Saiba por que fazer Auditoria Contábil na sua empresa

Auditoria Contábil: entenda sua importância, tipos e como fazer uma através de nosso passo a passo.
Navegação Rápida
Navegação Rápida

A auditoria contábil é uma ferramenta essencial no universo empresarial, desempenhando um papel crucial na garantia da integridade e confiabilidade das informações financeiras de uma organização. 

É imprescindível compreender não apenas sua importância, mas também as práticas e métodos que a fundamentam. Este texto explora de maneira abrangente os fundamentos da auditoria contábil, destacando sua relevância no contexto empresarial contemporâneo. 

Além disso, será abordado como realizar uma auditoria contábil de maneira eficaz, considerando as normas e melhores práticas vigentes.

Conceitos e objetivos da auditoria

Conforme as Normas de Auditoria Independente das Demonstrações Contábeis (NBC T 11), a auditoria contábil fiscal é caracterizada pelo conjunto de procedimentos técnicos que tem como objetivo a emissão de relatório sobre a adequação das demonstrações contábeis auditadas.

Espera-se de um auditor contábil conhecimento sobre a atividade econômica da entidade em que está realizando a auditoria contábil, para, assim, dispor da capacidade de julgar a relevância dos eventos e a extensão dos procedimentos a serem aplicados.

O que é auditoria contábil?

A auditoria é um conjunto de ações ー coleta de informações, inspeções, exames de documentos (registros e de livros contábeis) ー que tem relação com o controle financeiro do patrimônio auditado. 

É realizada nos mais diversos setores e tem como meta diferentes objetivos ou certificações.

Um dos principais conceitos associados à auditoria contábil é a independência do auditor, que deve atuar de maneira imparcial e livre de conflitos de interesse, assegurando a objetividade na análise. 

Outro conceito fundamental é a conformidade com as normas contábeis. O auditor avalia se as práticas contábeis adotadas pela empresa estão em conformidade com as normas contábeis estabelecidas, proporcionando uma base sólida para a tomada de decisões.

A transparência e a clareza das informações são essenciais, e a auditoria desempenha um papel crítico ao fornecer uma avaliação independente que promove a confiabilidade e integridade das demonstrações financeiras, gerando credibilidade.

Quem precisa de auditoria?

Segundo a Lei Nº 11.638/2007, a necessidade de auditoria não se restringe a um grupo específico, sendo uma prática que abrange diversas entidades e organizações. 

Em geral, qualquer entidade que lide com transações financeiras, demonstre suas informações contábeis publicamente ou tenha responsabilidades fiduciárias pode se beneficiar da auditoria. As principais categorias que frequentemente requerem incluem:

  • Empresas de capital aberto: Empresas listadas em bolsas de valores são frequentemente obrigadas por regulamentações a realizar auditorias anuais para garantir a precisão e confiabilidade de suas demonstrações financeiras, fornecendo informações transparentes aos acionistas e investidores.
  • Empresas de capital fechado: Mesmo aquelas que não têm ações negociadas publicamente podem optar por realizar auditorias para fortalecer a confiança de seus stakeholders, como bancos, credores e parceiros comerciais.
  • Organizações sem fins lucrativos: Também podem passar por auditorias para garantir a utilização adequada dos recursos financeiros e fluxo de caixa, cumprindo regulamentações e atraindo doadores.
  • Órgãos governamentais: Agências governamentais frequentemente são auditadas para assegurar a prestação de contas e transparência no uso dos recursos públicos.
  • Instituições financeiras: Bancos e instituições financeiras são submetidos a auditorias para garantir a solidez de suas práticas contábeis, assegurando a estabilidade do setor financeiro.
  • Empresas privadas: Independentemente do porte, podem buscar auditorias para fortalecer a governança corporativa, atrair investidores e mitigar riscos.

Quando realizar uma auditoria?

A frequência e o momento para realizar uma auditoria dependem de vários fatores:

  • o tamanho da entidade;
  • o setor em que atua;
  • as regulamentações aplicáveis. 

Geralmente, a auditoria é realizada anualmente para muitas empresas, acompanhando o ciclo financeiro anual. A flexibilidade no cronograma permite que as empresas se adaptem às suas circunstâncias particulares. 

Mas, em casos específicos, pode ser necessário conduzir auditorias trimestralmente ou semestralmente, especialmente para organizações com operações complexas ou exposição a riscos significativos.

Além disso, eventos específicos podem desencadear a necessidade de uma auditoria adicional, como:

  • fusões;
  • aquisições;
  • expansões significativas;
  • mudanças de liderança ou preocupações sobre fraudes. 

Em qualquer caso, a chave é garantir que a auditoria seja realizada regularmente e sempre que houver mudanças substanciais nas operações ou no ambiente de negócios, visando manter a integridade e a confiabilidade das informações financeiras.

Qual objetivo de uma auditoria contábil?

O objetivo é garantir a fidedignidade e conformidade das informações contábeis apresentadas. 

Além disso, busca identificar e avaliar os riscos de distorção nas demonstrações financeiras, seja por erro ou fraude, adotando procedimentos específicos para testar a validade e adequação dos controles internos implementados pela organização.

Portanto, em suma, o objetivo de uma auditoria contábil é verificar os registros contábeis, assim como a exatidão das demonstrações contábeis referente ao patrimônio de uma empresa que está sendo averiguada.

A auditoria contábil desempenha um papel crucial na garantia da integridade e confiabilidade das informações financeiras de uma organização e de seu balanço patrimonial.

Ao realizar uma análise sistemática e independente das demonstrações contábeis, a auditoria proporciona uma avaliação imparcial das práticas contábeis, identificando potenciais distorções, erros ou fraudes.

Tipos de auditoria contábil

Existem diversos tipos de auditoria contábil, cada um com foco em aspectos específicos das demonstrações financeiras e práticas contábeis:

  • Auditoria Externa: é conduzida por uma firma independente;
  • Auditoria Interna: é realizada pela equipe interna da empresa;
  • Auditoria Operacional: avalia a eficiência dos processos;
  • Auditoria de Conformidade: verifica o cumprimento das normas e regulamentos;
  • Auditoria Forense: investiga fraudes e irregularidades;
  • Auditoria Tributária foca nas questões fiscais.

 A escolha do tipo de auditoria depende dos objetivos e necessidades da organização.

Como a auditoria é realizada?

A auditoria contábil é um processo sistemático que envolve várias etapas para avaliar a integridade e a confiabilidade das informações financeiras de uma entidade. Aqui está um guia simples em passos para a realização da auditoria contábil:

Passo 1. Planejamento:

  • Defina os objetivos da auditoria;
  • Estabeleça a abordagem, escopo e cronograma;
  • Identifique áreas de risco e determine procedimentos de auditoria apropriados.

Passo 2. Entendimento do ambiente de controle interno:

  • Avalie os controles internos implementados pela organização;
  • Compreenda o ambiente operacional e identifique potenciais riscos.

Passo 3. Obtenção de evidências:

  • Colete documentos e registros contábeis relevantes;
  • Execute procedimentos de auditoria, como análise de transações e amostragem.

Passo 4. Análise de contas e saldo:

  • Examine detalhadamente as contas contábeis; 
  • Confira a exatidão dos saldos e verifique possíveis distorções.

Passo 5. Testes substantivos:

  • Realize procedimentos para confirmar a validade das transações e saldos;
  • Teste de detalhes, como reconciliações e conciliações bancárias.

Passo 6. Avaliação de contingências e compromissos:

  • Verifique a existência de contingências e compromissos;
  • Avalie a adequação das divulgações nas demonstrações financeiras.

Passo 7. Comunicação com a administração:

  • Mantenha uma comunicação eficaz com a administração da entidade;
  • Relate descobertas e discuta possíveis ajustes necessários.

Passo 8. Emissão do relatório de auditoria:

  • Documente as conclusões da auditoria em um relatório formal;
  • Apresente opinião sobre a fidedignidade das demonstrações financeiras.

Passo 9. Acompanhamento e monitoramento:

  • Proponha recomendações para melhorias, se necessário;
  • Acompanhe a implementação das recomendações sugeridas.

O momento certo para realizar uma auditoria contábil nas empresas pode ser determinado por diversos fatores, sendo a periodicidade anual uma prática comum para muitas organizações, alinhada ao encerramento do exercício fiscal. 

No entanto, a necessidade pode surgir em momentos estratégicos, como antes de uma fusão, aquisição, ou durante mudanças significativas na administração. 

Além disso, sinais de instabilidade financeira, mudanças regulatórias relevantes, ou a identificação de potenciais irregularidades podem demandar auditorias pontuais.

A flexibilidade no cronograma permite adaptar a auditoria às circunstâncias específicas da empresa, garantindo a avaliação adequada da integridade das informações financeiras e contribuindo para a transparência e confiança nos relatórios contábeis.

Bannner para conhecer o sistema

Benefícios de se fazer uma auditoria na contabilidade

Realizar uma auditoria contábil oferece uma série de benefícios para as empresas, contribuindo para a transparência, confiabilidade e eficiência das práticas contábeis. Alguns dos principais benefícios incluem:

Credibilidade e confiança

A auditoria valida as informações financeiras, gerando credibilidade junto a acionistas, investidores, clientes e demais stakeholders, construindo confiança nas demonstrações contábeis.

Identificação de irregularidades

  • A auditoria ajuda a identificar possíveis erros, fraudes ou práticas contábeis inadequadas, permitindo a correção de problemas e a prevenção de futuros desvios.

Melhoria dos controles internos

  • Ao avaliar o ambiente de controle interno, a auditoria contribui para o aprimoramento dos processos e controles internos da empresa, fortalecendo a governança corporativa.

Cumprimento de normas e regulamentos

  • A auditoria assegura que a empresa esteja em conformidade com as normas contábeis e regulamentos vigentes, evitando penalidades legais e prejuízos à reputação.

Tomada de decisões informada

  • A gestão, baseando-se em informações auditadas, pode tomar decisões mais informadas e estratégicas, fundamentadas em uma compreensão sólida da situação financeira da empresa.

Atratividade para investidores e credores

  • Empresas auditadas tendem a ser mais atraentes para investidores e credores, que buscam garantias adicionais sobre a saúde financeira e a transparência da organização.

Eficiência operacional

  • A auditoria pode identificar ineficiências operacionais, proporcionando oportunidades para otimização de processos e redução de custos.

Facilitação de processos de fusão e aquisição

  • Empresas auditadas têm processos de fusão e aquisição facilitados, pois oferecem maior segurança e transparência aos potenciais parceiros ou compradores.

Procedimentos de auditoria

O trabalho de auditor classifica-se basicamente como uma revisão das práticas adotadas e informações divulgadas em demonstrações contábeis financeiras por parte da entidade. 

A organização de seu trabalho considera a materialidade das informações apresentadas, limitando seus testes por relevância e amostras a serem validadas.

Após definir as áreas relevantes e as amostras de testes, são aplicados os procedimentos de auditoria, ou seja, um conjunto de técnicas que permitem a obtenção de evidências para fundamentar a opinião do auditor.

Os procedimentos são divididos em dois testes:

Testes de Observância

Tem o objetivo de averiguar se os controles internos propostos pela administração da entidade são coerentes e se estão sendo postos em prática.

Testes Substantivos

Estão ligados à validação por meio da exatidão dos dados produzidos pelo sistema contábil da entidade, subdividindo-se em testes de transações e saldos e procedimentos de revisão analítica.

Os principais procedimentos da auditoria contábil por meio de testes substantivos são:

  • Contagem física (chamado também de inventário);
  • Confirmação com terceiros;
  • Conferência de cálculos;
  • Inspeção de documentos;
  • Observação;
  • Reexecução;
  • Procedimentos analíticos;
  • Indagação.

Revisão de controle interno

A prática de controle interno nas entidades tem por objetivo fundamental a prevenção de erros e fraudes. 

Vale ressaltar que o sistema de controle é de responsabilidade da administração da empresa, estando o auditor submetido a análises, de modo a propor sugestões objetivas para o seu aprimoramento, a partir de constatações feitas no decorrer do seu trabalho.

O controle interno é um conjunto de procedimentos, métodos ou rotinas que tem o objetivo de proteger os ativos, produzir dados contábeis confiáveis e ajudar a administração na condução ordenada dos negócios da empresa.

Também auxilia a verificar a exatidão e fidedignidade de seus dados contábeis, a promover a eficiência operacional e encorajar a adesão à política traçada pela administração.

Esse sistema está dividido em:

Controles Contábeis

Compreendem o plano de organização e todos os métodos e procedimentos relacionados com a salvaguarda do patrimônio e propriedade de registros contábeis. Listamos alguns exemplos:

  • Sistemas de conferência, aprovação e autorização;
  • Segregação de funções (pessoas que têm acesso aos registros contábeis não podem custodiar ativos da empresa);
  • Composição de contas contábeis;
  • Arquivamento de documentos que comprovam as transações registradas pela Contabilidade;
  • Controle físico sobre ativos;
  • Auditoria interna.

Controles Administrativos

Compreendem o plano de organização, métodos e procedimentos relacionados à eficiência das operações voltadas para a política de negócios da empresa e, indiretamente, para os registros financeiros. Veja alguns exemplos:

  • Análises estatísticas de lucratividade por linha de produtos;
  • Controle de qualidade;
  • Treinamento de pessoal;
  • Estudos de tempos e movimentos;
  • Análise das variações entre os valores orçados e incorridos;
  • Controle dos compromissos assumidos, mas ainda não realizados economicamente.

A implantação de controle interno promove maior credibilidade à entidade executora, uma vez que manuais e práticas previamente organizados são instalados. Contudo, como todo e qualquer sistema é passível de erros, cabe ao auditor realizar atividades sobre este.

A auditoria contábil como pilar da transparência e confiança financeira

A importância da auditoria contábil para a credibilidade das empresas é notória. À medida que as organizações crescem, mais responsabilidades elas acumulam, não só com seus clientes, mas com investidores e acionistas.

Incluir a auditoria na rotina da empresa é crucial para prevenir desvios e prejuízos ao longo do caminho e continuar tendo uma boa imagem.

Gerir sua empresa, com todas essas responsabilidades fiscais, fica mais fácil com a ajuda de um sistema de gestão. Para isso, conte com o ERP Omie e descomplique sua rotina.

Banner CTA

Compartilhe este post
Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp
Conteúdos relacionados
A importância da gestão comercial
Saiba mais sobre a gestão comercial, como ela funciona, sua importância e porque o seu negócio deve adotar essa prática.
o que é packing: mulher segurando caixa em esteira
Packing eficiente é a chave para melhorar suas entregas. Entenda como ele funciona na logística e veja como otimizar suas
gestão financeira para MEI
Descubra a importância de uma gestão financeira para MEI para aumentar a eficiência do seu empreendimento. Aprenda como fazer e