Entenda tudo sobre payback: o que é e como calcular o tempo de retorno

Para saber em quanto tempo você terá o retorno de um investimento, é preciso conhecer o payback e saber como fazer o cálculo.
Navegação Rápida
Navegação Rápida

Antes de fazer um aporte de capital para iniciar uma empresa, investir na expansão do negócio ou realizar uma aplicação financeira, é preciso calcular o payback. Afinal, você deve saber quando terá o retorno do que foi investido.

Então, para tomar a melhor decisão nessas e em outras situações, aprenda o que é payback, sua finalidade, os tipos existentes e como calculá-los neste artigo. Veja ainda as vantagens e desvantagens de se basear nesse indicador.

Banner CTA

O que é payback?

A tradução para a palavra em inglês payback é retorno, logo, trata-se de um indicador que permite calcular em quanto tempo haverá o retorno sobre um investimento realizado. Desse modo, pode ser utilizado antes de fazer aportes em uma empresa ou em aplicações financeiras.

Por exemplo: se o empreendedor vai investir R$ 20 mil para iniciar seu e-commerce, pode utilizar o indicador para saber em quanto tempo terá esse dinheiro de volta. Se, no futuro, ele quiser investir em tecnologia na sua empresa, também pode utilizar o payback.

Como foi dito, quem tem interesse em investir em ações, fundos ou qualquer outro produto financeiro pode também fazer o cálculo do payback, inclusive para comparar qual é a melhor opção de investimento.

Para que serve o payback?

O indicador visa auxiliar o investidor na tomada de decisão em relação ao aporte de recursos, seja para começar uma empresa, expandir o negócio já existente, comprar maquinários, entre outras situações.

Isso porque o payback mostra o prazo em que haverá retorno do dinheiro. No caso de quem está iniciando uma empresa, aponta em quanto tempo “o negócio se paga” ou o prazo no qual os lucros acumulados serão iguais ao capital inicial.

Nesse sentido, ajuda a fazer uma projeção de quando a pessoa terá os recursos investidos de volta, mostrando se determinado investimento vale ou não a pena. 

Então, se o empreendedor sabe que vai precisar do capital investido a curto prazo, não vai investir em algo que terá um tempo longo de retorno, concorda?

O indicador auxilia ainda a entender a viabilidade de um negócio, contribuindo para a tomada de decisão do investidor.

Tipos de payback

O payback auxilia na análise de um investimento, pois você consegue obter uma perspectiva de retorno. Isso porque, para fazer o cálculo é preciso ter uma estimativa de fluxo de caixa de um negócio para os próximos meses.

Mas, antes de aprender a calcular o payback, é necessário saber que o indicador pode ser de dois tipos:

  • payback simples — é uma projeção de retorno do capital investido mais simples de calcular, pois leva em conta apenas o montante investido e o fluxo de caixa médio por um período;
  • payback descontado — aqui é a projeção de retorno do capital investido, considerando variáveis, como a desvalorização do dinheiro ao longo do tempo. Assim, apesar de se basear no fluxo de caixa médio, aplica uma taxa de correção nos valores.

Dessa forma, como o payback simples não aplica a desvalorização do dinheiro que pode ocorrer devido à inflação e a outros aspectos econômicos, ele é mais indicado para projetos de curto prazo. Nesse sentido, entende-se que não haveria muitas perdas em um período pequeno.

Agora, quando se fala em projetos de investimento de longo prazo, o melhor é o payback descontado, que vai considerar a desvalorização dos recursos. 

Como resultado, o investidor tem uma perspectiva de tempo de retorno mais realista, facilitando a tomada de decisão.

Como calcular o payback? Passo a passo prático!

Afinal, qual conta fazer para calcular o payback e descobrir em quanto tempo o capital investido será recuperado? Veja o cálculo para os dois tipos de indicadores a seguir.

Como calcular o payback simples

Nesse caso, a conta é mais simples, pois não é preciso aplicar nenhuma taxa de correção de valores. Sendo assim, você deve utilizar o valor dos recursos investidos e fazer a projeção do fluxo de caixa médio em um período para descobrir o payback:

  • Payback simples = recursos investidos / fluxo de caixa médio

Para calcular o fluxo de caixa médio, você precisa fazer uma projeção de quanto terá de saldo ao final de cada mês, levando em conta as receitas descontadas de todas as despesas (fixas e variáveis).

Então, se você tem um capital de R$20 mil para dar início ao seu e-commerce e estima que o fluxo médio mensal será de R$ 2 mil, o cálculo será:

  • Payback simples = 20 mil / 2 mil = 10 

No exemplo acima, a perspectiva de retorno no valor investido no e-commerce é de 10 meses.

Como calcular o payback descontado

Já a conta do payback descontado é mais complexa, pois considera que o dinheiro perde valor ao longo do tempo. Então, para determinar o prazo de retorno com mais precisão, é preciso levar em conta outros aspectos, como:

  • Taxa Mínima de Atratividade (TMA) — utilizada como base para definir a rentabilidade mínima prevista do investimento, podendo utilizar, por exemplo, a Selic para calculá-la;
  • Valor Presente Líquido (VPL) — considera o valor do fluxo de caixa médio no tempo presente, ou seja, considerando a taxa de correção.

Se considerarmos uma TMA de 10%, para saber o VPL, o cálculo é o seguinte:

  • VPL = Fluxo de Caixa Médio / (1 + TMA)1

Considerando um fluxo de caixa médio de 12 meses em R$ 2 mil, a conta seria:

  • VPL = 2.000/ (1+0,10)
  • VPL = 1.818,18

Logo, o valor do fluxo de caixa descontado, quer dizer, considerando a desvalorização do dinheiro, é de aproximadamente R$ 1.818,18 e não de R$ 2 mil. Então, a conta do payback, considerando o capital inicial de R$ 20 mil seria:

  • Payback descontado = Recursos investidos / Fluxo de caixa descontado;
  • Payback descontado = 20.000 / 1.818,18;
  • Payback descontado = 11.

Assim, neste exemplo, o investidor recupera o valor investido em 11 meses.

Payback e fluxo de caixa: qual a relação?

Como foi apresentado, para calcular o payback, tanto o simples como o descontado, é importante considerar o fluxo de caixa. Somente com a projeção do saldo em caixa (receitas menos despesas), é possível saber em quanto tempo o negócio “se paga”.

Afinal, você estima o quanto de recursos terá em caixa em um dado período, podendo projetar em quanto tempo (meses ou anos) terá o retorno do capital que foi investido. Para entender o fluxo de caixa e fazer projeções, é preciso realizar uma boa gestão financeira. 

Vantagens e desvantagens do payback

O payback é um indicador importante, que apresenta as seguintes vantagens:

  • permite analisar e comparar investimentos;
  • é uma conta fácil de fazer (no caso do payback simples);
  • aponta o grau de risco de um investimento, ajudando na tomada de decisão.

No entanto, é preciso listar as desvantagens do indicador, como:

  • o payback simples pode não demonstrar a realidade, pois não considera a correção monetária dos recursos;
  • no retorno de projetos mais longos, o indicador não leva em conta os ganhos que a empresa pode ter depois de recuperar o que foi investido;
  • no payback descontado, pode ser difícil aplicar com exatidão todas as variáveis da economia.

Além do payback: outros indicadores financeiros

Para compreender o retorno sobre o aporte investido em uma empresa ou em outras aplicações, é possível utilizar outros indicadores, entre eles:

  • ROI (Retorno sobre Investimento) — o ROI aponta o retorno sobre o investimento, considerando o valor investido e os ganhos (receitas menos custos) que o projeto proporcionou;
  • TIR (Taxa Interna de Retorno) — é uma taxa hipotética aplicada ao fluxo de caixa, considerando que o VPL seja nulo, que seria quando o investimento “se paga”;
  • Rentabilidade — é utilizada para saber o retorno de um investimento, considerando o lucro líquido de um período.

O payback pode ser utilizado como indicador para analisar a viabilidade de um investimento, afinal você consegue estimar em quanto tempo terá o dinheiro de volta. 

Para calcular, é preciso fazer uma projeção do fluxo de caixa e sempre manter em dia suas obrigações fiscais e controle financeiro. Para obter dados mais precisos e descomplicar este e muitos outros processos, automatize seu dia a dia com um sistema ERP. A Omie é uma parceira dos empreendedores e tem como objetivo ajudar no seu crescimento. Comece hoje mesmo!

Compartilhe este post
Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp
Conteúdos relacionados
Entenda o que é o RPS e como funciona esse Recibo Provisório de Serviços.
Nota Fiscal De Serviço
A nota fiscal de serviço é essencial para o controle das atividades de trabalho, garantindo maior gestão e legalidade para
homem buscando como cancelar nota fiscal
Cancelar uma nota fiscal não precisa ser uma dor de cabeça. Entenda prazos e procedimentos detalhados.