa maneira, na área de vendas, é ideal ter alguém que se comunique bem, contudo ter alguém com capacidade analítica também pode somar pontos para o time, concorda?

Na sequência, conheça 4 perfis de comportamento que você pode analisar para recrutar talentos ou para desenvolver suas equipes.

1. Perfil comunicativo

São profissionais que se comunicam bem, são expansivos e que gostam de motivar a equipe. Costumam estar próximos aos gestores, têm aptidão para ensinar os colegas e para manter o grupo coeso. Assim, têm prestígio na empresa.

No entanto, como gostam de ser o destaque do time, pessoas com esse perfil podem ter dificuldades para receber feedbacks negativo.

2. Perfil executor

Colaboradores com esse perfil colocam a “mão na massa”, quer dizer, são proativos e sabem como organizar o andamento das suas demandas para as entregas serem ágeis e pontuais. Outras características marcantes são a competitividade e senso de liderança.

Porém, em muitos casos, são pessoas que acreditam que os outros devem seguir o mesmo ritmo que eles, passando na frente de colegas que demoram mais para concluir suas tarefas.

3. Perfil analítico

São pessoas que não gostam de entregar nada com pressa, pois enxergam a necessidade de fazer análises dos dados que têm em mãos, sendo mais detalhistas. Gostam de trabalhar em um ambiente organizado, pois trabalham bem focados em suas atividades.

Apresentam dificuldade para lidar com a tomada de decisão e com situações de conflito, pois tendem a avaliar diferentes pontos de vista antes de se posicionar.

4. Perfil planejador

São profissionais que gostam de trabalhar com uma agenda para poderem fazer suas tarefas de forma planejada. São pessoas mais pacientes, centradas, com um bom relacionamento interpessoal e preferem atividades rotineiras.

Assim, são colaboradores com dificuldade para aceitar desafios e lidar com situações de imprevisto.

Banner CTA

Como implementar a gestão comportamental? 

Depois de saber o que é gestão comportamental e os principais perfis de comportamento para analisar nos colaboradores, chega o momento de saber como adotar esse modelo de gestão. Acompanhe!

Definir objetivos e metas

Para ter eficiência com esse modelo de gestão de pessoas, é importante definir objetivos e metas para sua empresa, que podem ser:

  • aumentar a produtividade dos colaboradores — é possível determinar um aumento nas vendas ou em atendimentos prestados em uma dado período;
  • reduzir o turnover — o RH pode ter como meta a diminuição no número de rescisões e novas contratações;
  • melhorar o clima organizacional — com a verificação de pesquisas com as equipes, registros de queixas ou conflitos;
  • aumentar a satisfação dos clientes — a equipe alinhada e motivada traz resultados junto ao atendimento aos clientes.

Mapear os perfis comportamentais dos colaboradores

Além de definir metas, é uma gestão que deve mapear o perfil de comportamento do quadro de pessoal. Para isso, o RH pode utilizar:

  • testes psicológicos para entender aptidões e traços de personalidade;
  • questionários para conhecer pontos fortes e fracos e como o colaborador age em certas situações;
  • entrevistas para entender pontos mais subjetivos, traços da personalidade, jeito de se comunicar, histórias de vida, entre outros aspectos.

Alinhar o perfil comportamental desejado

Ao identificar as potencialidades, dificuldades e outras habilidades subjetivas, chega o momento de criar um plano para alinhar esse perfil às necessidades da empresa. 

Dessa forma, em conjunto com as lideranças, é possível alocar um talento, por exemplo, para um departamento ou função que faça mais sentido para o seu perfil. E, é claro, o mapeamento ajudará a definir melhor os treinamentos necessários para cada um.

Desenvolver e capacitar os colaboradores

Ao entender os pontos fortes e fracos de cada profissional, o RH pode oferecer cursos e treinamentos para preencher essas lacunas, como o curso da Omie Academy voltado para Plano de Carreira e Autoconhecimento.

Assim, em vez de demitir o colaborador, a gestão comportamental visa desenvolvê-lo com capacitações adequadas, reduzindo a rotatividade e permitindo a construção de equipes mais coesas.

Avaliar e monitorar os resultados

Depois de implementada a gestão comportamental, é interessante avaliar e monitorar os resultados em um determinado período, identificando se as metas foram atingidas, como produtividade e satisfação dos clientes.

Dicas adicionais para implementar a gestão comportamental

Além das dicas mencionadas, a gestão comportamental pode ser aplicada com outras ações, como:

  • envolver todos os colaboradores no processo de implementação, mostrando os objetivos da gestão, como funciona e os benefícios para as equipes;
  • utilizar ferramentas e técnicas adequadas para mapear os perfis comportamentais, como softwares para essa finalidade que vão otimizar os processos e trazer dados valiosos;
  • pensar em programas de desenvolvimento personalizados para cada colaborador de acordo com suas aptidões e pontos fracos;
  • medir e acompanhar os resultados da gestão comportamental de forma constante para entender os pontos que precisam ser ajustados ou melhorados.

Qual a importância de envolver lideranças na gestão comportamental?

A gestão comportamental não deve ser algo de responsabilidade apenas do RH. As lideranças de cada departamento precisam entender esse modelo de gestão e também utilizá-lo para gerenciar seus times.

Assim, todos passam a “falar a mesma língua”, quer dizer, a utilizar a mesma metodologia de gestão, tornando todo o processo mais consistente, ou seja, com maiores chances de trazer resultados positivos para a organização.

Depois de falar sobre gestão comportamental, aproveite para conhecer mais sobre a gestão administrativa!

Tecnologia na gestão de pessoas

Em suma, a gestão comportamental se revela como um pilar essencial para o sucesso de qualquer organização, promovendo um ambiente de trabalho mais produtivo e saudável. 

A integração da tecnologia nesse processo é fundamental, proporcionando ferramentas e insights valiosos para o aprimoramento das relações interpessoais e o alcance de metas organizacionais. 

Se você deseja potencializar ainda mais a gestão de sua empresa, não deixe de conhecer o sistema ERP da Omie e suas inúmeras funcionalidades. Saiba como podemos revolucionar a forma como você conduz o seu negócio. 

Compartilhe este post
Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp
Conteúdos relacionados
DACTE
Entenda o que é DACTE e garanta legalidade e transparência nas operações de transporte de forma simplificada com este guia!
Veja como fazer análise de risco, superar desafios de gestão e transformar ameaças em oportunidades de melhorias e lucros de
Aprenda como fazer a implementação de ERP na sua empresa de maneira simples. Confira um passo a passo explicativo do