O que é balancete, para que serve e como fazer?

Entenda o que é um balancete e descubra como utilizá-lo em seu negócio. Confira neste artigo.
Navegação Rápida
Navegação Rápida

O balancete é um demonstrativo muito utilizado no meio contábil, para verificar por meio de débitos e créditos a saúde financeira da empresa. Com ele, é possível ter um controle interno para analisar, dentro de um período específico, ativos e passivos de resultados.

É um relatório que pode ser editado ou alterado sempre que necessário, realizado em períodos diferentes, ou seja, seguindo as necessidades da organização, sendo mensal, semanal, quinzenal ou até mesmo diária. 

No conteúdo a seguir, você verá qual a importância do balancete, para que é utilizado e como fazê-lo, através do nosso passo a passo bem simples. Vamos lá?

O que é balancete?

O balancete é um documento contábil que mostra o saldo de todas as contas de uma empresa em um determinado período de tempo, geralmente mensal. 

Ele é usado como uma ferramenta de verificação para garantir que o livro contábil esteja equilibrado e que todas as transações financeiras sejam corretamente registradas.

O balancete lista todas as contas da empresa, agrupadas em categorias como ativos, passivos e patrimônio líquido, e mostra os saldos das contas ao final do período desejado.

A importância do balancete 

Apesar do balancete contábil não ser obrigatório, ele é ótimo para analisar toda a posição financeira da empresa, bem como oferecer informações valiosas para:

  • as instituições financeiras
  • acionistas
  • potenciais investidores
  • concorrentes
  • fornecedores
  • sindicatos envolvidos com a empresa

Com o balancete é possível saber qual a capacidade do negócio de pagar por tudo que possui, os famosos ativos, seja utilizando dinheiro emprestado ou usando dos investimentos e acionistas, para avaliar qual foi o desempenho da empresa ao longo do tempo.

Por isso, para uma gestão financeira eficiente, o balancete da empresa deve ser feito da forma mais atualizada e eficiente possível. 

Apontando erros como duplicidades, omissões ou inversões, como saldos divergentes, tudo preparado com muita atenção e evitando problemas futuros.

Finalidade do balancete

A finalidade principal do balancete é informar sobre o atual cenário do negócio. Ademais, ainda facilita a criação de alguns outros relatórios, como no caso da Demonstração de Resultados do Exercício (DRE), até mesmo o próprio balanço patrimonial.

Além disso, permite identificar se foram feitos gastos excessivos ou desnecessários. Com ele, também é possível perceber prováveis falhas no gerenciamento financeiro, sendo este último um dos motivos que o fazem ser utilizado em apurações contábeis.

Existem outras finalidades para esse documento, mas, lembre-se que o balancete é feito para garantir a integridade das contas a partir de saldos que possam ser alterados a qualquer momento pelo contador. Deve conter os seguintes itens:

  • Identificação da empresa;
  • Qual a data de referência;
  • Quais são as contas e seus grupos;
  • Saldo das contas;
  • Soma dos saldos credores e devedores;
  • Em modelos mais detalhados, ele também precisa do código e descrição completa das contas.

Quais contas são encontradas no balancete?

O balancete é  formado por contas de resultado. Sendo:

  • as patrimoniais de ativo (bens e direitos);
  • as de passivo;
  • de obrigações.

No ativo, você irá encontrar contas alocadas por ordem de liquidez e, no passivo, por ordem de exigibilidade, que devem ser quitadas em menor prazo.

Nas contas de resultado, é possível encontrar informações sobre receitas, despesas e custos. Sendo que as receitas mostram todos os ganhos que a empresa tem, os custos e quais são os valores utilizados para manter a empresa funcionando.

Enquanto nas despesas são detalhados o que é gasto, mas não está ligado diretamente ao funcionamento da empresa.

Quais são os tipos de balancete?

Agora que você já sabe o que é como se dá a estruturação desse demonstrativo, vale saber quais são os tipos de balancete. Entenda a principal diferença entre eles é a forma com que as contas são apresentadas. Confira.

Balancete Sintético

No balancete sintético, a demonstração é feita apenas a partir dos números finais das principais contas patrimoniais da empresa. ‍

Balancete Analítico

Aqui, as contas são detalhadas com o máximo de informações possíveis para representação da empresa. Assim, é um relatório muito extenso com informações relevantes para análise.

Balancete de verificação inicial

O balancete de verificação inicial é aquele feito com base nas primeiras apurações, ou seja, com os primeiros dados analisados. Sendo realizado antes da Apuração de Resultados do Exercício.

Ele é considerado o ponto inicial de verificação e serve de base para o balancete final. É composto por duas contas: 

  • As patrimoniais, onde são detalhadas informações dos ativos passivos e patrimônio líquido;
  • As de resultados, que devem apresentar os dados de receitas e despesas que a empresa teve no tempo analisado.

Balancete de verificação final

O balancete de verificação final contempla apenas as contas patrimoniais da empresa. Nele, as contas de resultado são apagadas por conta da Apuração de Resultados do Exercício.

É esse balancete que determina se os resultados foram positivos ou negativos. Também são descritos os seguintes dados das contas patrimoniais.

  • Ativos;
  • Passivos;
  • Patrimônio líquido;
  • Contas de resultados encerradas na apuração do resultado;
  • Lucro ou prejuízo para o patrimônio líquido.

Quando realizar o balancete de verificação?

É geralmente elaborado no final de cada período contábil, como um mês ou um trimestre, sendo uma ferramenta essencial para ajudar na reconciliação e na verificação da precisão dos registros contábeis antes de preparar os demonstrativos financeiros finais, como o Balanço Patrimonial e a Demonstração do Resultado do Exercício.

Como fazer o balancete de verificação?

Confira o passo a passo conciso que preparamos para você elaborar um balanço de verificação. Para isso, é necessário:

1. Listar todas as contas contábeis

Compile uma lista de todas as contas agrupando-as em categorias como ativos, passivos e patrimônio.

2. Pegar os saldos das contas

Para cada conta, identifique o saldo atual no final do período contábil. Os saldos podem ser devedores (positivos) ou credores (negativos).

3. Classificar as contas

Separe as contas em ordem numérica ou alfabética para facilitar a leitura e a análise.

4. Calcular o saldo das contas

Some os saldos das contas devedoras e subtraia os saldos das contas credoras. Isso resultará no saldo líquido de cada categoria (ativos, passivos e patrimônio líquido).

5. Verificar a igualdade

Certifique-se de que a soma dos saldos dos ativos seja igual à soma dos saldos dos passivos e do patrimônio líquido. Isso é fundamental para a pesquisa fundamental da contabilidade: ativos = passivos + patrimônio líquido.

6. Corrigir possíveis erros

Se houver discrepâncias, revise os lançamentos contábeis para identificar e corrigir eventuais erros. Isso pode incluir transações incorretamente registradas, lançamentos duplicados ou outros equívocos.

7. Documento do Balanço

Elaborar o Balanço de Verificação em um formato claro e organizado, destacando as categorias ativos, passivos e patrimônio líquido, e exibindo os saldos das contas.

8. Reconcilie com outros registros

Compare o saldo com outros registros financeiros, como extratos bancários, notas fiscais e outros documentos relevantes para garantir a consistência e a precisão das informações.

9. Finalize e arquive

Após as verificações e correções, finalize o balancete. Ele pode ser arquivado como parte da documentação financeira da empresa e servirá como base para a elaboração de demonstrativos financeiros mais abrangentes.

Diferença entre razonete e balancete

O razonete e o equilíbrio são instrumentos financeiros que desempenham papéis complementares no processo de registro e controle financeiro de uma empresa. 

O razonete é uma representação gráfica simplificada de uma conta contábil específica, dividida em duas colunas para registrar as transações de débito e crédito. Ele é utilizado para visualizar de forma objetiva as movimentações em uma conta ao longo do tempo. 

Por outro lado, o balanço é um relatório contábil mais abrangente que resume o saldo de todas as contas da empresa em determinado período, geralmente no final de um mês ou trimestre. 

Ele organiza contas em categorias como ativos, passivos e patrimônio líquido, proporcionando uma visão mais global da situação financeira. 

Em suma, enquanto o razonete é mais focado em contas individuais, o balancete oferece uma visão consolidada, sendo uma etapa crucial na preparação de demonstrativos financeiros mais completos, como o Balanço Patrimonial e a DRE.

Conceitos contábeis importantes para a realização de um balancete

Certos conceitos contábeis adicionais são fundamentais para a realização de um equilíbrio preciso. Veja:

  • Depreciação: Compreender este conceito é crucial, especialmente ao lidar com ativos fixos. A depreciação representa a alocação sistemática do custo de um ativo ao longo do tempo.
  • Receitas e despesas: Distinguir claramente entre receitas (entradas de recursos) e despesas (saídas de recursos) é essencial para a correta classificação no saldo, observado o princípio da competência.
  • Conceito de competência: Este princípio determina que as receitas e despesas devem ser reconhecidas no período em que são geradas, independentemente de quando o dinheiro é recebido ou pago.
  • Amortização: Semelhante à depreciação, a amortização é a alocação sistemática de um valor ao longo do tempo, mas é mais comumente associada a ativos intangíveis, como patentes ou direitos autorais.
  • Conciliação de contas: Realizar conciliações regulares, não apenas bancárias, mas também de contas contábeis importantes, é essencial para garantir que os registros financeiros sejam precisos e completos.
  • Ajustes de fim de período: Fazer ajustes contábeis no final do período é comum para refletir eventos ou transações que ocorram, mas que não podem ter sido registrados no momento da correção.
  • Reserva de contingência: Manter uma reserva de contingência ou provisão para eventos incertos é uma prática que influencia a apresentação no campo da situação financeira não equilibrada.
  • Prazo médio de pagamento e recebimento: Entender o prazo médio de pagamento a fornecedores e captação de clientes é importante para avaliar a eficiência do ciclo financeiro da empresa e pode influenciar as decisões de gestão de caixa.
  • Demonstração do Resultado do Exercício (DRE): A relação entre o saldo e a DRE é crucial. O balanço fornece informações sobre saldos de contas, enquanto a DRE mostra o desempenho financeiro ao longo de um período. 

Vimos como a elaboração de um balanço requer uma compreensão abrangente de diversos conceitos contábeis essenciais. 

A sua integração cuidadosa desses elementos não resulta apenas em um equilíbrio consistente, mas também estabelece as bases para a transparência financeira e a confiabilidade das informações contábeis.

Na última análise, as conclusões e a compreensão profunda desses conceitos capacitaram as organizações a tomar decisões informadas, proporcionando uma visão clara de sua saúde financeira e facilitando o cumprimento das normas contábeis e regulamentações.

E se você não aguenta mais essa rotina financeira complicada e cheia de planilhas, conheça a Omie e surpreenda-se com seus resultados!

Banner CTA

Compartilhe este post
Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp
Conteúdos relacionados
entenda o que é danfe
Se você ainda precisa entender o que é DANFE e qual a sua importância, confira aqui neste texto.
Mulher apresentando demonstrações financeiras
Entenda o que são e como analisar corretamente as demonstrações financeiras do seu negócio.
tarifa de boletos bancários
Descubra como funcionam as tarifas de boletos bancários e quais são os valores e conheça soluções para otimizar este custo.