O que é gestão participativa, como aplicar e quais as vantagens?

A gestão participativa envolve todos os colaboradores e traz diversos benefícios para a gestão. Saiba tudo sobre!
Navegação Rápida
Navegação Rápida

O mercado de trabalho vem mudando nos últimos anos, mas não só pelo avanço da tecnologia, que promoveu mudanças em diversos processos. A forma de gerenciar a empresa também se atualizou e, hoje, é mais comum encontrarmos uma gestão participativa.

Este modelo propõe uma flexibilidade nas relações profissionais, diminuindo a rigidez da hierarquia de muitas companhias. Ainda, é uma forma de incentivar um ambiente colaborativo e tem gerado ótimos resultados para quem o aplica.

Neste artigo, vamos abordar com mais detalhes a gestão participativa e quais são as vantagens de envolver todos os colaboradores nos processos de tomada de decisão. Confira!

Banner CTA

O que é gestão participativa e como ela se diferencia dos modelos tradicionais?

Trata-se de uma maneira de liderar a empresa considerando a opinião dos colaboradores, de todos os níveis e áreas de atuação. Com este modelo, as decisões são descentralizadas, tirando o poder da mão de um pequeno grupo de pessoas.

Ainda, o método tem diversas vantagens, como veremos logo mais, mas podemos adiantar que a gestão participativa favorece a troca de ideias e permite que os profissionais sejam mais valorizados em suas opiniões.

Para entender melhor o assunto, é preciso lembrar que toda empresa, independentemente do segmento de atuação ou tempo de mercado, adota um modelo de gestão, mesmo que isso não seja consciente. 

Até pouco tempo atrás, a maioria das companhias utilizava o modelo tradicional, que é centralizador, restringindo as tomadas de decisão aos cargos de gestão. Assim, os colaboradores apenas executavam seu trabalho e poucos eram ouvidos pelos gestores.

Veja agora algumas diferenças da gestão participativa para o modelo tradicional:

  • Tomada de decisão: enquanto o modelo tradicional centraliza as decisões na alta diretoria ou em poucos profissionais tidos como de confiança, a gestão participativa escuta a todos, considerando suas opiniões, experiências e conhecimentos;
  • Envolvimento do time: o modelo tradicional é rígido e limita a atuação dos profissionais às suas atividades corriqueiras. A gestão participativa incentiva o desenvolvimento de novas ideias e projetos, dando voz aos colaboradores;
  • Colaboração: a gestão participativa é democrática, favorece a troca de ideias e gera um ambiente colaborativo, em que todos se sentem à vontade para expor suas ideias e contribuir com o crescimento do time e da empresa;
  • Resolução de problemas: o modelo participativo é flexível, permitindo que os problemas sejam solucionados mais facilmente e com inovação, pois mais ideias e opiniões são consideradas para sua resolução;
  • Comunicação: o modelo tradicional, por sua hierarquia, promove uma comunicação unilateral, ou seja, a gestão transmite a mensagem aos colaboradores, sem retorno dos times. A gestão participativa promove a comunicação em uma via de mão dupla.

 

Características Gestão Participativa Outros Tipos de Gestão
Tomada de Decisão Coletiva e envolve todos os níveis. Centralizada na liderança.
Comunicação Aberta e estimula o diálogo. Vertical e hierárquica.
Empoderamento Encoraja a responsabilidade e autonomia. Menor empoderamento dos funcionários.
Inovação e Criatividade Estimula a criatividade e inovação. Pode limitar a inovação.
Cultura Organizacional Fomenta colaboração e confiança mútua. Pode resultar em autoritarismo.

Como aplicar a gestão participativa?

Antes de continuarmos, vale lembrar que não existe modelo de gestão certo ou errado. Cada empresa deve buscar uma maneira de conduzir os negócios que esteja alinhada com sua cultura organizacional e objetivos corporativos.

Então, se você deseja implementar a gestão participativa, veja quais são os passos a serem observados.

Avalie a cultura organizacional 

A cultura organizacional é a forma como os colaboradores interagem na empresa, tanto entre si quanto com os processos e rotinas. Nesse sentido, para a gestão participativa funcionar, é preciso entender muito bem as dinâmicas que ocorrem na empresa. 

Caso o ambiente atual seja formal e hierárquico, os gestores precisarão trabalhar alguns pontos para os colaboradores entenderem o novo formato. Afinal, os profissionais estão habituados a apenas receber as orientações, sem espaço para dar ideias ou se expressar. 

Mas, se a companhia já atua em uma cultura colaborativa, poucos ajustes são necessários e o processo tende a ser mais tranquilo embora ainda demande cuidado dos gestores.

Comunique a mudança

A comunicação transparente está na base da gestão colaborativa, por isso os funcionários devem saber das mudanças e o que a empresa espera. Informá-los trará segurança, além de permitir que eles contribuam com os processos, porque sabem quais são os objetivos.

Nessa etapa, é importante comunicar os próximos passos, a forma como a companhia passará a agir e qual é o papel de cada um. Lembre-se também de envolver todos os colaboradores, afinal, é a premissa básica da gestão participativa.

Envolva e capacite colaboradores

Com as mudanças, alguns colaboradores podem não se sentir confortáveis em um primeiro momento. Sendo assim, os gestores devem estar atentos e orientar todos sobre o que é esperado de cada um, como expressar sua opinião e contribuir mais com a empresa.

Para tanto, vale a pena investir na gestão estratégica de pessoas, buscando a melhor posição para cada um, além de fornecer feedbacks, cursos e mentorias para sua capacitação. Ainda, é importante sempre repassar todas as informações necessárias para as tomadas de decisão. 

Reveja estruturas hierárquicas

Como a gestão participativa envolve a colaboração de todos os times, alguns pontos de hierarquia podem não fazer mais sentido no novo modelo. Mas antes de retirar todos os cargos, faça uma análise cuidadosa da estrutura corporativa.

Assim, você consegue entender a função de cada um e como esse papel se integra na cultura colaborativa que está sendo construída e nada está escrito em pedra, é possível que posições e situações mudem, conforme você analise e julgue necessário.

Estabeleça canais de comunicação 

Para que todos possam contribuir com as decisões e processos, é preciso que os canais de comunicação sejam claros e funcionem bem. Isso porque, todos devem entender quando e como contribuir e, para isso, vale a pena investir em processos e treinamentos.

Outro ponto importante é sobre o feedback. A gestão participativa se aprimora quando os colaboradores melhoram e se aperfeiçoam e o retorno dos gestores para cada um é fundamental para que isso ocorra.

Promova a colaboração

Como o próprio nome já diz, a gestão colaborativa demanda a colaboração dos profissionais. Na prática, isso significa trocas de experiências e conhecimentos, que contribuem para o crescimento da empresa.

Para isso, promova um espaço aberto para ideias, sem julgamentos e represálias, além de sempre relembrar que todos crescem mais quando se ajudam, diminuindo, assim, comportamentos individualistas ou que vão contra a ideia da gestão colaborativa.

Defina processos de tomada de decisão

Outra etapa muito importante envolve a tomada de decisão. Para a gestão participativa ser eficiente, é preciso saber como esses processos ocorrem. Separe um momento e desenhe todos os fluxos de informação da sua empresa, além de listar os envolvidos.

Aqui, vale um acompanhamento de perto com os colaboradores, para se certificar de que todos estão entendendo os processos, permitindo melhores tomadas de decisão. Por fim, não se esqueça de sempre fornecer os dados necessários para as decisões.

Reconheça e celebre contribuições

Quanto mais envolvidos e valorizados os colaboradores forem, maiores tendem a ser suas contribuições. Por isso, reconheça seus esforços, mostre a participação de cada um nos processos e comemore os resultados.

Assim, todos perceberão que o ambiente é favorável à inovação, que aceita novas ideias e que suas habilidades podem ser úteis para o crescimento pessoal e da empresa.

Avalie e adapte-se

Se ao longo da implantação da gestão participativa você perceber que alguns pontos devem ser ajustados, não tenha receio de mudar o que for preciso. Afinal, o maior objetivo é contribuir com o desenvolvimento dos negócios.

Para isso, estabeleça metas que devem ser atingidas, bem como indicadores de desempenho para medir esse progresso. Se precisar, reajuste a rota e foque nos objetivos.

Promova a transparência

A gestão participativa é baseada na transparência, em que todos sabem o que ocorre na empresa, de modo geral, e podem contribuir de alguma maneira. 

Uma das formas de fazer isso é comunicando os times sobre os resultados e estratégias de negócio, gerando um clima de colaboração e comprometimento. Além disso, os feedbacks são essenciais para que todos saibam como está seu desempenho.

Bannner para conhecer o sistema

Quais as vantagens da gestão participativa?

Agora que entendemos como implementar a gestão participativa, vejamos os benefícios que ela traz para a gestão. Aqui, poderíamos citar inúmeros, mas estes são os principais pontos:

  • Aumento da produtividade: com a maior participação dos colaboradores, eles se tornam mais proativos, melhorando sua produtividade e eficiência, pois entendem que seu trabalho é valorizado ali;
  • Redução de custos: como os processos passam a ser descentralizados, o tempo para que tudo se resolva diminui, reduzindo também os custos e permitindo que a empresa invista em novos projetos;
  • Mais inovação: quando os colaboradores se sentem à vontade para dar ideias, a inovação é uma consequência, pois a troca de experiências leva a alternativas que não seriam consideradas normalmente;
  • Maior retenção de talentos: ao perceber que suas ideias são ouvidas e seu trabalho é valorizado, o colaborador tende a não buscar novas oportunidades, pois deseja contribuir com a empresa e crescer com ela;
  • Crescimento de todos: o engajamento dos profissionais, aliado à inovação, favorece o crescimento deles e da empresa, pois a troca de ideias e decisões gera mais oportunidades de desenvolvimento.

Aprimore ainda mais sua gestão

O modelo tradicional de gestão ainda é encontrado em várias empresas, mas a gestão participativa tem ganhado espaço, por seus vários benefícios. Ademais, sua implementação não é complicada, mas demanda atenção dos gestores, para que todos os colaboradores sejam envolvidos.

Apesar disso, a gestão deve considerar outros aspectos a serem cuidados na empresa, demandando uma boa gestão administrativa. 

Uma dica final e que tem sido o diferencial de muitos cases de sucesso é investir em tecnologia. Atualmente, o mercado está altamente digitalizado e necessita de ferramentas qualificadas para gerir processos e ter visão 360º a todo momento. 

Ficou interessado e quer aplicar na sua empresa? Conheça as funcionalidades do Sistema ERP da Omie, uma ferramenta de gestão completa! 

Compartilhe este post
Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp
Conteúdos relacionados
DACTE
Entenda o que é DACTE e garanta legalidade e transparência nas operações de transporte de forma simplificada com este guia!
Veja como fazer análise de risco, superar desafios de gestão e transformar ameaças em oportunidades de melhorias e lucros de
Aprenda como fazer a implementação de ERP na sua empresa de maneira simples. Confira um passo a passo explicativo do