Quais são as características do Lucro Real?

O Lucro Real é um regime tributário que faz parte da vida de muitos empreendedores. Entenda mais sobre seu funcionamento!
Navegação Rápida
Navegação Rápida

No momento da abertura e formalização de um negócio, escolher o regime tributário mais adequado para a realidade da sua empresa é uma das etapas mais importantes. O Lucro Real é uma dessas modalidades. 

Compreender sistemas de tributação pode ser um assunto bem complexo, especialmente na legislação brasileira. Para descomplicar, preparamos este conteúdo completo para ajudar você a saber como funciona o lucro real, suas características e benefícios. 

O que é Lucro Real? 

O Lucro Real é um regime de tributação que permite que uma empresa calcule e recolha seus impostos com base em sua lucratividade em um determinado período. Para isso, leva-se em consideração para a base de cálculo o lucro líquido — a soma da receita menos despesas. 

Por conta disso, é essencial que as empresas redobrem a atenção em relação aos seus processos financeiros e fluxo de caixa. Afinal, o valor da renda precisa ser correto para que não haja erro nos valores a serem pagos.

Vale destacar que no Lucro Real os encargos podem aumentar e diminuir, dependendo do lucro registrado. Assim, caso o seu negócio apresente prejuízos fiscais durante o tempo tributável, fique atento, já que você não precisa pagar os impostos sobre esse valor.

Além do Lucro Real, os outros regimes de tributação são:

  • Simples Nacional: indicado para empresas que têm faturamento bruto de até 4,8 milhões anuais. Tem como diferencial o fato de que todos os impostos são recolhidos em uma única guia, o DAS; 
  • Lucro Presumido: permite que os impostos sejam recolhidos conforme uma estimativa de lucro, com alíquotas variando entre 1,6% e 32%. É indicado para empresas que faturam entre R$4 milhões e R$78 milhões brutos anualmente. 

Quais empresas podem adotar o Lucro Real?

O Lucro Real pode ser adotado por qualquer empresa, seja ela pequena ou grande. Tudo depende da estratégia fiscal elaborada. 

Todavia, esse regime é obrigatório para alguns empreendimentos, como negócios de alta lucratividade que faturam mais de R$78 milhões bruto

Além desse cenário, de acordo com a Lei nº 9.718, devem seguir o Lucro Real obrigatoriamente empresas que: 

  • tiveram ganhos provenientes do exterior;
  • fazem parte do mercado financeiro, como bancos, cooperativas de crédito, empresas de seguros, sociedades de crédito imobiliário, entre outras;
  • têm benefícios fiscais, como redução ou isenção de impostos; 
  • exercem o factoring;
  • atuam com atividades de securitização de crédito;
  • tenham realizado pagamento mensal via regime de estimativa, como previsto no art. 2° da Lei n° 9.430, de 1996. 

As empresas que se encaixam nessas especificações ou quiserem aderir ao lucro real devem fazer a opção no início de cada ano fiscal, que ocorre em janeiro.

Como calcular o Lucro Real? 

Para calcular o Lucro Real, deve-se seguir a fórmula básica que é:

  • Receita – Despesas = Lucro Real. 

Diferentemente do Simples Nacional, os impostos, no Lucro Real, são calculados e recolhidos separadamente. Logo, é necessário calcular os impostos um a um, uma vez que cada um terá uma alíquota diferente a ser cobrada. 

Quais são as alíquotas do Lucro Real?

No Lucro Real, são recolhidos os seguintes impostos: 

  • Imposto de Renda da Pessoa Jurídica (IRPJ): alíquota de 15% para lucros até R$20 mil e, se ultrapassar, a cobrança passa para 25%; 
  • Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL): alíquota varia entre 9% e 15% — 9% para empresas em geral e 15% para instituições financeiras e empresas de seguros; 
  • Programa de Integração Social (PIS): alíquota fixa de 1,65%; 
  • Contribuição para Financiamento da Seguridade Social (COFINS): alíquota fixa de 7,60%. 

O IRPJ e o CSLL podem ser recolhidos uma vez por ano ou trimestralmente, dependendo da escolha da empresa. No entanto, é importante destacar que se não houver lucro no período tributável não haverá a cobrança desses impostos.

Acompanhe um exemplo prático de como o cálculo funciona:

  • Em três meses, um e-commerce faturou R$400 mil e, deduzindo as despesas, teve um Lucro Real de R$80.000,00;
  • IRPJ: R$80 mil x 25% = R$20 mil; 
  • CSLL: R$80 mil x 9% = R$7.200; 
  • PIS: R$80 mil x 1,65% = R$1.320; 
  • COFINS: R$80 mil x 7,6% = R$6.080;
  • Total de imposto a ser recolhido = R$34.600. 

Vantagens do Lucro Real 

Apesar desse regime de tributação ser obrigatório a algumas empresas, existem alguns benefícios para aqueles que adotam o Lucro Real.

Para exemplificar, colocamos abaixo algumas vantagens do Lucro real, que são:

  • a incidência dos impostos é mais justa se comparada a outros regimes, já que a tributação Lucro Real é conforme o lucro do negócio;
  • existe compensação em caso de prejuízos fiscais;
  • possibilidade de aproveitar os créditos fixos do PIS e do COFINS;
  • opção de apurar o Imposto de Renda em diferentes períodos — trimestral ou anual,
  • anuência do pagamento dos tributos sobre o lucro caso a empresa tenha prejuízos fiscais.

Como e quando é apurado os impostos do Lucro Real? 

Quando o assunto é o calendário de apuração do Lucro Real, você possui duas opções: fazer o recolhimento dos impostos a cada três meses ou uma vez ao ano.

Caso opte por apurar o Imposto de Renda anualmente, você só poderá fazê-lo no final de cada ano, no dia 31 de dezembro. Enquanto isso, se escolher pelo recolhimento trimestral, o pagamento será feito nas seguintes datas:

  • 31 de março;
  • 30 de junho;
  • 30 de setembro,
  • 31 de dezembro.

A importância do planejamento financeiro e tributário

O planejamento tributário, bem como a organização financeira, são imperativos para o funcionamento de um negócio, independentemente do seu tamanho. Pagar impostos é inevitável, logo, não há caminho melhor do que aprender a gerenciá-los corretamente. 

Saber como fazer um bom planejamento financeiro e tributário é importante porque, com ele, você garante o recolhimento correto dos tributos, evitando dívidas, multas e problemas com o Fisco. 

Além disso, com organização e estratégia, é possível adotar os mecanismos de tributação corretos para sua empresa e inclusive reduzir, legalmente, sua carga tributária. 

Banner CTA

Outras dúvidas sobre o Lucro Real 

Confira as perguntas a seguir para ter certeza de que você não tem mais nenhuma dúvida sobre o que é o Lucro Real de uma empresa.

Quais impostos estão envolvidos no Lucro Real?

São eles: 

  • Imposto de Renda da Pessoa Jurídica (IRPJ)
  • Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL)
  • Programa de Integração Social (PIS)
  • Contribuição para Financiamento da Seguridade Social (COFINS)

Como escolher entre Lucro Real e Lucro Presumido?

O Lucro Presumido trabalha com uma margem de 32% de lucro na prestação de serviço e 8% no comércio. Assim, se sua empresa fatura mais do que isso, vale a pena optar por esse regime, uma vez que o cálculo dos impostos considerará a margem fixada.

Contudo, se sua empresa fatura menos de 32% de lucro, o Lucro Real é mais indicado, já que você pagará menos impostos. Além disso, como a lucratividade de fato é considerada, caso haja prejuízo, você não precisa recolher tributos. 

Posso mudar de Lucro Real para outro regime de tributação?

Sim, é possível, caso sua empresa se qualifique para outro regime em termos de faturamento e atividade, por exemplo. A migração para outro regime é sempre feita no início do ano fiscal, até o fim do mês de janeiro. 

O Lucro Real é vantajoso para microempresas?

O Lucro Real pode ser sim vantajoso quando a microempresa tem um lucro efetivo de menos de 32% do faturamento ou quando ela gera renda, mas registra prejuízo no período de apuração.  

Como vimos, o Lucro Real é mais um regime tributário com suas vantagens e desvantagens, por isso sua escolha depende muito do planejamento financeiro e contábil da empresa. 

Quando a gestão financeira está em dia, empreendedores podem tomar decisões embasadas e otimizar seus gastos com impostos, ao mesmo tempo, em que mantém a conformidade com a lei. 

Que tal melhorar sua gestão financeira e ter mais clareza ao gerenciar seu fluxo de caixa e rendimentos? Automatize seus processos financeiros com um sistema ERP e veja seu negócio decolar! 

Compartilhe este post
Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp
Conteúdos relacionados
Quanto custa abrir uma empresa
Desvende os custos de abrir uma empresa em 2024. Conheça taxas indispensáveis e inicie seu negócio com segurança!
boas práticas na estruturação de operações de customer success
Neste artigo, falaremos sobre como implementar customer success em uma empresa.
Alvará de funcionamento
Alvará de funcionamento é um documento indispensável para empresas que querem garantir a regularidade das atividades. Saiba mais neste artigo!