NFC-e: o que é a Nota Fiscal de Consumidor Eletrônica?

Entenda o que é a NFC-e, a Nota Fiscal de Consumidor e qual a importância que ela tem para as empresas e clientes.
Navegação Rápida
Navegação Rápida

O varejo está sempre em mudança, adaptando as facilidades do dia a dia e, principalmente, mudando suas dinâmicas a partir da tecnologia. A Nota Fiscal de Consumidor Eletrônica é uma delas. Por isso, é indispensável saber o que é a NFC-e, quais as melhores técnicas para emiti-la e quando fazer.

Seu principal objetivo é transformar o modelo de cupom fiscal impresso em digital, proporcionando a redução de custos, processos de emissão mais assertivos e seguros, além de facilitar as entregas fiscais.

Grande parte dos estados brasileiros já aderiram a esse novo formato de nota fiscal, outros ainda estão em processo de implementação. Independente do caso, conhecê-la é essencial para entender as vantagens e como a NFC-e pode ser emitida. Para que você entenda mais sobre ela e tudo o que pode oferecer ao seu negócio, continue acompanhando até o final e saiba como emitir a NFC-e, sua função e vantagens.

O que é e para que serve a NFC-e?

A NFC-e ou Nota Fiscal de Consumidor Eletrônica é um documento totalmente digital. Isso significa que a emissão de nota fiscal e armazenamento é feito de forma eletrônica. Sua função é registrar as transações comerciais de vendas presenciais ou aquelas com entregas a domicílio, destinadas ao consumidor final.

Ela integra o SPED Fiscal e é muito parecida com o cupom que comprova o pagamento realizado em lojas e estabelecimentos comerciais. A NFC-e surgiu como uma alternativa  simplificada para as notas em papel e, também, para tornar o processo de emissão mais automatizado.

Com isso, é possível reduzir os custos e obrigações acessórias dos contribuintes e, ao mesmo tempo, melhorar o controle fiscal.

A NFC-e, segue os padrões da nota fiscal eletrônica, mas adaptada para o varejo e comércio. Permitindo, dessa forma, que o consumidor confira a validade e veracidade do produto recebido.

Importante destacar que a NFC-e é emitida apenas em vendas ao consumidor final, substituindo as notas fiscais de modelo 2 e o cupom fiscal emitido nas compras. A sua emissão é feita pela NFC-e Sefaz.

Quais as vantagens de usar a NFC-e?

Para o varejo a NFC-e é essencial, pois, além de garantir o controle de notas fiscais, ajudam na competitividade de mercado. Outro detalhe importante é que elas estão ligadas com muitos incentivos fiscais.

Sendo assim, sua emissão se torna fundamental. Abaixo, separamos algumas das diversas vantagens de usar a Nota Fiscal de Consumidor Eletrônica. Confira.

Economia

Uma das principais vantagens está ligada à economia. Neste caso, ela não diz respeito apenas a questões financeiras, mas também de espaço.

Além de reduzir significativamente o uso de papel ao utilizar a NFC-e, você elimina o armazenamento e acúmulo de espaço, o que acaba atrapalhando a organização dos ambientes.

Outro ponto importante é que você não precisa gastar com equipamentos especiais para emitir o cupom fiscal, contribuindo ainda mais para a redução de custos.

Organização

Contar com a emissão da NFC-e garante maior controle e organização relacionados ao documento. Isso porque todos os dados e informações ficam centralizados em um único lugar.

Assim, você garante o acompanhamento e envio das notas em tempo real, com acesso simples e rápido, conseguindo maior controle e organização das NFC-es geradas.

Agilidade e praticidade

Uma grande vantagem da Nota Fiscal de Consumidor Eletrônica é que ela pode ser emitida a qualquer hora e em qualquer lugar, incluindo a opção de ser emitida de forma offline.

Mesmo que necessite de uma boa conexão para ser emitida, você não precisa se preocupar caso surja algum problema, como a queda de internet, por exemplo. A NFC-e garante que você acesse o arquivo XML, permitindo emitir a nota de contingência em até 24h ou próximo dia útil, em caso de vendas realizadas aos finais de semana e feriados.

Por contar com processos de emissão automatizados, a NFC-e garante muito mais agilidade e praticidade na hora de ser emitida. Isso porque já existe uma base de dados completa com todas as informações necessárias para a emissão do documento e isso facilita, até mesmo, a emissão do DANFE.

Com a NFC-e, o processo se torna muito mais simples e descomplicado, contribuindo, inclusive, para a experiência do consumidor.

Reduz erros

Como a emissão da NFC-e é automatizada, você evita significativamente os erros, principalmente os relacionados à digitação de dados. Isso torna os processos contábeis muito mais ágeis.

Como as notas não precisam ser impressas, basta contar com um arquivo XML emitido pelo software para que elas sejam preenchidas corretamente. Além disso, vale destacar a segurança que a emissão das Notas Fiscais de Consumidor Eletrônica oferecem.

Ao utilizá-las, você consegue armazenar todas as informações com a segurança digital, o que evita ataques ao banco de dados e protege todas as informações presentes no documento.

Evita sonegação fiscal

Como todos os dados e informações são realizados de forma eletrônica, a área de contabilidade da sua empresa praticamente anula os problemas relacionados à entrega das obrigações fiscais, incluindo o pagamento de impostos.

Isso significa que você consegue combater a sonegação fiscal e garantir arrecadações mais transparentes e eficientes. Dessa forma, você se certifica de que está sempre em dia com os órgãos reguladores e evita problemas com o Fisco.

62a1f7437a5e6b5e2f216d35 CTA Banner Empreendedor 2 opt2 v2 149

O que é preciso para usar a NFC-e?

Antes de começar a usar a NFC-e em seu negócio, é importante conhecer os requisitos solicitados. Como é um documento estadual, cada região tem suas exigências e determinações e estas podem ser consultadas no Portal NFC-e do seu estado.

Importante dizer que o primeiro passo é fazer o credenciamento junto a SEFAZ (Secretaria da Fazenda) do seu estado e, para isso, é necessário obter uma assinatura eletrônica para validar as Notas Fiscais do Consumidor emitidas eletronicamente.

Existem muitos órgãos que podem te ajudar nesse momento, tanto privados quanto estatais.  Dito isso, vamos às principais exigências para começar a emitir suas NFC-es:

  • Estar com a Inscrição Estadual em dia;
  • Possuir boa conexão com a internet;
  • Possuir um computador;
  • Contar com um sistema de emissão para NFC-e;
  • Contar com uma impressora normal, sem a necessidade de ser uma fiscal;
  • Obter um certificado digital com o número do CNPJ;
  • Possui o CSC – Código de Segurança do Contribuinte, um token disponibilizado pela Sefaz;
  • Ser credenciado na Sefaz e obter a permissão de funcionamento.

Em relação ao sistema utilizado na emissão da NFC-e, a Sefaz não determina nenhum modelo específico. Sendo assim, você pode escolher o software que mais corresponde às suas necessidades, tornando o processo ainda mais simplificado e otimizado.

O que fazer em regiões que não possuem a NFC-e?

Mesmo com todas as vantagens da emissão, é comum que em alguns locais não exista a NFC-e. Apesar de grande parte dos estados do país já contar com essa opção, nem todos implementaram o formato.

Dessa forma, é possível utilizar alguns sistemas alternativos. No estado de São Paulo, por exemplo, é possível contar com o Sistema de Autenticação e Transmissão de Cupom Fiscal Eletrônico, ou SAT.

A plataforma registra de forma eletrônica todas as operações comerciais dos varejistas, substituindo o ECF. Com o SAT, você poderá  gerar e autenticar os cupons fiscais eletrônicos e transmiti-los à Sefaz.

O Ceará é outro exemplo. Por lá, é utilizado um sistema parecido com o de São Paulo. O Módulo Fiscal Eletrônico ou MFE é o responsável por emitir, transmitir, armazenar e validar as informações das notas, mesmo que seja possível a emissão da NFC-e em contingência.

Mas, antes de buscar por soluções alternativas, verifique no site da Secretaria da Fazenda do seu estado a disponibilidade dos serviços de emissão da NFC-e. Assim você garante melhor proveito das vantagens oferecidas por esse modelo de nota.

Facilite e otimize a gestão das suas notas fiscais

Como você viu, a emissão da NFC-e é essencial para o empreendedorismo. Com ela você facilita o controle e emissão, além de reduzir os custos com equipamentos e papel. Mas, para garantir que esses processos se tornem realmente assertivos, contaremos com um sistema de gestão e notas fiscais.

Ele é seu grande aliado nesse momento. Isso porque, ao contar com um sistema, você reduz significativamente os erros, não perde prazos, garante que tudo esteja sob controle e organizado corretamente, facilitando as entregas e evitando problemas com a legislação.

Com um bom software de gestão e emissão de notas fiscais, você facilita a rotina do seu empreendimento. Isso garante processos assertivos, otimizados e eficientes, o que consequentemente te ajudará a elevar os resultados.

Compartilhe este post
Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp
Conteúdos relacionados
duas pessoas conversando sobre como abrir uma empresa
Se você quer ter o próprio negócio, precisa entender o passo a passo para abrir uma empresa de forma simples
Pessoa fazendo governança de dados.
Tenha uma gestão transparente e mais estratégica com a implementação da governança de dados.
ERP para pequenas empresas

MEI

Você já considerou a implementação de um ERP para pequenas empresas no seu negócio? Ententa as vantagens aqui!