O que é PCP? Conceito, ferramentas e técnicas para usar em seu negócio

O PCP permite otimizar toda a produção de uma empresa, garantindo eficiência no uso de recursos e qualidade. Conheça as melhores técnicas e ferramentas para usar!
Navegação Rápida
Navegação Rápida

No empreendedorismo, eficiência e organização são cruciais para o sucesso de qualquer negócio. É aí que entra o Planejamento e Controle de Produção, conhecido como PCP.

Esse conceito atua como o maestro invisível por trás das operações, coordenando processos, otimizando recursos e garantindo harmonia em tudo que é feito. Entenda a seguir o que é PCP, exemplos, bem como suas ferramentas e técnicas essenciais.

O que é PCP e qual a função?

O PCP é um sistema que coordena todas as etapas envolvidas na produção de bens ou serviços para que tudo funcione de maneira eficiente. 

Imagine uma orquestra onde cada instrumento toca na hora certa para criar uma música harmoniosa. Então, o PCP faz algo parecido, mas com máquinas, pessoas e recursos. Com ele, você planeja quanto, quando e em que ordem produzir.

A sua função principal é criar planos detalhados para a produção, desde a aquisição de matérias-primas até a entrega do produto final, considerando fatores como o tempo necessário, a quantidade de materiais e a capacidade da equipe. 

O PCP também monitora o andamento das operações em tempo real, ajustando os planos conforme necessário para evitar atrasos ou problemas. 

É um sistema que permite uma verificação contínua de seu funcionamento, o que ajuda a empresa a produzir mais e melhor, economizando tempo e dinheiro, e garantindo que os produtos cheguem com qualidade aos clientes e na hora certa.

Bannner para conhecer o sistema

Quais são os objetivos do PCP?

O PCP otimiza todo o sistema de produção, sendo uma estratégia que determina quando, onde, em que quantidade e em que ordem será produzido, tudo sempre seguindo o que foi planejado e com um controle constante. Veja abaixo seus 4 objetivos:

Objetivo 1 – quando produzir

  • programação para frente ou empurrada – programa-se a execução das tarefas a partir do momento em que os recursos estão disponíveis, a fim de minimizar o prazo de entrega;
  • programação para trás ou puxada – o trabalho é sob demanda, determinando o prazo em que a tarefa deve estar concluída, com a programação de tarefas segundo esse prazo. O objetivo é minimizar recursos e tempo alocado.

Objetivo 2 – quanto produzir e onde

  • carregamento finito – observa-se a capacidade de cada posto de trabalho suportar a carga de trabalho planejada para, assim, avaliar e programar cada etapa produtiva;
  • carregamento infinito – não se considera a capacidade de cada posto de trabalho, a não ser como estimativa.

Objetivo 3 – em que ordem será produzido

  • FIFO ou PEPS (first in, first out ou primeiro a entrar, primeiro a sair);
  • UEPS ou LIFO (last in, first out ou último a entrar, primeiro a sair).

Objetivo 4 – controle da produção

  • controle empurrado – cada posto de trabalho, ao concluir uma tarefa, passa ou empurra o material para a próxima etapa, para que ela possa ser iniciada quanto antes;
  • controle puxado – ao concluir o processo de uma tarefa, o operador solicita ou puxa o material da etapa anterior.

Quais as vantagens do PCP?

Adotar o PCP traz diversos ganhos para a empresa, como:

  • redução de despesas;
  • otimização da produção;
  • processos de produção coordenados;
  • controle da qualidade;
  • entrega nos prazos;
  • uso racional de recursos;
  • gestão de estoque eficiente;
  • menos retrabalho e erros de produção, resultando em maior lucro operacional;
  • melhoria da reputação da empresa pela confiabilidade;
  • satisfação dos clientes;
  • capacidade de se adaptar a mudanças na demanda do mercado;
  • melhoria contínua;
  • apoio na tomada de decisão.

Como o PCP ajuda a empresa a se tornar competitiva?

O PCP oferece diversas vantagens que podem ajudar uma empresa a se tornar mais competitiva no mercado. Isso porque é um sistema que permite a tomada de decisões estratégicas informadas com base na análise de dados.

Além disso, é um processo que possibilita a produção de alta qualidade no prazo certo e permite a eficiência operacional, resultando em preços competitivos.

Exemplo de Plano de Controle de Produção

Podemos pensar na aplicação do PCP em uma fábrica de chocolate. Com a proximidade da Páscoa, é preciso pensar no aumento da produção, economizando tempo, recursos e garantindo a qualidade.

Dessa forma, é preciso fazer o planejamento para determinar, segundo a análise da demanda do período, o quanto de bombons será produzido, em qual ordem de prioridade e onde eles serão feitos, verificando a capacidade da empresa.

Assim, é possível se preparar com a quantidade adequada de matéria-prima, mão-de-obra, maquinário e logística de produção para garantir o bom armazenamento e que a produção chegue no prazo certo às lojas franqueadas.

Quais são os pilares do planejamento e controle da produção? 

O PCP se baseia em pilares fundamentais que sustentam a eficiência e organização das operações:

  • Programação da Fábrica  – define a ordem e o cronograma das atividades de produção, garantindo que os recursos sejam alocados de maneira eficiente para atender à demanda;
  • MRP (Material Requirements Planning)  – tem como objetivo principal otimizar o planejamento e a gestão de estoque de materiais necessários para a produção;
  • Sequenciamento das Etapas  – organiza a ordem das atividades de produção de forma lógica e eficiente;
  • Plano Mestre de Produção (MPS)  – plano estratégico que equilibra a demanda dos clientes com a capacidade de produção da empresa. 

Quais são as fases do controle de produção?

Para começar a colocar o conceito sobre o que é PCP em prática, existem algumas etapas básicas e fundamentais. Confira a seguir.

Previsão da demanda

Prever a demanda dos produtos e garantir o estoque completo de insumos e materiais permite o dimensionamento correto da produção, incluindo também os recursos humanos necessários.

Planejamento da capacidade de produção

Com as informações de previsão da demanda em mãos, é possível checar a capacidade de produção da empresa, ou seja, analisar se está tudo adequado à demanda prevista ou se ainda é preciso algum ajuste ou redimensionamento.

Planejamento Agregado da Produção — PAP

Aqui é definida a melhor estratégia para o empreendimento, baseada em volume de produção, estoques, funcionários, gastos logísticos, fornecedores, dentre outros. O PAP é um documento anual, mas deve ser atualizado mensalmente pela empresa.

Programação Mestra da Produção — PMP

O PMP determina a forma como os planos de produção são operados em curto prazo, a partir de análises e direcionamento de recursos, para a empresa produzir a quantidade correta para suprir as demandas. 

O PMP é mais detalhado que o PAP, uma vez que considera tanto a previsão de demanda quanto os pedidos realizados e as solicitações de produção e compra.

Programação Detalhada da Produção — PDP

Na PDP se define como será o dia a dia da empresa e todos os procedimentos aplicados, abrangendo a gestão dos materiais, emissão e liberação de ordens de produção e o seu sequenciamento.

Controle da produção

Acompanha todo o processo para analisar se tudo está acontecendo conforme o planejado e permitindo, portanto, a correção de erros. A ideia é identificar e evitar gargalos, estimar prazos e otimizar a tomada de decisão por meio de dados concretos do processo.

Onde se aplica o PCP?

Tradicionalmente, o planejamento e controle da produção era implementado apenas em grandes empresas e indústrias com processos altamente complexos e de custos consideráveis. 

Porém, hoje, há sistemas completos e de dinâmica simples, preparados para as pequenas e médias empresas que contam com processos menos complexos. Permitem, portanto, ao gestor de negócios de diferentes portes fazer a gestão da produção com eficácia.

Principais ferramentas para implementar o PCP no negócio

Para empreendedores que buscam aprimorar sua eficiência operacional, existem diversas ferramentas voltadas para a implementação do PCP. Vamos explorar algumas das principais:

  • Kaizen – filosofia japonesa de melhoria contínua que visa aprimorar constantemente os processos e resultados de uma empresa;
  • Six Sigma – metodologia de melhoria de processos que visa reduzir defeitos e variações, aumentando a qualidade e a eficiência;
  • Kanban – sistema visual de gestão de fluxo de trabalho que visa aprimorar a eficiência e a produtividade.
  • Poka Yoke – técnica japonesa de prevenção de erros que objetiva evitar falhas humanas ou problemas nos processos;
  • Master Production Schedule (MPS) – plano detalhado que determina quando e quanto de cada produto deve ser produzido para atender à demanda;
  • MRP (Materials Requirement Planning) – sistema de planejamento que ajuda a gerenciar a disponibilidade de materiais para a produção;
  • Omie – sistema online que integra os diferentes departamentos da sua empresa, permitindo acompanhar todas as informações do negócio em uma única plataforma.

Diferença entre planejamento e controle da produção

O planejamento se refere às etapas preparatórias para garantir que a produção seja feita com qualidade e segundo o cronograma determinado. Já o controle de produção é o acompanhamento da produção, visando garantir que o planejamento seja cumprido.

Você viu o que é PCP e como esse sistema garante que toda a produção seja planejada e acompanhada com eficiência, permitindo que a empresa melhore seus resultados e se destaque no mercado.

Falamos sobre o sistema Omie como uma das ferramentas para implementar o PCP. Descubra os diferenciais desta tecnologia para os empreendedores!

Banner CTA

Compartilhe este post
Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp
Conteúdos relacionados
gestão financeira para MEI
Descubra a importância de uma gestão financeira para MEI para aumentar a eficiência do seu empreendimento. Aprenda como fazer e
Lean office
O Lean Office é uma metodologia que visa a aplicação dos princípios do Lean Manufacturing para reduzir o desperdício e
o que é qa e o que faz a área do quality
Revolucione a forma de gerenciar a qualidade na sua empresa. Descobrir o que é QA e como implementar pode ser